Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

Sensação de febre; Dor no calcanhar; Náuseas; Tendão de Aquiles

Edição 166 - JULHO 2007 - JOSÉ MARQUES NETO


SENSAÇÃO DE FEBRE
É possível, após uma seção de treinos ou exercícios cansativos, ficar como uma sensação de febre? Em caso positivo, por que isso acontece?
Ronaldo Carneiro, São Paulo, SP


Quando praticamos alguma atividade física de moderada intensidade, nosso corpo produz uma grande quantidade de calor, fruto do trabalho muscular, que deve ser dissipada para mantermos nossa temperatura corporal dentro de limites fisiologicamente seguros. Uma das maneiras que o corpo humano lança mão para seu resfriamento é a produção de suor e sua evaporação da superfície da pele. Quando isso ocorre, as gotículas de suor evaporadas carregam com elas uma quantidade de calor, e dessa forma produzem o resfriamento desejado. Enquanto este mecanismo está acontecendo, nossa temperatura corporal sobe um pouco e, portanto, sentimos essa sensação de febre que você faz referência. O problema reside quando não permitimos que nosso corpo lance mão dos mecanismos de regulação térmica necessários para o equilíbrio da temperatura, o que pode trazer conseqüências desastrosas para o praticante de exercício físico. Dessa forma, esteja atento à reposição hídrica adequada, uso de roupas confortáveis, local de treino e temperatura/umidade ambiente durante seus treinos e provas.

Publicidade


DOR NO CALCANHAR
Gostaria de um parecer a respeito de uma dor no calcanhar, mais precisamente no tendão de Aquiles, que me acompanha há bastante tempo. No inicio era apenas a dor, e que logo após os treinos e provas ficava intocável, mas que depois passava. Agora percebo, além da dor, um repuxar do nervo quando estou correndo e um inchaço após, com dor latente. Faço compressa de gelo, sinto melhora e volto a correr, porém a dor volta. Minha pisada desgasta o tênis pelo lado externo do calcanhar e por essa razão pensava ser supinador leve; mas indo em uma loja especializada, foi informado que tenho pisada neutra. Tenho pernas arcadas, e quando criança sofri um acidente onde tive um corte profundo, lado externo, logo abaixo do joelho. Não seriam estes fatores que forçam o nervo, causando seu stress e conseqüentemente inflamação?
Jorge Lienart Gomes, Cariacica, ES


Não acredito que o repuxar que você está sentindo na região do tendão de Aquiles seja um nervo, e sim o próprio conjunto músculo-tendão. O nervo não apresenta extensibilidade significativa e, portanto, não poderia ser repuxado. Você tocou numa questão interessante acerca de possíveis fatores contribuintes para o desencadeamento da tendinopatia de Aquiles, e isso envolve a biomecânica do movimento do pé humano. A velocidade do movimento de pronação-supinação do pé é causadora da torção do tendão, contribuindo para seu enfraquecimento e surgimento de lesões. Quanto maior esta velocidade, mais rápido se dá este movimento torcional. As pernas arqueadas, condição chamada de tíbia vara, intensificam a velocidade da torção do tendão, e é possível que no seu caso isso esteja contribuindo para a manutenção do quadro clínico, mais do que este corte sofrido quando jovem. Converse com um ortopedista a respeito do uso de alguma palmilha compensadora para minimizar este problema.


NÁUSEAS ANTES OU DEPOIS
Estou sentindo desconforto antes e depois das corridas. Já tentei correr em jejum, mas depois, ao me alimentar, sinto náuseas e má digestão. Se corro pouco depois de me alimentar sinto náuseas mais fortes. O que devo fazer para acabar com esses sintomas de desconforto nas corridas?
Agatha Macedo S. de Oliveira, via email


Não creio que seja melhor você correr em jejum, mesmo que esteja sentindo estas náuseas mais fortes. Talvez o tipo de alimento que esteja comendo antes e após as corridas não seja o mais adequado. São alimentos sólidos ou líquidos? Contêm muita gordura? São alimentos de fácil digestão? Não está exagerando na quantidade? Você não possui nenhuma doença de base importante, como diabetes ou hipotireoidismo, que ainda não tenha sido diagnosticada ou tratada adequadamente? Creio que visitas a um clínico geral e a um nutricionista são fundamentais nesta fase em que você se encontra para elucidar melhor suas queixas.


TENDÃO DE AQUILES
Tenho 57 anos, corro há 28 e já completei 23 maratonas. Desde o ano passado sentia um incômodo no calcanhar esquerdo e resolvi consultar um médico. A ressonância pedida constatou "Entesopatia e tendionopatia distal do calcâneo". Aí começou o meu calvário; depois de um período de repouso fui aos poucos voltando, com a orientação do treinador Ricardo Arap, que com seu carinho e atenção muito tem me ajudado. Já se passaram 4 meses desse retorno, sempre mantendo o uso de gelo e ultra-som, e afirmo que melhorei, mas não estou curado, e ainda continuo na fisioterapia. Se corro menos de 1 hora, nada sinto, mas se passo de 1h30 sofro de novo o tal incômodo. Pela manhã, antes de Levantar, tenho de alongar ainda na cama, senão sinto a dor. Só que ao apertar a região não dói e mesmo quando bato o pé no chão. Recentemente li uma resposta nesta seção em que o sr. dizia que tal lesão não tem cura. É isso mesmo? Tenho acompanhado seus artigos e vejo bastante coerência em suas opiniões. Certo que não ficarei sem resposta, aproveito para realçar a sua enorme contribuição aos corredores de rua, que muitas vezes não podem ter esses chamados planos de saude e usam de seu conhecimento transmitido por esta sensacional revista.
Celso Ferreira Barbosa, Vitória, ES


Achei interessante sua descrição da lesão que lhe incomoda há 4 meses, como um incômodo que você sente ao acordar e ao correr distâncias superiores a uma hora. Seu quadro clínico e o resultado de exame de imagem confirmam seu diagnóstico: tendinopatia e entesopatia distal do tendão calcâneo, ou tendão de Aquiles, que se traduz por um processo de degeneração deste tecido. Costumo dizer que existe um controle do processo, e não uma cura propriamente dita do problema, fato que continua a frustrar toda a equipe médico-esportiva. A literatura científica traz algumas teorias para o que realmente ocorre nesta situação, que incluem deficiência no suprimento sangüíneo do tendão ou substâncias nocivas precipitadoras do impulso da dor no local. De qualquer forma, o tratamento muitas vezes não resolve os sintomas do corredor. Creio que deva continuar com as sessões de fisioterapia, porém restrita à cinesioterapia, ou seja, exercícios de alongamento e fortalecimento da região, e enfatizando os exercícios de contração excêntrica. Tente utilizar uma calcanheira para elevar a porção do calcanhar e assim diminuir a sobrecarga de tensão sobre a panturrilha e o tendão calcâneo. Não desanime e boa sorte.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados