Revista Contra-Relógio
// Cobertura //

Maratona de Uberlândia

Edição 287 - AGOSTO 2017 - ANDRÉ SAVAZONI

Evento teve a segunda edição no dia 9 de julho, com 1.241 concluintes nas 4 provas que aconteceram simultaneamente. Para 2018, já está confirmada a data de 22 de abril.

A segunda edição da UDI 42 - Maratona Nilson Lima, em Uberlândia, foi realizada no dia 9 de julho, contando com corredores de todas as regiões do país. O trajeto está entre os mais difíceis, ao lado de Curitiba e de Foz do Iguaçu: há bastante sobe e desce, com as piores elevações na primeira metade.
Nos 42 km, os números ainda são pequenos. Foram 180 concluintes, sendo 150 homens e 30 mulheres. Já na meia-maratona, 409 corredores; nos 5 km 524 e 32 quartetos no revezamento da maratona. No total, o evento teve 1.241 inscritos terminando, sem contar as provas infantis. Os vencedores da maratona foram Ana Paula Facuri, em 3:43:11 e Rodrigo Lemes Pereira (2:45:08).
"A prova manteve o percurso da primeira edição, sem alterações, com o local da arena de largada e chegada sendo amplo e espaçoso. Trata-se de uma maratona desafiadora, dura, pela quantidade de sobe e desce, além da passagem por dentro do Parque do Sabiá, onde encontramos frequentadores passeando, o que mentalmente não é nada bom para os corredores", disse o assinante André da Silva Mendes, de Brasília, que correu as duas edições do evento.
Ele considerou bem positiva a mudança do local de entrega dos kits, passando para o Praia Clube (no ano passado foi na sala de um hotel), com a possibilidade do inscrito frequentar o local por dois dias, na sexta e no sábado. "As camisas da prova tinham cores diferentes na maratona e na meia, com a marcação da distância. O percurso foi bem protegido pelo pessoal do trânsito."

Publicidade


PARQUE DO SABIÁ - Quem também participou das duas edições da Maratona Nilson Lima foi Francisco Junior, de Patos de Minas. "Como pontos negativos, na passagem por dentro do Parque do Sabiá havia muita gente caminhando e andando de bicicleta na contramão do fluxo da corrida e na parte alta da maratona, próxima do aeroporto, a hidratação estava muito distante uma da outra. Mas considero que a prova evoluiu da edição de estreia para este ano, com um maior número de pessoas participando, além de bastante incentivo aos corredores no trecho da largada e da chegada. Gostei muito também da hidratação com isotônico e da distribuição de gel de carboidrato", afirmou o maratonista.
O assinante João Theoto Júnior, de Jundiaí, correu em Uberlândia pela primeira vez, aprovando a experiência. "A maratona transcorreu dentro da expectativa por ser uma prova não muito grande. Melhor até do que o esperado, levando-se em conta a dificuldade que deve ser viabilizar uma maratona no interior. Como pontos positivos, destaco o percurso bem sinalizado e com policiais nos cruzamentos; água gelada nos postos de abastecimento; os três locais com gel de carboidrato e um de isotônico; diversos pontos de controle com tapetes em locais estratégicos e a acolhida por parte dos corredores de Uberlândia. Entre os fatores negativos, o pouco envolvimento da população local com a prova e poderia ter mais pontos de hidratação nos últimos 12 km", disse o assinante. "Trata-se de um percurso difícil para uma maratona, devido à altimetria e à temperatura depois das três horas de prova, mas é uma corrida que faria novamente."


LARGADA - Márcio Gracie, de Brasília, destaca a necessidade de uma melhor organização da largada, com atenção especial para os maratonistas e quem faz os 21 km, separando do revezamento e dos 5 km. "Ficou confuso. Além disso, é preciso tirar o percurso de dentro do Parque do Sabiá, o que é completamente fora da normalidade, pois você está correndo e entra em uma área de passeio, o que desestimula. O pessoal do staff também precisa estar melhor orientado e atento para dar as informações durante o percurso. Mas, no geral, considerei a prova muito boa", afirmou.
"Estive com a minha equipe nas duas edições, desta vez com 30 alunos divididos por todas as distâncias. A estrutura montada na área externa do teatro foi muito boa. O que realmente deixa a desejar como sempre são os banheiros químicos", disse o treinador mineiro Fábio Zanoli.
A terceira edição da maratona está marcada para o dia 22 de abril. Mais informações e inscrições podem ser obtidas no site www.apuanaesportes.com.br, assim como os resultados completos deste ano.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados