Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

Problema na coluna; Tendinite na coxa; Artrite psoriática; Perna mais curta; Várias lesões; Pata de ganso; Dores no abdome; Metatarsalgia e muito mais; Fortalecimento lombar

Edição 180 - SETEMBRO 2008 - JOSÉ MARQUES NETO


PROBLEMA NA COLUNA
Estou vivendo um dilema. Tenho 43 anos e fui atleta na Marinha (desde 1983), tendo participado de várias competições internas, na modalidade do salto em distância. Por volta de 1996, comecei a sentir muitas dores lombares durante os treinamentos e, principalmente, após as competições. Em função disso, tive que parar com essa atividade depois que passei uma semana sentido muitas dores nas pernas e região lombar, a ponto de não conseguir dar um passo sequer. Fiz consultas, mas os médicos não detectaram que eu tinha espondilolistese. Em 2003, fiz uma ressonância magnética, o exame constatou essa doença. Resultado: estou sendo aposentado, por falta de aptidão física para as atividades militares, mas, gostaria de saber se esse problema pode ter sido causado, ou ter sido desencadeado pelas atividades físicas que eu tinha. Há alguma relação? Como faço para ter um parecer específico acerca desse problema?
J.B.Moura, via e-mail


Sem dúvida que não podemos descartar uma possível ligação entre o seu problema atual e as atividades que você desenvolvia nos tempos da Marinha. A espondilolistese é um escorregamento entre duas vértebras que ocorre devido a uma lesão, ou enfraquecimento, ligamentar da coluna vertebral e implica em uma possível instabilidade da mesma, por isso a importância do constante acompanhamento clínico e radiológico. Tanto o neurocirurgião quanto o ortopedista especialista em coluna podem lhe ajudar quanto ao parecer específico que você busca.

Publicidade


TENDINITE NA COXA
Há quatro meses estou tratando de uma lesão, que foi diagnosticada pelo meu ortopedista como "tendinite da raiz da coxa esquerda, com predominância no adutor longo". Faço fisioterapia constantemente em clínica e na minha casa, com alongamentos específicos, aplicação de gelo, além dos aparelhos de calor profundo e relaxamento muscular; concomitantemente fiz uso de antiinflamatórios. Minha preocupação: apesar da continuidade do tratamento por todo esse período, praticamente não obtive melhora alguma. Tenho 46 anos de idade e gosto de praticar esportes, principalmente futebol. Estou preocupado com a dor que continua quando faço esforço físico mais acentuado (abertura da perna). O que devo fazer? Quero voltar a praticar esportes!
Gilberto Lima, por email


Você infelizmente sofreu o que chamamos de mioentesite, ou seja, uma inflamação da interface tendão/músculo em um dos músculos adutores da coxa (adutor longo), responsável pela aproximação da coxa junto ao corpo. São lesões de difícil tratamento, pelo aspecto recorrente da mesma, que necessitam de tempo para cicatrizar. Seu tratamento está correto, mas talvez você deva realizar um condicionamento físico e muscular muito criterioso e progressivo antes de retornar às suas atividades físicas. A acupuntura talvez lhe traga melhores resultados analgésicos e, posteriormente, recorra ao treinamento de força, que pode ser a musculação.


ARTRITE PSORIÁTICA
Em 2005 foi constatado, através de cintilografia óssea, que tenho artrite psoriática nas articulações sacro-ilíacas, e desde então tomo medicamento (leflunomida), e tenho o problema sob controle. Atualmente pratico futebol society uma vez por semana, corro também semanalmente, e faço academia 2 vezes/semana. Faço regularmente acompanhamento com reumatologista e cardiologista. Gostaria de saber qual o melhor tipo de piso para correr, no meu caso? Até que distância devo fazer? Isso pode me trazer complicações futuramente? Qual a marca/modelo de tênis mais indicado para meu uso?
Célio Mazotti, Porto Ferreira, SP


Parabéns pelo seu compromisso com o exercício físico de forma regular e sistemática, apesar de seu diagnóstico de artrite psoriática. Dê sempre preferência ao piso de terra batida para suas corridas em treinamento, mas acredito que você deva aumentar a freqüência semanal que pratica a corrida para três vezes, pois dessa forma seu condicionamento aeróbico receberá estímulo suficiente para uma melhora significativa, porém a quilometragem a ser percorrida dependerá de alguns fatores que seu treinador levará em conta no momento da montagem do seu treino. Não existe um ou outro tênis que seja o melhor, mas sim o melhor para o seu caso, o que é determinado pela forma de seu pé, seu tipo de pisada, e se ele é confortável. A Contra-Relógio freqüentemente publica matérias relacionadas a este tema e os testes que podem ser feitos para esta escolha (veja nesta edição).


PERNA MAIS CURTA
Tenho a perna direita mais curta 0,9 cm e artrose na cervical e lombar. O médico que consultei me orientou a fazer RPG e disse que não preciso de palmilha corretiva. O que vocês acham?
Solange dos Santos Dionísio


O fato de sua perna direita ser mais curta não deve implicar em alguma repercussão clínica significativa, já que discrepâncias de até 1,0 cm são toleradas pelo sistema músculo-esquelético. O uso de palmilha compensatória é uma possibilidade, mas deve ser discutida com o seu médico. A reeducação postural global (RPG) é uma medida fisioterápica que lhe trará algum benefício através do aprendizado de posturas corretas no seu dia-a-dia, mas não como reversão do seu quadro de artrose. Neste caso, o acompanhamento clínico pelo médico é fundamental.


VÁRIAS LESÕES
Tenho 41 anos, e fui atleta de 110 m c/ barreiras durante o serviço militar. Nesse período sofri um acidente com ruptura do fecho do quadrícepes, tendo sido submetido à cirurgia na época. Meu quadro evoluiu para dores constantes, passando para outro joelho; exames de ressonância magnética revelaram condromalácea patelar IV e osteoartrose patelar-fêmuro-tibial lateral, discopatia lombar, abalaulamento discal posterior difuso no nível L-lV, L-V e L-V-S1, obliterando a gordura epidural anterior e tocando a face ventral do saco dural. Gostaria de saber qual a orientação para recuperar minha estrutura muscular e fortalecimento da mesma.
Paulo Rogério de Almeida, Osasco, SP


Sem dúvida que seu histórico de lesões é preocupante e necessita de acompanhamento criterioso por uma equipe multidisciplinar em medicina esportiva, envolvendo médicos, fisioterapeutas e treinadores físicos. Tanto a lesão no joelho, condromalácea patelar grau IV e osteoartrose (sugerindo desgaste da articulação do joelho e comprometimento da cartilagem), quanto a lesão na coluna lombar, discopatia e abaulamentos discais (sugerindo desgaste dos complexos discais) são tratadas conservadoramente no início (não envolvendo cirurgia), mas dependem da evolução do seu quadro clínico. A idéia da recuperação de sua estrutura muscular através do treinamento de força é muita boa e apropriada para esta fase do seu tratamento. Considere a possibilidade de substituir o treinamento em pista por atividades aquáticas durante algum tempo para poupar seus músculos e articulações enquanto você adquire uma melhor condição física. Tenha paciência.


PATA DE GANSO
Sofri uma lesão que acredito seja decorrente de voltar a treinar com intensidade logo após ter concluído bem a Maratona de Porto Alegre (3h37). Comecei a sentir dores no tendão que passa por trás do joelho e que desapareciam durante o aquecimento. Até que um dia não sumiram; parei o treino e fui para casa. Um médico amigo me passou antiinflamatório e marcamos uma ultrasonografia, que deu uma bursa na pata de ganso de 2 x 0,5 cm. Qual deve ser o tratamento? Gelo no local e antiinflamatórios? Estou sem correr e sei que devo esperar a lesão ceder totalmente, mas posso nadar e pedalar se não sentir dores? Posso continuar o fortalecimento muscular, exceto exercícios de flexão da perna?
Sergio Rocha Rodrigues, Jundiaí, SP


A bursite da pata de ganso, que é o diagnóstico pelo seu relato, ocorre pela inflamação de uma estrutura parecida como uma bolsa (bursa), que se localiza sob o conjunto de tendões dos músculos adutores e flexores da coxa, e que se insere na face medial da tíbia (osso da canela), logo abaixo do joelho; ela tem forma parecida como uma pata de ganso, daí o nome popular desta bursite. A bursa se enche de líquido por reação à inflamação e pode ser visualizada em exames de imagem. O tratamento é fisioterápico, com uso de gelo e analgésicos caso haja muita dor. Evite o uso de antiinflamatórios na fase crônica. Creio que deva nadar e pedalar se não sentir dores, e continue seus exercícios de fortalecimento muscular exceto aqueles que lhe causem dor. Retorne devagar aos seus treinos.


DORES NO ABDOME
Tenho 33 anos e sou adepta da corrida faz aproximadamente 1 ano e desde então treino sempre (3 vezes por semana + musculação) e participo de provas (10 km), mas ultimamente tenho sentido uma dor muito incômoda no abdome; ela começa na parte central superior (perto do externo) e vai se intensificando e descendo pelo lado direito do abdome. O interessante é que ela fica forte de tal maneira que parece uma câibra e eu já tive até que andar em uma prova para me recuperar. Agora, para meu desespero, até no treino ela esta aparecendo e me atrapalhando muito; tento controlar e não parar a corrida, mas logo depois ela volta e isso ocorre várias vezes durante um treino de 10 km. Não sei o que pode estar acontecendo; será que tenho respirado de forma errada (tento sempre respirar pelo nariz)? Seria bom fazer algum tipo de exame?
Patrícia Rodrigues, Campinas, SP


As dores abdominais podem resultar de várias causas e afligem mais freqüentemente os novatos na modalidade. A forma como você respira pode estar contribuindo para suas dores. Está respirando muito superficialmente? Você se sente muito ofegante durante seus treinos? Tente respirar de forma mais cadenciada, até mesmo um pouco mais profundamente, utilizando o nariz e a boca para inspirar. As câibras abdominais também podem causar estas dores. Têm se alimentado logo antes dos treinos? O estômago cheio pode interferir no movimento do diafragma, que entra em espasmo e contrações involuntárias. Seu intestino funciona regularmente, pelo menos uma vez ao dia? Como você vê, muitas podem ser as razões para o seu problema. Experimente consultar um clínico geral.


METATARSALGIA E MUITO MAIS
Sinto uma dor no peito do pé, diagnosticada como metatarsalgia na radiografia. Já fiz fisioterapia, aplico gelo, corro com uma palmilha de silicone, a maioria dos trechos é em piso de terra, uso tênis com bom amortecimento e ainda dói. Não me impede de correr, mas incomoda. Não sei se é porque estou na idade do "condor", 58 anos, e já rodei muito; meu odômetro já vai com 84 mil km, em 37 anos de corrida e ainda tenho neuroma de Morton, joanete, esporão, artrite, tendinite, hérnia, uma perna mais curta que a outra, mas vou continuar correndo.
Roberto Neves, Caruaru, PE


A metatarsalgia é um diagnóstico sindrômico (conjunto de sintomas e sinais) que descreve a dor na região plantar da parte da frente do pé, logo antes dos dedos, no mesmo local que o peso do corpo é descarregado no término da passada. Você sente formigamento nesta região? Existem calosidades? Vermelhidão? Você tem pé cavo? O neuroma de Morton é um enovelado de nervos que inflama e causa dor nesta região, podendo explicar sua metatarsalgia. A palmilha que está usando possui uma elevação na parte da frente (piloto metatarsal)? Discuta com seu ortopedista outras medidas fisioterápicas para amenizar seus sintomas.


FORTALECIMENTO LOMBAR
Jogava futebol de vez em quando e praticava corrida regularmente, quando em 2006 tive um problema que aparentemente foi uma simples distensão na coxa direita, mas que acabou revelando outro problema mais sério. Cheguei a tratar o problema da coxa, mas nunca obtive resultado satisfatório. A dor até acabou, mas comecei a ter constante cansaço/fraqueza/dormência na perna direita, principalmente da panturrilha para baixo. Já faz algum tempo também que percebi que minha perna direita tem afinado um pouco, o que me preocupa muito. Fui a vários ortopedistas, sem sucesso. Até que por indicação fui a um neurologista. Fiz alguns exames e ficou constatado um abaulamento do disco entre as vértebras L5 e S1. A partir disso, comecei a fazer sessões de fisioterapia e RPG, mas confesso que não segui muito a sério. Para piorar o caso, devido a essa sensação de cansaço/fraqueza/dormência comecei a "proteger" a perna direita e apoiar o peso do meu corpo mais sobre a esquerda, o que gerou um desgaste na cartilagem do joelho esquerdo. Voltei a fazer fisioterapia, dando prioridade a um fortalecimento da perna esquerda, para combater esse problema do joelho e ajudou bastante. Infelizmente, não tenho ido tanto às sessões de fisioterapia e já senti que o joelho está pior novamente. Minha fisioterapeuta e outras pessoas me orientaram a entrar na musculação, tanto para o problema do joelho esquerdo, quanto para o problema da fraqueza na perna direita, além do que também pode ajudar num fortalecimento da região lombar e abdominal. Claro, os exercícios seriam totalmente focados para não agravar mais o problema na coluna. Gostaria de saber sua opinião a respeito; seria bom fazer musculação para esses meus casos?
Thiago E. A., Brasília, DF


Os sintomas de cansaço, fraqueza e dormência que você tem sentido na perna esquerda são decorrentes do abaulamento discal entre as vértebras L5-S1, caracterizado pelo exame de imagem que você realizou e pelo seu exame clínico. O disco intervertebral é uma estrutura localizada entre as vértebras (daí seu nome), contendo um núcleo com material gelatinoso envolto por um anel de fibras resistentes de tecido conjuntivo. Existem situações clínicas nas quais o disco sofre um desgaste e seu material interno se expande, causando um abaulamento do anel fibroso, que por sua vez toca a medula e gera os sintomas de formigamento e fraqueza característicos do seu quadro clínico. Portanto, a musculação pode lhe ajudar em relação ao seu problema no joelho, mas não para a fraqueza e formigamento da perna. A idéia de fortalecer os músculos abdominais e lombares é interessante para proteger sua coluna, mas o abaulamento discal deve ser investigado por um neurocirurgião para determinar se existe uma indicação cirúrgica ou continuar com o tratamento fisioterápico. Procure atividades aeróbicas alternativas durante sua recuperação para não perder seu condicionamento físico.

3 Respostas para “Problema na coluna; Tendinite na coxa; Artrite psoriática; Perna mais curta; Várias lesões; Pata de ganso; Dores no abdome; Metatarsalgia e muito mais; Fortalecimento lombar”

  1. Em abril/09 sofri dores horríveis no peito e o diagnóstico, após 3 ortopedistas e exames locais, foi artrite no osso esterno. Tratei por meses com fisioterapia e anti-inflamatórios orais e locais. Ao final do ano a dor melhorou, porém nunca mais pude pegar qualquer tipio de peso acima de 5k! À noite já sinto as dores voltarem. Mas gostaria de saber se há exercícios que fortalecem essa região do peito e se posso praticar ioga ou musculação, ou mesmo corrida.

  2. ola, sou universitário não praticante de esportes e com 20 anos. a muito tempo tenho um incomodo no meu lado esquerdo do corpo, essa dor começou apenas quando me sentava na vertebra lombar, com o passar do tempo a dor se irradiou para a perna onde sinto dormencia e perda de força, em seguida foi para o ombro, mais presisamente na escápula, e depois para o braço onde os sintomas são semelhantes ao da perna, e tudo isso somente no lado esquerdo do corpo, esses sintomas não são continuos, geralmente a dor se move, em momentos sinto está no braço, en outros está na perna, também meus ossos estalam com facilidade. apesar de tudo ainda não procurei um médico. o que pode ser? supeito de fibromialgia, pelo o que eu li.

  3. O que acaba com o corpo humano são os esportes feitos aleatoria e descontroladamente. Leram? um homem de 58 anos portador de v[árias doenãs insiste em correr!deveria é ir prá uma piscina términa, andar, brincar com isopores e relaxar os músculos, tendões e articulações. Uma caminhada até que ajuda, o resto é: enrolação pura! No fim neuro-cirurgiões é que têm que fazer as cirurgias, que poderiam ser evitadas se o ser humano tivesse a noção de que não somos máquinas, animais irracionais e o corpo humano é frágil.
    abraços a todos.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados