Revista Contra-Relógio
// Cobertura //

Meia-Maratona das Cataratas

Edição 274 - JULHO 2016 - ANDRÉ SAVAZONI

Prova é integralmente disputada no Parque Nacional do Iguaçu, tendo como ponto alto a visão das quedas d’água na metade do trajeto e o contato com a natureza.

Depois de pular um ano, já que não foi realizada em 2015, a Meia-Maratona das Cataratas teve a nova edição no dia 5 de junho, em Foz do Iguaçu. A prova passou a ser vinculada ao Dia Mundial do Meio Ambiente, um antigo objetivo dos organizadores, e contou com 1.467 concluintes (987 homens e 480 mulheres).
A corrida, uma das mais belas do Brasil, teve a participação de atletas de todos os Estados brasileiros e de países vizinhos, como Paraguai e Argentina. A prova é toda disputada dentro do Parque Nacional do Iguaçu, em um percurso que mescla subidas e descidas, com quase nada de plano e tendo como ponto alto a visão das Cataratas, por volta do km 9.
Antigamente, apenas os 11 km finais eram corridos dentro do Parque Nacional do Iguaçu, como ocorre com a Maratona de Foz do Iguaçu (marcada para o dia 27 de setembro neste ano). Há alguns anos, o trajeto da meia-maratona foi alterado. Os participantes se encontram na entrada do parque, onde há toda a infraestrutura de apoio ao visitante (com banheiros e lojas, além da arena do evento e do guarda-volumes) e saem os ônibus que fazem o tour pelo local. Então, em ônibus disponibilizados pela organização, são levados para dentro do parque e, em mais 1 km de caminhada, há o pórtico de largada. A chegada ocorre cerca de 200 m fora do parque.
Todo o trajeto é por estada de asfalto, no meio da natureza, com correta marcação dos quilômetros e hidratação a cada 3 km, com água, e também com dois pontos de isotônico. São 9 km até as Cataratas do Iguaçu e mais 12 km no retorno. Portanto, o ápice fica mesmo no meio da prova, com a visão das quedas d'água.

Publicidade


FALTA DE MEDALHAS - Em termos de organização, a prova teve dois problemas. Demora no início da premiação, principalmente nas faixas etárias e a falta de medalhas para os últimos colocados. Em explicação à Contra-Relógio, a organização apresentou a nota fiscal da compra de 1.700 medalhas, até porque utilizam as que sobram para publicidade do evento e para premiar empresas parceiras. Esse número é bem superior aos 1.487 concluintes, porém, pelo menos 78 corredores ficaram sem a medalha segundo os dados disponibilizados. A organização afirmou ter feito o cadastro de todas essas pessoas e se comprometeu a fazer o envio pelos Correios.
A justificativa para o problema é que não houve um controle correto (o canhoto destacável ao lado do número de peito não estava sendo pedido para entregar a medalha) e que, de acordo com a organização, com base em filmagens, foi constatado que por isso houve corredores pegando mais de uma medalha e também outras pessoas que não participaram do evento.
Como não existe mais premiação em dinheiro, os tempos acabaram sendo bem altos, mesmo com temperatura favorável de 12 graus na largada. O vencedor foi o paraguaio Orlando Elizeche, com 1:12:21, enquanto a vencedora, Nilma Rezende, de Foz do Iguaçu, marcou 1:31:09.
Mais informações e resultados completos no site oficial - www.meiamaratonadascataratas.com.br.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados