Revista Contra-Relógio
// Especial //

Percorrendo a Itália na ponta do tênis

Edição 277 - OUTUBRO 2016 - ANDRÉ SAVAZONI

Na terceira matéria sobre meias e maratonas em países da Europa, depois de Portugal e Espanha, chegamos à Velha Bota, destacando 16 provas de outubro a maio.

Correr pela Itália é muito mais do que um esporte ou de participar de uma prova. Envolve séculos de tradição, religião, gastronomia, cultura, literatura, arquitetura, arte e paisagens paradisíacas. Por ser um país pequeno, ainda mais na comparação com as distâncias no Brasil, os deslocamentos durante as viagens são facilitados, principalmente por carros, trens e ônibus.
Nessa terceira matéria especial da Contra-Relógio sobre meias e maratonas por países europeus (depois de Portugal em agosto e Espanha em setembro) chegamos à "Velha Bota". Ao falar da Itália, logo vem à cabeça a Maratona de Roma, que é realmente especial, ainda mais por percorrer os últimos quilômetros da edição olímpica de 1960, que imortalizou o etíope Abebe Bikila.
Uma maratona que começa e termina ao lado do Coliseu, passando por monumentos históricos da capital italiana, não pode ser uma "simples prova" e, realmente, não é, mas a Itália é muito mais do que apenas os 42 km de Roma. Há Pisa, Pádova, Milão, Veneza, Verona (e a lenda de Romeu e Julieta), Nápoles, Lago Maggiore, Brescia, Messina... Fizemos uma seleção de 16 corridas entre este mês de outubro e maio de 2017 (todas com datas confirmadas oficialmente nos sites e muitas com mais de uma opção de distância) para preparar um roteiro no presente ou futuro.
Possibilidades de dobradinhas são inúmeras, principalmente nos meses de fevereiro e março. Dá para correr a Mostra D'Oltremare Half Marathon em Nápoles no dia 5 de fevereiro e a Giulietta e Romeo Half Marathon em Verona no dia 12 e/ou a Maratona di San Valentino (Terni) no dia 19. Em março, pode conhecer Roma e Milão na mesma viagem, com a Roma Ostia Half Marathon no dia 12 e a Stramilano Half Marathon no dia 19, mas existem outras possibilidades de combinar 21 km com 42 km ou até duas maratonas.
Importante lembrar que todas as 16 provas aqui apresentadas estão com as inscrições abertas, segundo os sites informavam em meados de setembro. Boa viagem e ótimas corridas. O jantar de massas, na véspera, com certeza não será problema...

Publicidade


23 de outubro
MARATONA DE VENEZA
http://www.venicemarathon.it/en/venicemarathon


O fato de estar em Veneza já é uma experiência única, com a cidade erguida sobre os canais. O que dizer, então, de percorrer uma maratona reconhecida mundialmente e com selo bronze da IAAF?
A linha de partida está em Stra (pequena cidade distante cerca de 25 quilômetros a oeste de Veneza), no início da Riviera del Brenta, uma bela área próxima ao canal no qual os ricos e nobres venezianos construíram suas mansões de férias no século 18. A chegada é em pleno centro histórico de Veneza, no aterro chamado Riva Sette Martiri, em uma posição panorâmica.
A primeira parte do percurso, ao longo do Brenta Riviera, desenvolve-se em um rico ambiente histórico, cultural e paisagístico, caracterizado pelas residências com séculos de origem.
A maratona chega a Veneza através da Ponte da Liberdade (plana e reta ao longo de cerca de 4 km). Depois, os corredores cruzam o Grande Canal em uma ponte flutuante de quase 170 m construída especialmente para o dia dos 42 km. Então, a prova vai até a Praça de São Marcos (Piazza San Marcos) e outras construções históricas da cidade.
Em termos de altimetria, o percurso é plano e rápido. A dificuldade principal está entre os km 25 e 35, com 4 trechos de subidas com cerca de 100 m cada. No trecho final (os últimos 3 km) os maratonistas cruzam 14 pequenas pontes sobre os típicos canais de Veneza (as pontes contam com rampas de madeira encobrindo as escadas).
Para animar os participantes, há bandas musicais espalhadas pelo trajeto (em média, são cerca de 20 grupos espalhados pelos 42 km). As inscrições custam 90 euros.


20 de novembro
VERONA MARATHON E CANGRADE HALF MARATHON
http://veronamarathon.it/
http://cangrandehalfmarathon.it/


A cidade de Verona é grande, porém as principais atrações turísticas ficam concentradas em uma região facilmente explorável a pé. Claro que tanto os 42 km quanto os 21 km se aproveitam dessas características.
As duas provas largam na Piazza Bra, a mais famosa da cidade, onde ficam a Arena (uma espécie de Coliseu romano em miniatura) e outros prédios importantes, como o Palazzo Barbieri e a prefeitura de Verona. Da praça é possível avistar vários pontos turísticos em apenas um local. Depois de passar pelos imponentes portões da cidade, começa o verdadeiro trajeto turístico, com a visão do Castelvecchio (castelo medieval que hoje em dia abriga um museu).
As provas cruzam então o Arco Gavi, um raro exemplo de arco honorário romano dedicado a cidadãos particulares. As igrejas de San Lorenzo e dos Santos Apóstolos são outras atrações, até a chegada à Porta Borsari, um portão romano que foi a entrada principal para as muralhas da cidade e impressiona até hoje. Após passar pela Ponte da Vitória, corre-se às margens do Rio Cangrade.
Continuando na Estrada Brenner e após percorrer vias charmosas da região, os corredores chegam à Piazza Arsenale e retornam à Porta Borsari. A partir desse local, os meio-maratonistas vão em direção à chegada também na Piazza Bra. Já os participantes dos 42 km seguem o roteiro cultural e histórico por Verona. A sensação, muitas vezes, será de ter feito uma viagem no tempo, retornando ao período da dominação do Império Romano.
As provas não têm subidas e descidas íngremes, mas também não são planas. Uma altimetria variada, atingindo o ponto mais alto entre os km 10 e 15, mas que não atrapalha os participantes.
As inscrições custam entre 25 e 50 euros, dependendo do número de participantes, com a data-limite em 16 de novembro (on-line). Nos 21 km, os valores vão de 22 a 35 euros.


18 de dezembro
MARATONA E MEZZA MARATONA DI PISA
http://www.maratonadipisa.com/
Quem nunca ouviu falar da região italiana da Toscana e da Torre de Pisa? Além da famosa torre torta, é a cidade também de nascimento de Galileu Galilei. Ao entrar no site oficial dos 42 km (há a opção de meia-maratona também no dia), já dá vontade de correr: uma foto na página inteira da medalha, com a Torre de Pisa estampada em destaque. "É essa que quero em minha coleção", muitos irão pensar.
Em termos de localização, Pisa fica bem próxima de Florença (ou Firenze), onde os turistas costumam se hospedar. Ou seja, pode-se englobar os dois passeios na viagem (incluindo ainda a saída e chegada por Roma). A estação de trem central de Florença tem conexões para diversas outras cidades italianas.
A Torre de Pisa integra os monumentos da Piazza dei Miracoli (Praça dos Milagres), que tem ainda a Catedral, o Battistero (edifício religioso com uma pia de batismo de 1246) e o Campo Santo (cemitério com terra do Monte Calvário e onde estão enterradas personalidades da cidade). O Rio Arno (o mesmo de Firenze) também corta Pisa (com destaque para o por do sol de uma das pontes tradicionais do local) e deságua no Mar Tirreno (que faz parte do Mar Mediterrâneo). Por sinal, a maior parte do trajeto das provas é percorrida nas margens do rio e do mar (apenas no caso dos 42 km), ou seja, com uma altimetria plana e longas retas. A rua principal de Pisa é a Corso Itália, sem falar na Piazza dei Cavalieri.
As inscrições custam 30 e 50 euros para a meia e maratona, respectivamente.


15 de janeiro
MARATONA DELLA CITÁ DE MESSINA
http://www.messinamarathon.com/
Com a prova realizada em janeiro, a Maratona de Messina é uma boa oportunidade de viagem no período de férias escolares. As inscrições não estavam ainda abertas até o fechamento desta edição, porém, ao longo deste mês de outubro, o site oficial deve estar com todas as informações necessárias.
Conhecer Messina é uma verdadeira aula de história, que é como os corredores gostam de destacar nas redes sociais. A cidade foi destruída inúmeras vezes, seja por guerras ou por fortes terremotos. É conhecida como a porta de entrada da Sicília. Devido aos momentos de destruição, é uma cidade mais moderna do que outras da região (pois inúmeros prédios foram reconstruídos ao longo do tempo).
Diferentemente das outras cidades da Sicília, Messina não possui um centro histórico onde estão concentrados os principais monumentos e atrações. Nada de Grego, Bizantino ou Barroco; a arquitetura de Messina é quase toda em estilo Art Noveau. A Chiesa dei Catalani (Igreja dos Catalães), do século 12, é uma das raras sobreviventes. Messina é uma cidade "estreita e comprida", localizada entre o mar e os montes Peloritanos, o que facilita para o percurso dos 42 km.
O símbolo de Messina é a coluna localizada na entrada do porto, dedicada à "Madonna della Lettera" - Nossa Senhora da Carta -, padroeira da cidade. Segundo as crenças, Maria, no ano 42, teria escrito uma carta aos embaixadores de Messina durante a visita deles à Palestina.
Já o relógio da Catedral de Messina é o maior e mais complexo relógio mecânico astronômico do mundo. Ao marcar meio-dia, as estátuas de bronze se movem e emitem sons (primeiro o leão ruge, depois o galo canta, e assim sucessivamente). O espetáculo dura 12 minutos. Por sinal, com 900 anos, a catedral foi destruída e reconstruída inúmeras vezes.
Valores e período de inscrições, além do mapa do percurso, podem ser obtidos no site oficial.


5 de fevereiro
MOSTRA D'OLTREMARE HALF MARATHON (NÁPOLES)
http://www.runaples.it/
Ao acessar o site oficial e ver a foto em destaque da baía de Nápoles e de parte do percurso da meia-maratona, a vontade é de rapidamente marcar a viagem. Trata-se de uma das mais bonitas da Itália, se bem que essa comparação é melhor nem fazer, pois o difícil é encontrar uma prova de 21 km ou 42 km que não seja de visual incrível.
Chegando à quarta edição, a meia-maratona é certificada pela IAAF e AIMS. A parte turística é levada em conta pela organização, com o percurso passando por algumas das mais belas ruas de Nápoles. O trajeto, inclusive, sofreu pequenas alterações para beneficiar ainda mais os corredores.
Em termos de altimetria, larga e chega a 25 metros acima do nível do mar. O ponto mais alto é de pouco mais de 35 m de altitude, no km 10, no Museu Nacional de Arqueologia. Nos primeiros seis quilômetros, há apenas plano e descidas, depois, pequenas variações altimétricas, com uma longa descida entre os km 12 e 15, além de totalmente plano do km 18 ao km 21, ou seja, uma prova excelente para montar uma estratégia de acelerar a partir da segunda metade.
Entre as atrações ao longo dos 21 quilômetros estão a Piazza Sannazaro com a Fontana dela Sirena (Fonte da Sereia), o Estádio San Paolo (do Napoli, um dos destaques do Campeonato Italiano de Futebol), a Villa Comunale, a Fontana del Gigante, o Castel Dell'Ovo, a Piazza del Plebiscito, o Palácio Real, a Igreja de São Francisco de Paula, Piazza Trieste e Trento, Fontana del Carciofo, Via San Carlo, Teatro San Carlo e Galleria Umberto I, Piazza Municipio, Palazzo San Giacomo, Castel Nuovo (Maschio Angioino), Piazza Bovio, Corso Umberto I, Piazza Dante e Via Duomo.
As inscrições custam entre 18 euros (até o dia 26 de novembro) e 30 euros (na última fase, nos dias 3 e 4 de fevereiro, na Expo de entrega dos kits). Os detalhes podem ser obtidos no site oficial, assim como dicas de hospedagem e todo o mapa da prova (com fotos ilustrando cada ponto).


12 de fevereiro
GIULIETTA E ROMEO HALF MARATHON (VERONA)
http://www.giuliettaeromeohalfmarathon.it/en/
Verona, no norte da Itália, é mundialmente conhecida por ser o palco da trágica história de amor entre Romeu e Julieta, imortalizada por Willian Shakespeare. Uma peça de teatro ou um fato real? Há quem diga que a história realmente ocorreu nos primeiros anos do século 14.
A certeza sobre a história ninguém tem, porém, a lenda ultrapassou as fronteiras de Verona e, claro, é destaque em Giulietta e Romeo Half Marathon, realizada sempre no mês de fevereiro, no domingo próximo ao dia 14 (Dia de São Valentim ou San Valentino em italiano), o "Dia dos Namorados" na maior parte do mundo (aqui no Brasil é comemorado em 12 de junho).
A história do casal desafortunado arrasta milhares de pessoas até Verona todos os anos e, acredite ou não na sua veracidade, a cidade vale a visita, não apenas pelo clima de romance que está no ar, mas por todos os seus grandes monumentos do período romano e medieval (leia os detalhes no texto sobre a Meia e Maratona de Verona).
Na Via Capello 23 está a suposta casa onde morou Julieta e o famoso balcão onde ela ficava escutando as juras de amor de Romeu. Você atravessa um pequeno corredor para chegar ao pátio, onde poderá ver uma estátua da personagem.
Assim, a "Meia do Amor" chega à 9ª edição no dia 12 de fevereiro. Claro que você pode correr sozinho, mas participar dos 21 km em casal será ainda mais significativo. Ainda mais porque há também a possibilidade de correr em duplas (10,5 + 10,6 km).
A largada e chegada ocorrem na Piazza Bra, muito próximo da casa de Romeu e Julieta, aos pés da Arena de Verona (um anfiteatro do ano 30 a.C. que é terceiro maior do mundo e encontra-se mais bem conservado do que o Coliseu de Roma). Apesar do clima festivo, o percurso é rápido, em boa parte plano e homologado pela AIMS.

19 de fevereiro
MARATONA DI SAN VALENTINO (TERNI)
http://www.maratonadisanvalentino.it/
O clima de amor não está apenas em Verona, mas se espalha por toda a Itália, sendo também o principal atrativo da Maratona di San Valentino, em Terni. Além dos 42 km, há a opção dos 21 km. A começar pela medalha de conclusão, em formato de coração e com uma fita vermelha. A chegada é outra atração, com um corredor estreito, cheio de torcedores e tapete vermelho.
Terni está situada na região da Úmbria, sendo fundada no século 7 a.C. Foi conquistada pelos romanos, restando vestígios preservados daquela época, além de muitos prédios medievais, igrejas e palácios antigos que contrastam com uma cidade moderna e industrializada.
Por ser a cidade natal de San Valentino, o protetor dos apaixonados, Terni é chamada a "Cidade do Amor e dos Enamorados", o lema da maratona. Ele foi decapitado em 14 de fevereiro em Roma. O corpo foi enterrado em uma colina fora dos muros de Terni, onde hoje está a Basílica de San Valentino.
Por sinal, tanto a meia quanto a maratona largam ao lado da catedral, percorrendo então 1,5 km na cidade, para partir em direção à cachoeira de Mármore, onde há o retorno dos 21 km. A parte fluvial e também a área de floresta da região fazem parte da prova. Castelos, fortalezas, mosteiros e antigos moinhos são complementos dos atrativos visuais.
Em termos de altimetria, são longas subidas na primeira metade dos 42 km, para então descer continuadamente por outros 21 km até o final, ou seja, em termos de estratégia, isso precisa ser levado em conta. As inscrições custam de 32 a 42 euros para a maratona (dependendo da data) e de 20 a 27 euros na meia.
No site oficial, bem completo, há opção de hotéis com desconto para os inscritos na prova, além de restaurantes com menus especiais para os corredores (com os valores divulgados).


5 de março
LAGO MAGGIORE HALF MARATHON
https://www.lmhm.it/en/
"Correr pelo percurso mais panorâmico da Itália". Esse é o lema da organização da Lago Maggiore Half Marathon. As fotos na sequência no site oficial vão transformando a afirmação em realidade. A prova é disputada toda no lado do Piemonte italiano, com certificação da IAAF, AIMS e da Federação de Atletismo da Itália.
O Lago Maggiore tem 66 quilômetros de comprimento e sua parte norte já fica em território suíço, sendo possível ir de barco até Locarno, passar o dia por lá e voltar para a Itália. Apesar de ter também palacetes nas encostas, é meio "selvagem". Tem como maior atrativo as ilhas paradisíacas.
A meia-maratona é toda disputada nas margens do Lago Maggiore, entre as cidades de Stresa e Verbania. Stresa é a base da corrida, com ótima infraestrutura turística. Por sinal, para quem quiser aproveitar para tornar a viagem ainda mais inesquecível, pode pegar um teleférico ou percorrer 20 km pela estrada Borromea e chegar à pista de esqui nas encostas do Mottarone, onde há uma vista panorâmica do conjunto formado pelo lago e pelos Alpes.
No site oficial da meia-maratona há dicas de hospedagem tanto em Stresa quanto em Verbania, com os valores dos quartos individuais e para duas pessoas.
As inscrições estão abertas e podem ser feitas até o dia 1º de março.


5 de março
TREVISO MARATHON
http://www.trevisomarathon.com/
É uma das mais populares provas italianas na distância de maratona e considerada por muitos como a "Nova York na Itália", pelo grande número de pessoas que incentivam os corredores ao longo do percurso.
Localizada ao norte de Veneza (distante apenas dez quilômetros) e sede da grife Benetton, Treviso tem uma herança cultural riquíssima, com dois milênios de história. Pela região passaram romanos, bizantinos, francos, venezianos, austro-húngaros e muitos outros conquistadores. A cidade é cercada de uma muralha e entrecortada por um canal.
A prova estreou um novo percurso na edição deste ano e que, após análise positiva, será mantido para 2017, com largada e chegada em Conegliano, atravessando várias outras províncias de Veneto, uma das regiões da Itália mais visitadas pelos turistas.
O percurso é rápido e, em vários momentos, em ligeira descida, o que faz dessa maratona um evento de bom nível técnico e favorável a recordes pessoais. A temperatura média fica em torno de 10°C.
As inscrições ainda não tinham sido abertas até o fechamento desta edição. Na prova deste ano foi realizada a primeira edição de uma meia-maratona e a tendência é de que seja mantida.


5 de março
BRESCIA ART MARATHON E MEZZA MARATONA INTERNAZIONALE DI BRESCIA
http://www.bresciamarathon.com/
A Maratona Internazionale di Brescia chega à 15ª edição em 2017. O percurso foi alterado há três anos, incluindo um passeio pelos principais pontos turísticos da cidade, o que agradou aos participantes. A meia-maratona está na 8ª edição.
A largada é na Viale Europa, com chegada na Piazza Della Loggia (onde ocorre a maior feira local). Começa no norte da cidade, perto do estádio de futebol, vai em direção ao oeste e ao sul, terminando no centro de Bresia.
As inscrições custam entre 33 e 60 euros (para a maratona) e de 23 a 40 euros (meia), dependendo da data.
Brescia está localizada na Lombardia, na parte superior do Vale do Rio Pó, com 200 mil habitantes e destaque para o polo industrial.
O centro histórico, percorrido tanto nos 42 km quanto nos 21 km, é muito charmoso e pode ser conhecido a pé. São 2 mil anos de história, com prédios medievais, igrejas barrocas, castelo e a maior área arqueológica do norte da Itália. É cercada por uma muralha, que começou a ser construída 400 anos antes de Cristo.
As atrações principais são o Duomo Vechio e Duomo Nuovo, o Castello di Brescia e os restos "mortais" do Foro Romano, onde se destacam o Capitolino e o Teatro Romano, ambos construídos no ano 75.


12 de março
ROMA-OSTIA HALF MARATHON
http://www.romaostia.it/
Largada em Roma e chegada na cidade litorânea de Ostia. Percurso com subidas e descidas leves. Organização muito boa, com selo ouro da IAAF. A maior prova de 21 km da Itália. Essas são as principais características da Roma-Ostia Half Marathon.
Em termos de organização da viagem, é a mais tranquila dessa relação de provas na Itália. A começar pelos voos diretos de várias cidades brasileiras para Roma. Depois, pela ampla gama de opções de hotéis (com sugestões no site oficial da meia-maratona) e, ainda, com o transporte público para voltar de Ostia para a capital (metrô).
Isso sem falar em todo o turismo que Roma oferece, além da possibilidade de ampliar a viagem e conhecer outras cidades italianas. Ostia é uma cidade litorânea, no Mar Tirreno, onde os romanos passam as férias de verão.
As inscrições custam entre 31 e 36 euros, com cartão de crédito, dependendo da data.


19 de março
STRAMILANO HALF MARATHON (MILÃO)
http://www.stramilano.it/
Uma das meias-maratonas mais rápidas da Itália, localizada em Milão. Uma união perfeita de corrida e turismo. Tem tradição para os brasileiros, com vitórias de Maria Zeferina Baldaia (2008) e de Diamantino dos Santos (1988).
O percurso é praticamente circular, com largada na Piazza Castello (onde está localizado o Castello Sforzesco, construído no século 15 e um dos pontos turísticos de Milão) e chegada na Arena Cívica. Acesso muito fácil pelo metrô, tanto para a Expo quanto no dia da prova.
Um tiro de canhão dá a largada da Stramilano, que flui sem maiores problemas e é praticamente um tour pela cidade de Milão, misturando áreas comercias e industriais com regiões mais históricas e antigas. Os milaneses são muito animados e torcem bastante ao longo do percurso. Já os corredores, na sua maioria vindos de várias regiões da Itália (não são muitos os estrangeiros na meia), correm concentrados na prova. Em alguns trechos, como na largada e nas áreas mais antigas, o piso é uma espécie de paralelepípedo, com pouco desnível, o que não chega a atrapalhar.
A prova tem algumas curiosidades. Somente a partir de 2004 os amadores puderam participar (antes, era restrita aos atletas de elite). Já as mulheres entraram na disputa em 2006. A Stramilano foi palco de dois recordes mundiais. Em 1993, o queniano Moses Tanui fez 59:47 (o primeiro sub 1h). Em 1998, foi a vez do queniano Paul Tergat quebrar o recorde mundial, com 59:17. O mesmo Tergat, hexacampeão da meia-maratona, correu a prova em 1996 para 58:51, recorde não homologado pela IAAF, uma vez que o percurso tinha 49 metros a menos do que os 21.097 m oficiais.
No mesmo dia da meia são organizadas outras duas provas (uma de 10 km e outra de 5 km), que largam em horários e locais diferentes (às 9h e às 9h30 na Piazza Duomo, respectivamente), mas chegam na Arena Cívica (uma pista de atletismo no interior do Castello Sforzesco).
As inscrições ainda não estavam abertas até o fechamento desta edição. Para 2016 os valores variaram entre 23 e 37 euros.


2 de abril
MARATONA DE ROMA
http://www.maratonadiroma.it/
Roma é uma das cidades que mais recebe turistas e, claro, isso se reflete na maratona, que vive um momento de crescimento, com destaque para a organização. Conta com selo ouro da IAAF e um percurso praticamente plano, que passa pelos principais atrações da capital italiana.
A cidade é muito fácil de percorrer pelo metrô e, além disso, o centro histórico pode ser todo conhecido a pé (apenas a Praça de São Pedro e o Vaticano ficam um pouco mais distantes). Os 42 km levam isso em consideração; assim, quem se inscreve na prova garante um passeio inesquecível por Roma. Isso sem falar nos destaques da gastronomia.
A largada e a chegada são ao lado do imponente Coliseu. Os maratonistas então correm por belas ruas e vielas, passando pela Praça São Pedro, Piazza Venezia, Panteão, margens do Rio Tibre, Piazza Navona, Via Del Corso, Piazza del Popolo, Piazza del Spagna e a Fontana di Trevi. Os últimos quilômetros, por sinal, são idênticos aos da maratona da Olimpíada de Roma em 1960, que imortalizaram o etíope Abebe Bikila.
As inscrições custam entre 70 e 90 euros, dependendo do período.


2 de abril
MARATONA DE MILÃO
http://milanomarathon.it/en/marathon/
Um fato curioso e que não deve ter agradado a muitos corredores, italianos e estrangeiros, é que as duas principais maratonas da Itália serão disputadas no mesmo dia em 2017. Milão chega à 17ª edição com um percurso circular, começando e terminando no centro da cidade, no Corso Venezia. Um ponto interessante é que o trajeto foi estudado em detalhe pelo etíope Haile Gebrselassie, ex-recordista mundial da maratona.
Um dos maiores corredores da história, Haile trabalhou em conjunto com a organização para desenhar um novo percurso, mantendo as características de leve oscilação da altimetria e mantendo a rapidez.
Além do alto nível técnico e competitivo, o novo trajeto tem um forte valor cultural e histórico, o que permitirá a todos os participantes desfrutar da vista dos mais importantes e belos monumentos históricos de Milão: da Catedral ao Teatro Scala e do Arco da Paz ao Castello Sforzesco, além de atravessar os bairros modernos da "nova Milão".
Os deslocamentos dentro da cidade também são facilitados pelo transporte público, além da ampla opção de voos do Brasil, sem falar na ampla rede hoteleira.
As inscrições custam entre 59 e 79 euros, dependendo do período.


23 de abril
MARATONA SANT'ANTONIO DI PADOVA
http://maratonasantantonio.it/
Pádova é uma das cidades mais antigas do Vêneto (localizada ao norte da Itália e a cerca de 40 quilômetros de Veneza e a 30 quilômetros de Vicenza). Apesar de ter sido arrasada pelos lombardos no ano 602, recuperou-se e tornou-se uma comuna livre do século 11 ao 13, quando passou por um período de grande florescimento. Nessa época foi erguida a famosa Basílica de Santo Antonio, bem como foi fundada a Universidade de Pádova.
Entre as atrações turísticas, destaca-se o Prato della Valle, uma grande praça com uma ilha verde ao centro, margeado por dois anéis de estátuas. Há quatro caminhos que atravessam o gramado (e o canal) e que se cruzam ao centro. É a maior praça da Itália e na Europa perde apenas para a Praça Vermelha, em Moscou. Nesse local costumam ocorrer eventos ao ar livre e feiras, além de ser um ponto de encontro dos moradores. É também um dos principais atrativos do percurso dos 42 km.
Depois de visitar a praça, basta seguir pela Via Beato Luca Belludi para chegar à Basílica de Santo Antônio, o grande atrativo tanto de Pádova quanto da maratona. Construída em 1232, a igreja tem traços romanos, góticos e bizantinos.
O trajeto dos 42 km foi alterado para a edição de 2016, passando a ter a largada dentro da pista de atletismo do Estádio Euganeo (a meia-maratona parte da Via Previtali). Então, os corredores saem da área central de Pádova e retornam à cidade velha ao longo da Via Vescovado e da Piazza del Duomo. A partir desse ponto, há os trechos mais bonitos, com a Piazza dei Signori, Piazza della Frutta, Café Pedrocchi, Palazzo del Bo e a Basílica de Santo Antonio, símbolo do cristianismo. Quase na reta de chegada, os corredores passam pelo Prato della Valle.
Informações sobre inscrições, mapa do percurso e acomodação podem ser obtidas no site oficial, assim como o regulamento completo.


28 de maio
MOONLIGHT HALF MARATHON (VENEZA)
http://www.moonlighthalfmarathon.it
Começamos essa série especial sobre provas na Itália em Veneza e terminamos também na cidade dos canais, uma das mais impressionantes do mundo. Com um atrativo especial: uma meia-maratona noturna, com largada às 20h, a Moonlight Half Marathon.
A saída ocorre na Barragem di Punta Sabionni, na Comuna de Cavallino Treporti, uma pequena cidade localizada 15 km ao sudeste de Jesolo Lido (com o ponto de conclusão da meia-maratona na Piazza Mazzini). Há transporte oferecido pela organização da chegada para o local de partida.
Nos primeiros quilômetros ao longo da Estrada Pordelio, os corredores ficam em contato com a paisagem característica da lagoa: canais, salinas, pequenos botes e redes de pesca. Cruzando o centro de Cavallino, passam por uma ponte sobre o Rio Sile e entram na cidade de Jesolo (ligada a Veneza pela água). Então, muda o visual, com avenidas iluminadas e repletas de turistas.
Os três últimos quilômetros são ao longo da rua principal de Jesolo, para então atingir a central e animada Piazza Mazzini, onde está a linha de chegada e uma grande festa montada.
A rota da meia-maratona é rápida e plana, excelente para um bom desempenho. A única dificuldade pode ser encontrada entre os km 17 e 18, na passagem pela Ponte Sile.
Informações sobre valores e prazos das inscrições e o regulamento completo da Moonlight Half Marathon podem ser lidos no site oficial.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados