Revista Contra-Relógio
// Especial //

Todos os olhares na Ásia

Edição 286 - JULHO 2017 - ANDRÉ SAVAZONI

As Majors irão crescer para a região (Pequim e Singapura são as favoritas) e, assim, nossa viagem ao mundo por maratonas e meias apresenta 15 provas pelo Continente Asiático.

A Wanda Group, um dos principais conglomerados da China, fechou um contrato de dez anos com a World Marathon Majors (WMM) para ações de estratégia e planejamento voltadas ao crescimento de maratonas em todo o mundo. O objetivo principal é expandir a série de Majors, atualmente contando com seis provas - Tóquio, Boston, Londres, Chicago, Berlim e Nova York - para novas regiões, com o foco direcionado para a Ásia e, em um segundo momento, para a África (nada de América do Sul, por enquanto...).
O processo de análise dos eventos já começou e a expectativa é de que as maratonas de Singapura e de Pequim estejam em um futuro próximo na relação das Majors. O que irá dificultar a meta de quem pretende completar todas as provas da relação, cuja participação é muito cara, daí se comentar que o principal pré requisito para correr essas provas não é o preparo físico, mas sim o financeiro.
A World Marathon Majors Series foi fundada em 2006. Atualmente, mais de 250 mil corredores participam do circuito de seis provas anualmente (Tóquio foi a última a entrar na série, o que já mostrou um olhar diferente em relação à Ásia).
Depois de adquirir o Ironman em 2015, o Wanda Group focou as atenções para o mercado de endurance e, consequentemente, das maratonas. Inclusive, segundo os executivos, haverá uma cooperação de crescimento entre o Ironman e a WMM (mais informações sobre as Majors podem ser obtidas na página oficial do circuito, no www.worldmarathonmajors.com).
E foi exatamente com base nessas informações e nos planos da WMM que definimos esta nossa parada na série especial da Contra-Relógio de volta ao mundo por maratonas e meias: a Ásia. Deixamos o Japão de lado, que será merecedor de uma reportagem isolado devido à importância e ao número de provas de longa distância na Ilha, fazendo dobradinha com a Austrália (Oceania), na edição de agosto da revista.
Neste mês de julho, então, focamos nos outros países asiáticos, levando em consideração as provas que contam com selo ouro, prata ou bronze da IAAF, o que garante uma segurança maior para a viagem.
Esse "foco" da Wanda Group e da WMM na Ásia justifica-se pelos números. Somente em território chinês são 1,371 bilhão de moradores atualmente. Sem falar em grandes empresas que têm sede no continente, em países como a Coreia do Sul, Singapura, Hong Kong e Taiwan (os Tigres asiáticos, que a partir da década de 1970 atingiram um acelerado desenvolvimento industrial e econômico). As quatro contam com maratonas apresentadas nesta reportagem.
Inserido nesse ambiente, o mercado de corrida é realmente enorme na Ásia, superior inclusive ao dos Estados Unidos em termos de números e faturamento nos dias de hoje. Tanto que marcas como Asics, Mizuno e Adidas têm produtos específicos e exclusivos para os corredores dessa região, principalmente falando em tênis. A Skechers fatura proporcionalmente mais na Ásia do que nos EUA, para citar outro dado do poderio do continente e do motivo desse crescimento das Majors para a área.
Não são viagens fáceis. Há toda a questão do fuso horário em relação ao Brasil (superior a 10 horas na maioria dos casos) e dos longos deslocamentos aéreos (com a melhor opção de se fazer uma parada de alguns dias no local de conexão, que pode ser via Oriente Médio, Estados Unidos ou Europa). Sem falar no custo da passagem (mas atualmente há promoções para a região). Por outro lado, com exceção do Japão (reforçando que será abordado no próximo mês), os custos de hospedagem e alimentação são bem inferiores aos de uma maratona em terras europeias ou norte-americanas, o que compensa todo esse trabalho de planejamento e organização.
Um fato que não há como alterar é que para correr na Ásia, o ideal é ter pelo menos dez dias de folga, pois serão dois dias de deslocamento na ida e dois na volta (não esqueça do jet lag). Se puder separar 14 dias (duas semanas), melhora consideravelmente. Em termos de experiência (cultural, de turismo e de vida), independentemente do local e maratona escolhidos, será uma viagem inesquecível. Isso não há qualquer dúvida.
Seguindo então essa tendência, separamos 15 maratonas (algumas com opções de meias e de outras distâncias menores, como 10 km) pela Ásia, com destaque para a China, Coreia do Sul e Singapura, mas incluindo também o Sri Lanka, a Tailândia e a Coreia do Norte, um dos países mais fechados do mundo na atualidade, com a Maratona de Pyongyang (talvez a única oportunidade para turistas conhecerem o dia a dia dos norte-coreanos sem tanta dificuldade na obtenção do visto, já que a prova conta com 1 mil estrangeiros, ou seja, um quinto dos visitantes do país anualmente!

Publicidade


Angkor Empire Full Marathon & Half Marathon
6 de agosto (CAMBOJA)
http://www.angkorempiremarathon.org/


O passeio pela Ásia começa pelo Camboja, mais especificamente pela região de Angkor, que tem um complexo arqueológico com mais de mil templos históricos e 400 quilômetros quadrados. O ponto de partida da viagem deve ser a cidade de Siem Reap, com toda a infraestrutura para os turistas (é o principal destino turístico do Camboja). Angkor está distante apenas 20 minutos de bike, 1 hora correndo ou bem menos de "tuk tuk" (os tradicionais triciclos motorizados com cabine para dois ou mais passageiros).
Os dois principais templos são o Angkor Wat, o maior monumento religioso do mundo, e o Angkor Thom, a última capital do império. Ambos ficam a uma distância de 7 km do centro de Siem Reap. Nem é preciso dizer que será uma maratona ou meia-maratona mágica, pois é nesse ambiente que o percurso está localizado.
O trajeto da maratona é uma volta ao passado. O ponto de largada e chegada (incluindo também os 21 km) fica nas ruínas de Angkor Wat, mais especificamente diante do Santuário Central. O Palácio Real e diversos templos estão espalhados ao longo da prova, em vistas de tirar o fôlego. Caso ainda não tenha visitado os sítios arqueológicos, o fará correndo. Fica, inclusive, a dica de deixar a emoção para o dia da corrida e, depois, durante a semana, alugar uma bicicleta para refazer o passeio pela região, "soltar" a musculatura, apreciar o visual e cansar de tirar fotos!
O site oficial é extremamente completo, com mapas, informações, regulamento e opções de pacotes turísticos, tudo em inglês. A maratona larga às 4h30 (com limite de 6 horas) e a meia-maratona, às 6h (com limite de 3 horas).


Taiyuan International Marathon
10 de setembro (CHINA)
http://www.tymarathon.org/


Na sequência das provas na Ásia, três paradas na China, que concentra a maioria das provas dessa relação. A primeira maratona é em Taiyuan (não confundir com Taiwan), capital da província de Shanxi (também conhecida como Xanxim ou Shansi).
A província de Shanxi é o local preferido pelos arqueólogos, que encontraram evidências de assentamentos humanos com dezenas de milhares de anos. A beleza natural da área deve ter sido uma atração para os antigos moradores.
Taiyuan foi fundada há mais de 2.500 anos. Situado no meio do Rio Amarelo, tornou-se uma potência industrial e a base da indústria de carvão da China. Por sua posição no norte, foi uma base militar estratégica, mas hoje em dia, devido à abundância de recursos naturais, se transformou em uma cidade fortemente industrializada. Em meio à modernização, tem templos, grutas e marcos antigos que remontam a uma época em que se chamava "Cidade do Dragão" pela poderosa dinastia Tang (618-907 d.C.).
Grande parte do trajeto da maratona (há opção também de 21 km e de distâncias menores) ocorre ao longo do Rio Amarelo, nas duas margens, com diversas subidas. Há uma descida íngreme nos quilômetros iniciais e, depois, os corredores vão subindo gradualmente até próximo do km 40, quando descem até a chegada. Tem percurso certificado e selo bronze da IAAF.


Beijing International Marathon
17 de setembro (CHINA)
http://www.beijing-marathon.com


Com selo ouro da IAAF, a Maratona de Pequim (Beijing) é uma das principais candidatas a entrar na série das Majors, com a expansão para a Ásia. Ao lado de Singapura, surge como "nome" certo. A questão apenas é saber quando ocorrerá a inclusão. A decisão é esportiva e também, claro, fortemente econômica. Na edição do ano passado, foram quase 29 mil concluintes.
O trajeto tem pouca variação altimétrica (subidas e descidas curtas). O que realmente pode atrapalhar é a poluição da capital chinesa (algo que afastou inclusive maratonistas da Olimpíada de 2008, vencida pelo queniano Samuel Wanjiru, já falecido, com um desempenho épico, com o recorde olímpico de 2:06:32 - ele morreu três anos depois, em 2011, aos 24 anos). Na época, o recordista mundial, o etíope Haile Gebrselassie, foi um dos atletas que se recusou a correr em Pequim.
Beijing é o centro político, cultural e intelectual da China. Com um passado imenso, encontra-se muito bem representada nas listas do Patrimônio Mundial da Unesco, com monumentos impressionantes, como a Cidade Proibida, a Grande Muralha, o Palácio de Verão ou o Templo do Céu. Com isso, é um dos destinos turísticos mais visitados do mundo (outro fator que chamou a atenção dos organizadores da World Marathon Majors).
No Parque Olímpico concentram-se as "novidades" no cenário urbano, como o Estádio Ninho de Pássaro (palco das provas de atletismo em 2008). A gastronomia pode ser dividida entre o tradicional (como o Pato de Pequim e outras iguarias chinesas) e a voltada para estômagos fortes, nas barracas de rua de Wangfujing (cavalos-marinhos e escorpiões estão entre as iguarias dos cardápios, por exemplo). Mas melhor deixar essa aventura para depois dos 42 km.
Por sinal, o Parque Olímpico (na Celebration Square) é o ponto de chegada da maratona, que tem largada às 7h30 na Tian'anmen Square. O site oficial tem opção de inglês e as informações necessárias para os corredores, incluindo sugestões de hospedagem.


Hengshui Lake International Marathon
23 de setembro (CHINA)
http://www.hengshuimalasong.com/edefault.aspx


O Lago Hengshui é o segundo maior de água doce do norte da China, cobrindo uma área total de 75 quilômetros quadrados ao sul da cidade de Hengshui, na Província de Hebei.
O azul da água contrasta com o colorido dos diversos pássaros que habitam os pântanos de junco, incluindo cisnes, pelicanos, gansos selvagens e gaivotas.
Claro que boa parte da maratona ocorre na beira da água, com o percurso sendo em sua maioria plano. Há algumas pequenas subidas e duas grandes descidas, uma na primeira metade e a outra nos quilômetros finais.
O site é básico e de fácil navegação, com informações em inglês, mas com o mapa e algumas informações vinculados às imagens em chinês.


Colombo Marathon
8 de outubro (SRI LANKA)
http://srilankamarathon.org/


O Sri Lanka, conhecido como a "Pérola do Oceano Índico", está se desenvolvendo rapidamente e se tornando um destino ideal para atividades recreativas. O clima tropical, praias de areia branca e águas quentes, numerosas áreas navegáveis pelo interior do país, e as paisagens pitorescas e desafiadoras contribuem para torná-lo um dos melhores destinos da Ásia.
A última atração adicionada à longa lista de atividades da ilha é a maratona Colombo. A edição do ano passado reuniu 7,5 mil corredores, incluindo 250 estrangeiros de 43 países, de acordo com dados apresentados pelos organizadores.
A prova tem um percurso favorável, tanto que o limite de conclusão é de 5 horas nos 42 km e de 3 horas nos 21 km. Há ainda a opção de uma corrida de 10 km. O site é bem completo e traz toda a história tanto da prova quanto do Sri Lanka.


Shangai Marathon
12 de novembro
http://www.shmarathon.com


Shangai ou Xangai é a representante de uma China com face bem ocidental. A distância de Pequim (quase 1,8 mil km) impacta nessa característica. Hoje, dos dois lados do Rio Huang Pu, empreendimentos imobiliários ultramodernos elevam os valores do metro quadrado, seguindo o mesmo caminho de Hong Kong.
Restaurantes refinados, hotéis luxuosos, galerias de arte e bares se destacam, em uma vida cultural que não perde em nada para as grandes metrópoles do mundo.
O roteiro básico por Shangai passa obrigatoriamente pelo Bund, o calçadão na beira do rio com edifícios bancários coloniais, consulados e hotéis. Os passeios podem ser feitos de dia ou, principalmente, no horário noturno, para observar a iluminação dos arranha-céus e torres da cidade.
O passeio público junto ao Rio Huang Pu é bastante agradável e uma viagem pela história da arquitetura e expansão urbanística do local. Suba depois até os 400 metros de altura das plataformas de observação do Jinmao Tower, antes de dar um pulo nos Jardins Yuyuan, na Cidade Velha. O Bairro Francês e o Shanghai Museum são outras atrações.
A maratona é ponto a ponto, ou seja, com largada às 7h no Bund Bull e chegada no Shanghai Stadium (vale o mesmo para a meia-maratona). Uma boa parte do trajeto dos 42 km é percorrida na beira do Rio Huang Pu, além de passar por alguns dos pontos turísticos da cidade.


Bagan Temple Marathon
25 de novembro (MIANMAR)
http://bagan-temple-marathon.com/


Escondido no centro de Mianmar e abrigando mais de 2 mil templos, a beleza de Bagan e seu significado histórico são insuperáveis. Prédio sagrados e belos templos estão espalhados pelas planícies, criando uma paisagem mística e marcante. Dessa forma, o trajeto da maratona levará os corredores em uma viagem de descoberta para essa terra atraente e intocada (era um país fechado há pouquíssimo tempo), que agora começa a ser abrir para os turistas.
Com trajeto relativamente plano, segundo a organização, a rota dos 42 km leva os corredores através de um "país das maravilhas dos templos e das pequenas aldeias", onde se tem a sensação de que o tempo parou. Mas o calor e a poeira são desafios para os participantes da Bagan Temple Marathon. Por outro lado, a beleza natural e das construções, os aldeões amigáveis e a atmosfera de um mundo desconhecido tornam essa maratona única e a mais exótica dessa relação especial na Ásia.
O limite de conclusão da maratona é de 7 horas. Além disso, os corredores têm um ponto de corte de 5 horas no km 27. Quem não de adequar às regras, será impedido de continuar e conduzido até a linha de chegada pela organização.
O clima em novembro é quente e úmido em Bagan, com a temperatura média atingindo os 30°C. A prova começa e termina no Templo de Htilominlo, construído em 1211 e conhecido pelas esculturas de gesso.


Penang Bridge International Marathon
26 de novembro (MALÁSIA)
http://www.penangmarathon.gov.my/portal/


Penang é um dos 13 estados da Malásia, localizado na costa noroeste da península malaia e banhado pelo Estreito de Malaca. O estado tem uma ilha com o mesmo nome. George Town, capital da ilha, concentra a maior parte das casas históricas, britânicas e chinesas. Já Batu Ferringhi é a praia mais badalada, com vários resorts de luxo.
Dois dados interessantes da prova referem-se ao horário das largadas (1h30 para a maratona e 3h para a meia dos homens e 3h15 para a das mulheres). O limite é de 7 horas para os 42 km e de 3h45 para a conclusão da meia. Há ainda provas de 10 km para crianças e adolescentes e para adultos, além de uma Family Run de 8 km.
A prova larga na Ilha de Penang, em frente ao Queensbay Mall, e se dirige para o continente, com os corredores percorrendo toda a First Bridge nos dois sentidos, ou seja, ida e volta. A ponte permanece fechada para o tráfego de veículos da meia-noite até às 10h (há outra de acesso à ilha). As mudanças que existem na altimetria referem-se aos acessos à ponte. O evento é bem organizado e conta com grandes patrocinadores, incluindo a Asics e a Seiko.
Não há dificuldade para chegar a Penang. O aeroporto internacional tem bastante movimento, sendo servido por inúmeras companhias aéreas asiáticas, incluindo as de baixo custo. Em termos turísticos, três a quatro dias serão suficientes para visitar a região, incluindo os templos, mesquitas e igrejas, além do Parque Nacional de Penang.


Taipei Marathon
2 de dezembro (TAIWAN)
http://scbmarathon.com/en/


O passeio por provas asiáticas chega à Ilha de Taiwan, um local multicultural e que fica a 90 minutos de avião de Hong Kong e a duas horas e meia de Tóquio e Seul. Na ilha povoada por tribos de aborígines austronésios, marinheiros holandeses construíram portos no século 17. Entre 1629 e 1641, as tropas espanholas situadas nas Filipinas tiveram uma presença estável no local. Assim, todo esse contraste étnico está presente até hoje na região, que anualmente cresce no turismo.
Entre os principais pontos turísticos de Taipei destacam-se o Monumento a Chiang Kai-shek, o Monumento a Sun Yat-sen, o Museu do Palácio Nacional, o Templo Longshan, o Mercado Noturno de Shilin, o Rio Tamshui, o Parque Nacional Yan Ming Shan e o Taipei 101 (um edifício com 101 andares e uma ampla vista no observatório).
A Maratona de Taipei (com opção também de 21 km e 10 km) tem longas retas, mas também inúmeros vaivéns... principalmente no miolo. Então, caso opte por fazer a prova, se prepare mentalmente para isso durante os treinamentos, pois irá passar pela mesma via por longos quilômetros vendo os corredores no outro sentido. Os 42 km são ponto a ponto, ou seja, com largada no Ketagalan Boulevard e chegada na Dazhi Bridge. Há hidratação com água, isotônico e suplementos, além de banheiros químicos, a cada 2,5 km a partir do km 5 da maratona.


Singapore Marathon
2-3 de dezembro
https://singaporemarathon.com/


Chegamos à segunda prova que cresce de importância pelos eventos ocorridos nos últimos anos. Primeiro, recebeu o selo Gold da IAAF em 2016 e, agora, com o projeto de expansão das Majors, a Maratona de Singapura passa a ser a principal favorita para ser mais uma representante asiática no circuito, depois da entrada de Tóquio.
Os atrativos começam a partir da estrutura da cidade-estado. Singapura se destaca por ruas limpas e organizadas, transporte público excelente, inúmeros e modernos shoppings. Trata-se de uma metrópole no nível de Nova York e Tóquio. Claro que tudo funciona, também, pelo controle rígido, na base de leis, regulamentações e multas (nem pense em atravessar fora da faixa de pedestres ou jogar chiclete no chão, por exemplo).
Em termos de viagem do Brasil, o fuso é de 11 horas em média e a Singapore Airlines tem rotas para a região (mas não há voos diretos). Outras companhias também trabalham na região, com o aeroporto internacional sendo um ponto de entrada tanto no sudeste asiático como para oriente, Japão e China. Uma das principais atrações do local é a variação da gastronomia, com escolas chinesa, tailandesa, vietnamita, indonésia e malaia.
O distrito Colonial e Financeiro de Singapura é o centro comercial do país e possui uma visível influência britânica. Em contraste com esse passado, temos grandes e modernos edifícios. Um dos pontos turísticos mais visitados é o Haw Par Villa, um parque mitológico chinês.
Tradicionalmente, a Maratona de Singapura é realizada sempre no primeiro final de semana de dezembro. O percurso é plano, sem dificuldades, porém, trata-se de uma prova quente e úmida, o que pode impactar no desempenho. São 16 pontos de hidratação/alimentação ao longo dos 42 km. A prova vem crescendo anualmente e atraindo mais estrangeiros. Os participantes passam por algumas das partes mais bonitas da cidade, percorrendo atrações como Clarke Quay e Chinatown antes de terminar em Padang. Há opções também de 21 km e 10 km. O site oficial é bem completo e de fácil navegação, todo em inglês.


Macau Marathon
3 de dezembro de 2017
http://www.macaumarathon.com


Os atrativos de Macau começam pela parte histórica. Devido ao fato de ter sido uma colônia de Portugal, a língua portuguesa ainda é falada, incluindo as informações no site oficial da prova (que tem opções também de chinês, espanhol e inglês). Assim, a comunicação está longe de ser um problema.
A antiga colônia comercial portuguesa retornou à administração chinesa em 1999 e, a partir desse momento, aproveitando o status como região administrativa independente, vem explorando ao máximo o potencial turístico. Redes de cassinos famosos como o Sands e o Venetian desembarcaram na região e, hoje, Macau ultrapassou Las Vegas em termos de faturamento e lucratividade na indústria do jogo. Em termos turísticos, as ilhas de Taipa e Coloane, o Museu de Macau e o centro histórico (patrimônio da humanidade pela Unesco) são as principais atrações.
O evento esportivo é patrocinado pelo Galaxy Entertainment Group, uma empresa de investimentos em cassinos e hoteis. Ou seja, dinheiro não falta. A maratona passa por diversas regiões de Macau, como a Península, Taipa e Coloane (as duas ilhas que compõem a região), ou seja, percorre todas as áreas mais bonitas. A primeira edição foi realizada em 1981 e, a partir de 1990, a maratona passou a integrar o calendário da AIMS.
A prova tem largada e chegada no estádio do Complexo Olímpico. Desde 1998, três corridas são realizadas em cada edição: a maratona, a meia e uma mini de 6,5 km. O número de participantes ainda é pequeno, com cerca de 700 concluintes nos 42 km. Com trajeto plano e sem dificuldades, a sensação em boa parte é de leve descida, segundo os organizadores.


Hong Kong Marathon
21 de janeiro de 2018
http://www.hkmarathon.com


Seguimos na mesma região da Ásia, mas especificamente no lado de colonização britânica, em Hong Kong, que recebe uma maratona bem organizada e com selo prata da IAAF. Uma das tradições da prova é a presença de equipes de empresas e organizações que disputam uma premiação extra, mas o mínimo exigido para entrar na "briga" é de 100 inscritos por grupo.
Para quem se interessou pela maratona (há também a opção de 21 km e 10 km), a altimetria não será um problema, porém, devido ao alto nível de umidade e à temperatura elevada, a média de conclusão dos 42 km acaba sendo bem mais alta, em comparação com outras corridas do mesmo nível. Como exemplo, o recorde do percurso é de 2:11:27 no masculino e de 2:30:12 para as mulheres.
Trata-se de uma maratona ponto a ponto, com largada em Nathan Road (perto do Hotel Mira) e chegada no Victoria Park, depois de um tour por Hong Kong, passando pelas pontes Ting Kau e Tsing Ma, Victoria Habour e Hong Kong Convention & Exibit Center.
No total, o limite é de 17,5 mil participantes e a maratona tem largada em três ondas (6h10, 6h35 e 7h, com a divisão sendo feita conforme o tempo em outra maratona ou pela previsão de conclusão, o que deve ser inserido no ato da inscrição). Todas as regras estão especificadas no site oficial, em inglês. O limite de conclusão dos 42 km é de 6 horas.
Joia da coroa britânica até 1997, quando retornou à administração da China com o status de região administrativa independente (possui alfândega, sistema político, moeda e imigração próprios, por exemplo), Hong Kong une com perfeição o oriente (com a tradição milenar chinesa) e ocidente (com modernos e iluminados edifícios, por exemplo, que podem ser apreciados em passeios de barco pela baía Vitória). O transporte público é muito eficiente e a melhor forma de se locomover pela cidade, além das caminhadas sem destino, claro.
Caso opte por correr a Maratona de Hong Kong, depois da prova não deixe de visitar alguns dos mercados locais e os restaurantes tradicionais e internacionais, além de subir no The Peak, o ponto mais alto da ilha e de onde se tem uma vista completa da região. Lembrando que, em média, a diferença de fuso horário para o Brasil é de 9 horas, o que exige uma boa programação da viagem para que o jet lag não atrapalhe o desempenho na corrida.


Seoul Marathon
Março de 2018
http://www.seoul-marathon.com


Chegamos agora à Coreia do Sul, mais especificamente na capital Seul, que organiza uma maratona com selo ouro da IAAF, trajeto predominantemente plano, alto nível técnico e limite de conclusão de 5 horas. Ou seja, fica claro que é uma prova para a quebra de recordes pessoais caso, o clima seja também um aliado, o que costuma ocorrer no mês de março, quando é realizada a prova.
A largada ocorre na Gwanghwamun Plaza (diante da Statue of Admiral Yi Sun-Sin) e a chegada dentro da pista de atletismo Estádio Olímpico de Jamsil, complexo que recebeu a Olimpíada de 1988. O trajeto faz um tour pela cidade, sendo muito arborizado e com belas vistas. Nos primeiros 17 km há vários vaivéns, mas depois o trajeto segue com poucas curvas e muitas retas.
A prova teve início em 1999, justamente para comemorar a década da realização da Olimpíada de 1988 e preservar o espírito do evento. Rapidamente, cresceu para o limite de 35 mil corredores (sendo 20 mil para os 42 km) e atualmente é a maior maratona da Coreia do Sul. Há opção também de 10 km.
Seul une o tradicional e o moderno. Com os moradores viciados em trabalho e internet, games e a vida pop, a cidade vem crescendo em proporções incríveis seguindo o ritmo do enorme desenvolvimento econômico do país. A cidade está toda modernizada, com projetos como o de recuperação do Rio Han que corta Seul.
Outro importante marco é o portão Namdaemun (Sungnyemun), um símbolo construído no século 14. Seul possui dois sítios listados com Patrimônio da Humanidade pela Unesco: o Palácio Changdeonkgung e o santuário Jongmyo.
Karaokês, gigantescos centros de jogos, partidas de beisebol e futebol, e boa comida incluem as atrações de Seul, mas também prepare-se: no cardápio estarão os pratos com carne de cachorro.


Pyongyang Marathon
8 de abril de 2018 (COREIA DO NORTE)
http://pyongyangmarathon.com/


Essa talvez seja a maratona mais complexa para participar, desta série pela Ásia e, ao mesmo tempo, uma oportunidade única para conhecer por meio do esporte um país ditatorial, fechado e que vive intensificando o clima de tensão com ameaças de ataque nuclear na região, principalmente à vizinha Coreia do Sul.
O fato é que a Maratona de Pyongyang ocorre desde 1981, sempre no mês de abril e volta a contar com o selo bronze da IAAF. Em 1984, as mulheres puderam correr pela primeira vez (ano de estreia também delas nos 42 km da Olimpíada, em Los Angeles). Atualmente, está aberta para estrangeiros. Há opções também de meia-maratona e de 10 km.
O novo trajeto irá estrear na edição de 2018, contemplando mais o centro da cidade e passando por locais emblemáticos de Pyongyang e da Coreia do Norte, todos ligados à ditadura do país. A largada ocorre no Estádio Kim II-sung (incluindo antes uma volta completa na pista de atletismo), seguindo depois pela Torre da Amizade, Arco do Triunfo, Torre de Vida Eterna e a Universidade de Kim II-sung, sempre ao lado do Rio Taedong. A chegada é no mesmo estádio da largada, lotado por 50 mil norte-coreanos e com as principais autoridades do país na tribuna de honra.
A prova é plana e os tempos de conclusão, muito baixos (talvez os mais baixos de todo o mundo). Assim, é de 2 horas para os 10 km, 2h30 para a meia-maratona e de 4 horas para a maratona! Devido às restrições para entrar e sair da Coreia do Norte, não é possível participar na Maratona de Pyongyang sem fazer parte de um grupo de turismo organizado. A agência oficial do evento é a Koryo Tours, com link direto no site oficial (que é extremamente completo e em inglês).


Laguna Phuket Marathon
9 e 10 de junho de 2018 (TAILÂNDIA)
http://phuketmarathon.com/


Não poderíamos encerrar a relação das 15 provas dessa série especial pelo Continente Asiático sem passar pela paradisíaca Tailândia, mais especificamente a Laguna Phuket Marathon, prova que vem crescendo anualmente, tanto que desde 2016 é realizada em três dias. Entrega dos kits na sexta-feira; almoço de massas e provas de 2,5 km, 10 km e 5 km no sábado à tarde e a maratona (largada às 4h30) e meia-maratona (início às 5h30) no domingo.
A largada e a chegada ocorrem em Laguna Grove, na estância de Laguna Phuket, com um percurso plano e um verdadeiro cartão-postal da costa da Tailândia, passando por um tradicional mercado de aldeia tailandês, plantações, praias e vista total para o mar, além de trechos ao longo de campos de arroz. O contato com a natureza é intenso em grande parte da maratona e da meia.
Maior ilha da Tailândia, Phuket foi descoberta pelos árabes entre 880 e 916 d.C. É formada por uma infinita cadeia de magníficas baías, com praias e palmeiras, onde a vista se estende mar adentro, passando pelas pequenas ilhas da região. O site oficial, todo em inglês, traz informações completas, incluindo mapas do percurso e dicas de hospedagem.


Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados