Revista Contra-Relógio
// Brasileiros lá fora //

Maratona de La Bandera

Edição 287 - AGOSTO 2017 - ANDRÉ SAVAZONI

Com percurso mais plano do que Buenos Aires, facilidade na inscrição, custos baixos de alimentação e hospedagem, além de ampla premiação nas faixas etárias, Rosário é uma ótima opção de 42 km na Argentina.

Quando pensamos em maratona e na Argentina, sempre vem ao pensamento Buenos Aires. Enfim, é a maior atualmente da América do Sul e conta sempre com grande número de brasileiros. Para os amantes do vinho, pode ser também que Mendoza seja rapidamente lembrada. Porém, há uma terceira alternativa, ainda mais plana do que Buenos Aires, tradicionalmente fria e bem organizada, oficial, charmosa como Mendoza e com um custo de viagem mais em conta do que o das outras duas: a Maratona Internacional de La Bandera, em Rosário, na Província de Santa Fé.
A prova é realizada há 16 anos, sempre no domingo mais próximo ao feriado do "Dia Nacional de La Bandera", comemorado em 20 de junho, data de morte do general Manuel Belgrano, criador da bandeira argentina, em 1812, em Rosário. "E em homenagem a esse feito, existe um grande monumento, próximo às margens do Rio Paraná, com uma enorme torre com a bandeira argentina, além de um grande caldeirão com uma chama que nunca se apaga, o fogo eterno, entre outras atrações", explica o corredor de Campinas, Felipe Arakawa, que esteve em Rosário neste ano com um grupo de dez corredores da assessoria G+, da treinadora Gisele Campoli, que também participou dos 42 km no dia 25 de junho.
"Decidimos fazer a Maratona de Rosário pela fama de percurso plano, boa temperatura e atrativos turísticos. Além disso, Rosário possui voos diretos do Brasil, com duração de 2h30, considerando Guarulhos como ponto de partida", explica Felipe. "A rede hoteleira é grande e com preços atrativos. Chama ainda a atenção os hotéis antigos, com mais de 100 anos de construção, porém totalmente reformados, mantendo o charme. A gastronomia é o ponto forte não somente de Rosário, mas da Argentina em geral. Entretanto, é possível notar a diferença de preços com a capital Buenos Aires; o valor médio de uma refeição para casal, em bons restaurantes de Rosário, incluindo vinho e serviço, sai por menos de 100 reais", explica o maratonista de Campinas.

Publicidade


VANTAGENS. De acordo com Felipe, entre as vantagens da Maratona de Rosário estão o valor da inscrição (420 pesos argentinos, cerca de R$ 100); a facilidade de participação, podendo inscrever-se até uma semana antes, portanto, diferentemente de Buenos Aires, quando as inscrições para estrangeiros se esgotam rapidamente.
"O kit da prova é simples. Além de chip e do número de peito, há um manual do corredor, com informações sobre percurso, postos de hidratação, áreas médicas e banheiros, e uma camiseta de recordação. Paralelamente às tendas de retirada dos kits, havia uma pequena área de expositores de material esportivo, além de apresentação dos marcadores de ritmo da prova, de 3 horas até 5 horas, variando de 10 em 10 minutos."
A prova possui percurso predominantemente plano. Por acontecer sempre no último final de semana de junho, as chances de baixas temperaturas são grandes, porém, excepcionalmente, não foi o caso da edição deste ano. "Já estava 21 graus no início da maratona. A largada é dada às 9h, uma hora após o nascer do sol, em frente ao Monumento de La Bandera. O trajeto, então, passa pelos principais pontos turísticos de Rosário, como os estádios dos dois times de futebol da cidade (Newell's Old Boys e Rosario Central), a região portuária e os clubes de náutica, além de uma passagem dos 21 km em frente à área de largada/chegada, com grande concentração de espectadores. Existem controles de tempo durante o percurso, em pelo menos cinco pontos. A hidratação foi posicionada a cada 5 km, em copo aberto, contando com isotônico em mais dois pontos", afirma Felipe.
Quem também esteve em Rosário foi o assinante de São Paulo José Eduardo Motta Garcia, que vem fazendo um tour por maratonas do Brasil e América do Sul. No ano passado, correu em Medellín e em março, esteve em Montevidéu. Podendo comparar as provas sul-americanas, ele também elogia Rosário, citando outra característica do evento. "Uma maratona com as condições ideais para buscar performance e recordes pessoais. Temperatura amena, percurso plano, boa estrutura e sem o tumulto das provas badaladas. É possível entrar na área da largada cinco minutos antes e ficar bem posicionado. Sem falar da organização.; precisei corrigir uma informação no meu registro e foram muito atenciosos", conta José Eduardo.


ÍNDICE PARA BOSTON. Alexandre Diniz, também de São Paulo, foi outro a aprovar a experiência em Rosário. "Adorei o percurso da prova, possui quase nada de subidas e as pequenas variações não atrapalham. Não fiz meu melhor tempo por estar em uma sequência de corridas, completando a sétima maratona do ano, além de quatro meias. Mas para quem busca um recorde pessoal ou até mesmo conseguir o tão sonhado índice para a Maratona de Boston, pode incluir a Maratona de La Bandera na lista", diz Diniz.
"A organização premia os 42 primeiros colocados de cada faixa etária (de cinco em cinco anos), no masculino e no feminino, em uma cerimônia no final da tarde do domingo da corrida. Uma grande festa para os amadores", diz Felipe. "Apenas o horário da cerimônia, às 16h, poderia ser antecipado, pois muitos não puderam esperar, devido aos voos de volta já programados", completa José Eduardo.
Além da maratona, com 1.645 concluintes este ano, acontece simultaneamente uma corrida de 10 km e uma caminhada de 4 km. A data oficial de 2018 ainda não está disponível, porém, como ocorre sempre no último domingo de junho, a tendência é que seja no dia 24. Mais informações, resultados e regulamento da prova podem ser obtidos no site oficial - www.atletismorosario.com.ar/42k/index.html.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados