Revista Contra-Relógio
// Cobertura //

Mizuno Uphill Marathon

Edição 277 - OUTUBRO 2016 - ANDRÉ SAVAZONI

Prova disputada na Serra do Rio do Rastro teve o bicampeonato de Marcelo Rocha e a vitória de Ana Paula Martins; erro no percurso fez a maratona chegar a 43,57 km.

Publicidade

Neblina, frio e chuva ditaram as condições climáticas na quarta edição da Mizuno Uphill Marathon, disputada na Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina, no dia 3 de setembro. Marcelo Rocha repetiu o desempenho de 2015 e faturou o bicampeonato da maratona, em 3h17. A campeã foi Ana Paula Martins com tempo de 4h07. Já na estreia dos 67 km (Desafio Samurai), Cleber Castilhano garantiu o primeiro lugar, com Leticia Saltori ganhando entre as mulheres. Um erro no percurso fez a maratona ter 43,57 km, de acordo com a organização.
Devido ao problema da distância, a Mizuno decidiu dar medalhas a todos os competidores que concluíram a Uphill Marathon, mesmo acima do tempo limite de 6 horas estabelecido em regulamento (são 3h30 para os 25 km). Houve uma volta logo no início na cidade de Treviso, ponto de largada, o que não ocorreu em anos anteriores.
A prova é uma das mais desejadas do Brasil no momento, tanto que a edição deste ano contou com cerca de 9 mil pré-inscrições (o que até "derrubou" o site no início do processo) para as 1,2 mil vagas disponibilizadas. Um dos motivos para essa procura é por ser a única em subida no Brasil, o que inclui a questão do desafio pessoal e do marketing ao redor do evento, principalmente nas redes sociais, com os concluintes comemorando o feito e recebendo o apelido de "ninjas".
Junte-se a isso a questão da beleza do local, com a Serra do Rio do Rastro sendo considerada uma das estradas mais bonitas do mundo. O trecho ultra sinuoso fica entre Lauro Müller e Bom Jardim da Serra, com 284 curvas. Partindo de Lauro Müller, os primeiros 16 km são asfaltados e, depois, nos outros 7 km em concreto, com subidas íngremes e curvas de 180 graus, além dos mirantes de observação. Esse, inclusive, é o percurso dos 25 km, que tem largada pela manhã, às 7h, o que ajuda a apreciar as belezas naturais.
Já nos 42 km, a saída é na cidade de Treviso e a partir da metade do trajeto surgem as subidas mais intensas, em grande variação da altimetria positiva. Como a largada ocorre às 15h, os corredores acabam pegando o por do sol e o entardecer, chegando no escuro, o que acaba "diminuindo" um pouco essa parte da visão da serra. Este ano, estava nublado e com neblina, além da chuva, assim, a prova da manhã foi mais atraente.
Para o Desafio do Samurai, em que os atletas correm os 25 km pela manhã e os 42 km de tarde, há necessidade de comprovação de índice. Em um período de 12 meses anteriores à data da inscrição, é preciso ter corrido uma maratona e uma meia, com tempos de conclusão de 1h30 e 3h15 (homens) e 1h45 e 3h40 (mulheres). Na edição deste ano, apenas 17 dos 21 que largaram completaram as duas provas.
Durante o evento, a pista da direita, da subida da Serra do Rio do Rastro, fica fechada ao trânsito de veículos, mas há carros descendo em alguns momentos e, também, a circulação de moradores da região nas áreas urbanas. Porém, de acordo com corredores ouvidos pela Contra-Relógio, há uma boa sinalização com cones e carros de polícia, além de ambulância e do pessoal do staff.
Para 2017, de acordo com o regulamento, serão sorteadas 1,3 mil vagas (510 nos 25 km, 750 na maratona e 40 no Samurai). A divulgação dos sorteados será feita no dia 12 de outubro deste ano, no site oficial e por e-mail. O período para se inscrever na pré-inscrição foi até o dia 30 de setembro. Mais informações e resultados completos da edição deste ano em www.mizunobr.com.br/uphill2017.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados