Revista Contra-Relógio
// Saúde //

Você fala a mesma língua que o seu corpo?

Edição 284 - MAIO 2017 - PAULO PRUDENTE

Faça um teste para saber como está sua sensibilidade aos sinais que o organismo lhe envia

Dores musculares desproporcionais aos treinos, dificuldade em completar um treino que antes era fácil de ser feito, alterações de humor e libido, cãibras, contraturas musculares. Estes são os sinais mais comuns que o corpo nos dá quando algo não vai bem. Se tiver um pouquinho de experiência, o corredor certamente vai ouvir o recado. Mas ouvir não quer dizer entender. Então, como saber quando um desses recados sugere apenas um pouco mais de descanso e quando eles avisam que é bom procurar um médico?
"Dores musculares, cansaço, aumento de sonolência diurna e perda de peso são problemas e sintomas que um pouco mais de descanso podem resolver. Mas se o corredor ignorar estes recados que o corpo nos dá, tudo pode evoluir para tonturas, falta de ar, palpitações, dores persistentes e outras que afetam os movimentos do dia-a-dia; então, é hora de procurar um médico", explica a médica do esporte e nutróloga Flávia Pinho Teixeira, lembrando que normalmente o corredor tem o hábito de dar mais atenção aos avisos da função cardiorrespiratória do que os referentes com a musculoesquelética. "As pessoas preocupam-se mais com a falta de ar e dores no peito do que com dores musculares."
O treinador João Magalhães, do Nike Run do Rio de Janeiro, explica que é difícil mensurar e separar o que é rotina ou não, "A população é muito heterogênea. Então, cansaço e dores esporádicas, por exemplo, são sinais de que você pode estar somente sobrecarregado com trabalho, estudos, treinos etc. Mas sempre que o corpo nos dá algum sinal, ele quer nos dizer algo".
Um dos equívocos mais comuns é achar que um simples incômodo ou uma pequena dor não tenha muita importância. De fato, o corredor talvez tenha dificuldade de entender o que o corpo quer dizer e, para não interromper os treinos, muitas vezes ignora o recado. Segundo Flávia Pinho, "tudo isso pode ser desencadeado por comprometimentos brandos, mas podem representar acometimentos mais severos, como desidratação, alterações nos eletrólitos e até doenças cardíacas. E nas queixas osteoarticulares, podemos ter estiramentos musculares, lesões de tendões, assim como fraturas por estresse e lesões articulares mais severas".
A médica lembra que muitos visam a performance e tendem a deixar de lado pequenos sinais que o corpo dá, informando que algo precisa ser revisto. Em muitos casos é comum até o uso (e abuso) de analgésicos para camuflar ou postegar as dores. "As dores são, na verdade, o grande termômetro em relação aos nossos limites orgânicos. O que provoca este comportamento talvez seja o medo que todo praticante de exercício tem de ser orientado a parar de praticar o esporte por alguma lesão. Com isso, muitos fogem dos médicos. Mas como médica do esporte procuro sempre preservar a prática e recomendo a interrupção apenas quando é estritamente necessária para a recuperação", explica Flávia, lembrando que as consequências dessa fuga podem ser graves em curto e longo prazo.
"A insistência em não ouvir o corpo pode agravar lesões agudas, como fraturas e rupturas de tendões. Em médio e longo prazo, ocorre o pior: tornam-se crônicas as lesões e estendem-se a outros tecidos e articulações por compensações e modificações no movimento. Tudo isso provoca perda de massa óssea e sarcopenia, que é redução de massa muscular", completa.


Publicidade


Você e seu corpo se entendem?
(Teste sem valor científico)
Responda sim ou não a estas 10 perguntas:


- Você sabia que o seu corpo fala com você?
- Já teve a sensação que o seu corpo queria lhe dizer algo?
- Deu atenção a ele?
- Conversou com seu treinador sobre isso?
- Procurou um médico?
- Tentou conversar com outros corredores ou ler sobre que estava sentindo?
- Quando o recado do corpo é recorrente, você o acha desagradável?
- Se for preciso interromper momentaneamente os treinos para ouvir o corpo, você faz isso?
- Consegue encarar um período de abstinência esportiva se for preciso?
- Seu médico diz para desistir da corrida e procurar outro esporte. Você segue a recomendação?


Se você respondeu
8 a 10 SIM - Parabéns, você está atento ao seu corpo e está pronto para dar a ele o descanso e os cuidados que merece.
5 a 7 SIM - Cuidado, você sabe que o corpo fala com você, mas às vezes teima em não dar importância ao que ele diz. Um pouco mais de esforço para que a "conversa" flua melhor.
3 a 5 SIM - Você está ladeira abaixo com os cuidados necessários para continuar correndo. Mas ainda há chance de mudar.
0 a 2 SIM - Ao que tudo indica, você está usando seu corpo à exaustão, sem se preocupar com ele. Desse jeito, é questão de tempo ter de abandonar a corrida ou qualquer outra atividade esportiva.


Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados