Revista Contra-Relógio
// Desafio //

Missão cumprida!

Edição 273 - JUNHO 2016 - ANDRÉ SAVAZONI

Corredores de diversas regiões do país se motivaram a participar do projeto da Olympikus com a CR e agora comemoram os meses de treinos e os 42 km superados

O Desafio Olympikus-CR 42 km vai chegando ao final. O prazo para concluir uma maratona terminou no dia 29 de maio com a prova do Rio de Janeiro (que terá cobertura especial na edição de julho) e desafiantes de todo o Brasil, estreantes ou não, estão comemorando o incentivo do projeto, com direito a uma camiseta especial.
"Só faltava um incentivo e a motivação logo apareceu. Afinal, eram cinco anos sem fazer uma maratona. A última tinha sido em Curitiba em 2011. A Contra-Relógio está sempre à frente do nosso tempo e a parceria com a Olympikus foi genial! Por motivos alheios à minha vontade, incluindo duas cirurgias, uma de hérnia inguinal bilateral (novembro de 2013) e mais recentemente (novembro último), da próstata, antecedida de uma infecção urinária e 12 dias internado fazendo medicação intravenosa, fiquei afastado dos treinos. A cada edição da CR que chegava, era uma injeção de ânimo. Resolvi dar a volta por cima, aceitei o desafio e me inscrevi. Então precisava treinar, e muito, para avaliar as minhas reais condições. Tinha começado em 17 de dezembro com caminhadas 3 vezes por semana. Após um mês, passei a intercalar trote/caminhada, não mais de 10 km por sessão. Cada semana que passava, mais preocupação, já que não conseguia aumentar a quilometragem. Com inscrições para a Maratona do Rio encerradas, o jeito era encarar a de São Paulo, mas só restavam 8 semanas, era tudo ou nada", contou o assinante Narciso da Costa Pais, de São João do Meriti-RJ.
"Cheguei na sexta-feira à noite em São Paulo. Sábado pela manhã fui à rodoviária tirar a passagem de volta ao Rio e passei no Brás para ver as modas. No período da tarde fui buscar o kit, a feira tinha de tudo, uma maravilha. Passei no estande da CR, falei com o Tomaz Lourenço, com o Tião Moreira e peguei uma foto da última maratona que fiz. Saí de lá cheio de confiança... Valeu tanto quanto um longo! No domingo, cheguei em cima da hora para a largada. E tudo era festa. Milhares correndo, os quilômetros passando e precisei me concentrar para colocar em prática meu plano: correr e, se precisasse, caminhar um pouco. A Cidade Universitária foi a parte mais cansativa, mas com muita sombra pra compensar. Nos últimos quilômetros o incentivo do público acabou sendo fundamental, principalmente no Ibirapuera, quando já tinha batido o cansaço e o sol incomodava muito. Agora é só comemorar o Desafio concluído: 4:22:27", disse Narciso, comprovando na prática que o corpo não nasceu para ficar parado.
Outro desafiante de sucesso foi Alexandre Haikal Moreira, de Vitória-ES. "Gostei muito de participar da Maratona de São Paulo este ano. Como disse um corredor em depoimento para a CR de maio, esta é uma prova injustiçada. O percurso é certamente mais técnico e aquele povo todo das provas secundárias deixa o ritmo um pouco confuso, mas no geral foi um grande prazer completar os 42 km paulistanos e ver a prova crescendo substancialmente em número de concluintes. Muitas sombras ao longo de todo o trajeto e hidratação perfeita (pelo menos no bloco em que corri). Também me chamou muito a atenção a participação popular, muitas crianças, famílias, assessorias incentivando os corredores, oferecendo água, isotônico e carboidratos das mais variadas espécies. Ainda não se compara, em número, ao que vemos no exterior, mas foi muito legal constatar pela primeira vez no Brasil uma plateia realmente envolvida", afirmou Haikal. "Sem contar o staff, grande destaque; não sei se foi espontâneo ou se houve algum tipo de treinamento, mas foi legal ver as pessoas trabalhando com boa vontade no apoio aos corredores, muitos deles sendo bem originais na torcida e nos gritos de incentivo."
Ao desembarcar em São Paulo no sábado, o assinante já percebeu que seria difícil fazer o tempo previsto, devido ao calor. "Minha preparação neste ano também ficou bem inferior a dos anteriores, então decidi adotar uma linha bem conservadora, sentindo os sinais do corpo e desenvolvendo um ritmo mais natural, sem ficar obcecado pelo GPS. Acredito que foi uma ótima decisão, pois as três subidas finais em sequência são um ‘golpe de misericórdia' no corredor desprevenido. Assim, terminei a maratona em 3h15, bem acima do meu melhor tempo (3h02) e insuficiente para me classificar para Boston no ano que vem, mas me deixando satisfeito pela experiência de correr em São Paulo pela primeira vez e chegando, digamos assim, ‘inteiro'", completou Haikal.

Publicidade


EM TÓQUIO. Quem cruzou o mundo para conquistar o Desafio Olympikus-CR 42 km foi Arthur Ostetto. "Em dezembro de 2015 estava no meio do período de base para a Maratona de Tóquio, com longões intermináveis em um calor infernal. Fazer um ciclo de maratona no verão representou uma novidade e o lançamento do Desafio Olympikus-CR foi um importante estímulo para segurar as pontas e cumprir os treinos no período de festas no final do ano. Outra novidade foi o uso da hashtag #desafioOlympikusCR42km em todas as minhas postagens. No final de tudo bati meu recorde e superei o desafio proposto", afirmou Arthur.
Completar os 42 km pela primeira vez é uma sensação que será lembrada para sempre. Foi o que aconteceu com João Zuliani, de São Caetano do Sul, que já traça os próximos desafios. "Já corri várias meias, mas agora que sei o que é exatamente participar de uma maratona, vou me preparar muito melhor para as próximas. Espero que no próximo ano, se vocês continuarem com o Desafio, eu possa merecer a camiseta pela performance e também ter a oportunidade de entrar no tão famoso e falado Ranking dos Maratonistas, montado pela CR", disse Zuliani.


AS CAMISAS - Completou o Desafio? Aproveite para compartilhar a emoção nas redes sociais com a hashtag #desafioOlympikusCR42km, além de curtir as páginas da Contra-Relógio e da Olympikus, tanto no Facebook quanto no Instagram. Em relação às camisas do Desafio, confeccionadas pela Olympikus, para quem já atingiu o objetivo basta enviar os dados completos (nome, endereço com CEP e cidade, tamanho da camisa no P, M ou G, além do tempo obtido e a prova) para o e-mail desafio@contrarelogio.com.br. As informações, então, serão encaminhadas pela revista para a Olympikus, que fará o envio do merecido e suado prêmio, uma vez que "seu corpo não foi feito para ficar parado".
Além disso, também pelo e-mail, enviem relatos de como atingiram o Desafio, pois na edição de julho iremos publicar histórias de personagens de todo o país que completaram a Maratona do Rio de Janeiro. Lembrando que a camisa é um prêmio para os assinantes da CR que se inscreveram previamente e completaram dentro do tempo previsto nas faixas etárias (a não ser os estreantes, que não têm limite de tempo).

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados