Revista Contra-Relógio
// Cobertura //

Mountain Do Costão do Santinho

Edição 287 - AGOSTO 2017 - ANDRÉ SAVAZONI

Novos percursos, com mais trilhas, e inclusão dos 65 km deixam as provas bem complicadas, mas ao mesmo tempo mais bonitas.

Florianópolis recebeu a 10ª edição do Mountain Do Costão do Santinho, no dia 1º de julho. Neste ano, a prova foi recheada de novidades, a começar pela opção de uma nova distância - 65 km, além da modificação dos percursos dos 42 km, dos 21 km e dos 9 km. As alterações incluíram mais morros, praias e dunas, deixando os eventos com maior dificuldade e bem a gosto dos corredores de montanha.
Com essas modificações, a prova do Costão, principalmente nos 42 km e nos 65 km, talvez seja a que mais tem variação de pisos no Brasil, passando por areia dura e fofa nas praias, trechos na beirada do mar, estrada de terra, asfalto, pedras, escada, grama, dunas, trilhas, costão na beira-mar e barro/lama. Sem falar nas condições climáticas que, neste ano, ampliaram as dificuldades da prova, com a maré muito alta, o que fez os corredores terem de passar pela parte mais fofa da praia.
A inclusão de trilhas em morros levou os participantes até a Praia dos Ingleses, passando também pela Brava. Dessa forma, foram três trilhas em "single track" a mais, o que ampliou consideravelmente a altimetria, além do trecho de costão no final da Praia dos Ingleses. Houve, ainda, alguns desafios extras, como na parte em que os pescadores estavam puxando as redes repletas de tainhas e foi preciso desviar tanto deles quanto dos peixes acumulados na areia da praia. Por outro lado, isso deixou o visual ainda mais interessante.
A organização manteve a excelente estrutura das edições passadas, com a feira de entrega dos kits, palestras, simpósio e coquetel, na sexta-feira, montada dentro do resort Costão do Santinho. A prova foi realizada no sábado e, no domingo, a cerimônia de premiação, com almoço para os participantes. Em todas as distâncias houve bastante água, dois postos de carboidrato em gel, bananinha doce e batata salgada, além de um de isotônico. Para os 65 km, ainda mais dois com Pepsi, bananinha e batata na região da Praia de Moçambique.
A última trilha, comum às três distâncias maiores, foi a do Morro das Aranhas, de cerca de 4 km, que separa a Praia de Moçambique da do Santinho. Por ser o trecho final, é desafiante aos participantes, mas ao mesmo tempo proporciona uma visão incrível de toda a região.
Um fator bem interessante é que, além de todas as trilhas serem limpas e sinalizadas pela organização nos dias anteriores, as largadas escalonadas evitam os engarrafamentos nos trechos estreitos. Dessa forma, os participantes dos 65 km e 42 km partiram às 7h20, os dos 21 km às 9h e os dos 9 km às 9h30.
Em termos de números, foram 21 concluintes nos 65 km, 62 nos 42 km, 224 nos 21 km e 275 nos 9 km. Na prova principal, a maratona de montanha, os vencedores foram Jovadir Acedo (3h15) e Luciane de Medeiros (4h27). Já nos 65 km ganharam Giliard Pinheiro (5h25) e Tatiana Schmidt (8h02). Confira os resultados completos e mais informações em www.mountaindo.com.br.

A primeira ultramaratona
Havia corrido os 42 km do Mountain Do Costão do Santinho no ano passado e foi uma prova bem gostosa de participar. Lá mesmo, fiquei sabendo da estreia dos 65 km e passei a sonhar com uma ultra em Florianópolis. Me inscrevi e, depois, vi que o percurso tinha mudado. Na prática, ficou mais difícil, porém, ao mesmo tempo, bem interessante e bonito para quem gosta de correr provas trail.
Em termos de preparação, não fiz nada de especial para uma ultra. Os maiores longos foram as maratonas de Porto Alegre (11 de junho) e do Rio de Janeiro (na semana seguinte), além dos treinos para as duas provas. Entre o Rio e o Mountain Do, mais descansei do que treinei. Isso mostra que, estando bem treinado para maratonas, o pulo para uma ultra de 65 km, mesmo sendo trail, é algo bastante viável, principalmente se você faz fortalecimento muscular.
Os trechos mais difíceis não foram os de trilhas, mas os de praia, devido à areia fofa ou na beirada do mar e forte vento contra. Além do gel de carboidrato, que carrego normalmente em maratonas, não levei nada a mais, nem mochila de hidratação ou qualquer garrafinha. Usei tudo o que foi disponibilizado pela organização, até para avaliar o suporte da prova, e foi bem tranquilo. (André Savazoni)

Próxima etapa na Lagoa da Conceição

Publicidade


A próxima etapa do circuito, o Mountain Do Lagoa da Conceição, está marcada para o período de 13 a 15 de outubro, também em Florianópolis. A prova tem 65 km, que podem ser disputados individualmente ou em revezamento de duplas, quartetos e octetos. O percurso passa por bosques, lagoas, montanhas e trilhas, com belas paisagens. As inscrições estão abertas pelo site www.mountaindo.com.br.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados