Revista Contra-Relógio
// Nutrição //

Qual é a melhor dieta para o corredor emagrecer?

Edição 269 - FEVEREIRO 2016 - ANDREIA TORRES

São muitas as opções, cada uma com seus prós e contras. Conheça e decida-se!

Passou Natal, ano novo, carnaval e muitos corredores agora querem ficar mais leves para obter melhores resultados nas corridas do resto do ano. Mas qual é a melhor estratégia para a redução do peso e, principalmente, do percentual de gordura?
Se você fizer uma busca rápida na internet encontrará muitas promessas: dieta do abdome, Atkins, do tipo sanguíneo, Dukan, Body for Life, da sopa, de Cambridge, da USP, Fit for Life, combinação de cores, dieta protéica, vegetariana, líquida, mediterrânea, orgânica, Ornish, macrobiótica, pirâmide, pontos, vigilantes do peso, restrita em carboidratos, alta em gordura, dieta da sopa, entre outras. É muita dieta! Mas qual é a melhor?
Preocupados com o dilema, pesquisadores vem publicando nas revistas científicas mais prestigiadas do mundo (Jama, American Journal of Clinical Nutrition, New England Journal of Medicine) estudos que tentam elucidar a questão.
Nelas, dezenas de pessoas desejosas em perder peso são inscritas em grupos que seguem dietas distintas quanto à quantidade de carboidratos, proteínas e gorduras. O interessante é que todos os estudos mostraram que os participantes perdem peso igualmente, caso consigam aderir à dieta proposta no seu respectivo grupo. Ou seja, quem começa a dieta vegetariana e segue, emagrece. Os que entram no grupo com o cardápio rico em proteínas e o seguem, a mesma coisa. E isso se repetiu em todos os outros grupos. Já os que não seguiram a dieta proposta para o grupo não emagreceram.
Ou seja, você emagrecerá com qualquer dieta que fizer. Mas para dar certo precisa conseguir seguir a que combina com você, com seus gostos, seu estilo de vida, sua genética, sua rotina, seu treinamento, suas necessidades físicas e emocionais, suas possibilidades financeiras.

Publicidade


ESPECÍFICA PARA CADA UM. Por isto, raramente as dietas das revistas, dos livros, dos amigos, da blogueira vão funcionar para você. Por quê? Porque você é diferente de todos os outros. O primeiro passo então é se conhecer. Existem pessoas que são radicais e funcionam bem assim. Se é para emagrecer preferem cortar tudo o que contribui com calorias extras de uma vez. Chocolates, doces, pizza, cerveja, refrigerantes, industrializados em geral ficam de fora do cardápio. A pessoa às vezes sofre, mas prefere dessa forma e acaba se adaptando. Afinal, longe dos olhos, longe do coração.
Outras pessoas ficam extremamente ansiosas com dietas tão restritas. Sentem-se em uma prisão alimentar. Preferem que a dieta inclua um bombom após o treino, por exemplo. A guloseima e sua expectativa aumentam a motivação para treinar e para seguir uma rotina alimentar mais saudável nos outros horários.
Muita gente se dá bem com a dieta hiperproteica. Outros corredores sentem-se fracos, o intestino não funciona, ficam mal humorados e desmotivados para o treino. Tem gente que passa bem a noite com uma salada com atum, enquanto outros precisam comer mais ou acordarão de madrugada com o estômago roncando, ficarão ansiosos e abandonarão a dieta em pouquíssimo tempo.
Por isso, saber como seu corpo funciona é importantíssimo. Um bom nutricionista esportivo pode lhe ajudar a montar um plano alimentar que lhe dê energia para os treinos e ao mesmo tempo ajude no seu emagrecimento. Mas vocês precisam ser parceiros, pois nem o melhor cardápio lhe emagrecerá se você não segui-lo. Mas se você chegar neste profissional com muita clareza do que quer e também sobre como sua mente e seu corpo funcionam, essa parceria terá muito mais chances de sucesso.


SEM NUTRICIONISTA. Se você quer fazer seu plano alimentar sozinho, os pesquisadores da área de emagrecimento tem algumas dicas. Primeiramente, estabeleça metas viáveis. Emagrecer até 1 kg por semana é razoável para a maioria das pessoas. Mais que isso já não é, pois lhe deixará sem energia e com dificuldades para treinar e se concentrar em suas outras atividades.
Em segundo lugar respeite ao máximo as dicas que o seu corpo lhe der. Preste atenção (ou anote) o que come e bebe, e observe-se. Sente-se bem ou sem energia para os treinos? Sua digestão está boa ou ruim? Sente dores de cabeça? Como fica seu humor?
A terceira dica é comer quando se tem fome, preferencialmente, coisas nutritivas, que deem suporte ao treino e que tragam maior saciedade.
A última dica é comer lentamente, mastigando bem. Assim perceberá quando a fome for embora. Nessa hora, pare de comer. Por exemplo, se quiser muito comer bolacha recheada, comece com uma maçã. Mastigue bem. A fome (ou o desejo) não foi embora? Peque então a bolacha, olhe para ela, sinta o cheiro, o formato, dê uma primeira mordida e saboreie. Mastigue bem e preste atenção se precisa de outra. Essa técnica evitará que coma o saco inteiro sem perceber...

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados