Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

UNHA DE CORREDOR

Edição 235 - ABRIL 2013 - YARA ACHÔA

Não pense que cuidar dos pés é coisa só de mulher. Aquela aparadinha básica das unhas e alguns pequenos cuidados deixam você pisando nas nuvens.


Unhas pretas, calosidades, bolhas... "É pé de corredor!", costumam exclamar alguns, exibindo o pé como quem se orgulha de suas medalhas. Espera aí: quem disse que corredor tem que ter pé feio? E mais: quem disse que um pé nessas condições ajuda em alguma coisa? Ao contrário, a falta de cuidados com essa área tão importante passa a imagem de desleixo e pode comprometer sua corrida.
A gente sabe que a atividade coloca o pé sob grande pressão. Os problemas geralmente ocorrem em função do impacto constante, das longas distâncias percorridas, da utilização de calçados inadequados e de alterações ortopédicas da própria pessoa - o que pode resultar em traumas nas unhas, promovendo seu descolamento e a formação de hematomas pelo microssangramento, além de micoses, bolhas e odores. "O diagnóstico e o acompanhamento precoce são fundamentais para a prática esportiva saudável", diz Yumi Ikeda, podóloga esportiva, de São Paulo. Abaixo, a especialista aponta os principais cuidados que você deve ter.

Publicidade


COMO CORTAR - Geralmente o conselho é cortar a unha retinha, mas a dica pode não servir para todos. "É preciso acertar a unha de acordo com a anatomia do dedo de cada um. Se você anda tendo problemas - corta errado, sempre fica um cantinho incomodando -, o melhor é procurar um podólogo para acertar o formato da unha e ensinar a você como cuidar dos pés no dia a dia", diz Yumi.


FAÇA A MANUTENÇÃO - Dependendo do problema, a visita ao podólogo deve acontecer a cada 20 ou 30 dias. Mas você pode cuidar de suas unhas em casa mesmo e voltar ao profissional em intervalos maiores, para a manutenção.


ANTES DE UMA PROVA - Tem uma corrida importante na agenda? Nada de mexer no pé na véspera. Para evitar riscos, faça o procedimento com pelo menos uma semana de antecedência.


ACIDENTE DE PERCURSO - Se acontecer de você machucar um cantinho do dedo com o alicate ou cortar a unha rente demais, avalie a extensão do estrago. Uma "beliscada" de leve pode ser tratada com pomada cicatrizante. Se a unha ficou muito curta e você vai correr uma prova, talvez seja o caso de usar um protetor de silicone - uma espécie de dedeira de gel - para minimizar o atrito da unha machucada com o tênis. Situações mais complexas pedem avaliação de um profissional.


EVITE AS UNHAS PRETAS - Alguns corredores têm sérios problemas com as unhas, que ficam pretas e até caem. "O pé se move constantemente dentro do calçado e o atrito contínuo pode provocar danos à unha. Além disso, outros fatores - como tênis molhado e o tipo de meia - influenciam", diz Yumi. Para evitar problemas, as recomendações são cortar a unha corretamente, usar tênis um ou até dois números maiores e meia mais fina. "Às vezes o corredor até usa o tênis folgado, porém veste meia grossa. E como o pé incha durante a atividade, o espaço que ele teria dentro do calçado diminui. Então, por causa do atrito com a ponta do tênis e da pressão, ocorrem traumas à unha, que pode ficar roxa e cair, abrindo passagem para outros problemas."


CAIU? TENHA PACIÊNCIA - A unha que caiu pode demorar a crescer. E nesse período é importante ter acompanhamento. Isso porque, ao cair, ela deixa um espaço no dedo e a tendência é que a pele vá ocupando esse lugar. "Um especialista faz a limpeza periodicamente e cuida para que não ocorram infecções. Também pode ser preciso a utilização de uma órtese, como se fosse uma unha postiça", explica Yumi.



LARGA DO PÉ, CHULÉ!
Como acabar com outros problemas que pegam no pé...


Micoses: O suor pode provocar fissuras entre os dedos, e os fungos ali se instalam. O ambiente quente e úmido dos tênis também favorece o aparecimento de problemas. Mas nem tudo que descama é micose. A frieira (tratada cientificamente como intertrigo) é apenas uma descamação com vermelhidão entre os dedos. A diferença é que micose coça e a frieira não. Para afastar a encrenca, higienize bem os pés e os tênis.
Chulé: Mesmo quem tem hábitos de higiene corretíssimos pode sofrer com o cheiro desagradável nos pés, por ser uma característica individual. Para evitar o odor, a dica é lavar os pés duas vezes ao dia, com sabonete bactericida e enxugar muito bem, finalizando com talco antitranspirante.
Bolhas: Surgem devido ao atrito constante do pé com a meia ou o tênis. Para evitá-las, antes de correr longas distâncias, aplique uma pequena quantidade de vaselina nas áreas de maior atrito. Em distâncias menores, use duas meias fininhas, para que o atrito fique entre elas e não entre a meia e o pé. Se as bolhas já surgiram, não estoure - sob o risco de provocar mais dor e tornar seu pé suscetível a infecções. Proteja a área com um curativo.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados