Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

Lesões em sequência; Cirurgia do menisco; Dores no tendão de Aquiles; Hérnia inguinal; Dor no tornozelo

Edição 185 - FEVEREIRO 2009 - JOSÉ MARQUES NETO


LESÕES EM SEQUÊNCIA
Desde 1995 pratico corrida de rua de 10 a 21 km. No final de 2006 corri a São Sivestre e no dia seguinte amanheci com dores nos tendões dos tornozelos. Mesmo assim participei de outras competições, porém comecei a sentir um tipo um choque ao bater o calcanhar no chão e também uma dor na parte de trás da coxa esquerda. Procurei um ortopedista que solicitou ultrasom onde indicou uma tenossinovite dos fibulares no tornozelo direito. E numa ressonância, tendinopatia do fibular longo na sua porção inframaleolar, podendo traduzir processo fibocicatricial de rotura pregressa. O médico indicou sessões de fisioterapia e não senti mais o problema, exceto a parte lateral do tornozelo direito que ainda incha de vez quando. Voltei aos treinos em julho e passei a usar uma palmilha compensatória de 1 cm no pé direito, pois num exame (escalometria) foi constatado que a perna direita é menor 1,09 cm. Em outubro, após uma corrida voltei a sentir dor na coxa e depois no quadril esquerdo; continuei treinando e usava relaxante muscular, porém nos treinos após uns vinte minutos a perna começava a travar, dificultando a passada. Voltei ao ortopedista que solicitou uma ressonância do quadril e joelho esquerdo, que constataram possível bursite e rotura no corno anterior do menisco. Gostaria de saber sua opinião quanto à sequência destas lesões e principalmente a respeito do problema no menisco se é caso para cirurgia ou fisioterapia já resolve, uma vez que pretendo continuar nas corridas.
José Nivaldo de Morais, Feira de Santana, BA


Essa sequência de lesões pode apontar um problema biomecânico em sua passada e como você corre. Como mencionou que há uma discrepância de 1,0 cm em sua perna direita, o uso da palmilha de compensação pode ser a solução, ou pelo menos parte dela, para seus problemas, pois alguns ocorrerão com estruturas do lado direito do seu corpo. Tanto a tenossinovite dos fibulares (inflamação dos tendões da porção lateral do tornozelo) quanto a bursite trocanteriana (inflamação da "bursa" localizada na parte lateral superior da coxa) são inicialmente tratadas através de medidas fisioterápicas. A questão da lesão meniscal depende do seu quadro clínico e da evolução do problema. Está sentindo dor? Inchaço? Dificuldade para correr ou caminhar? Converse com seu ortopedista a respeito do tratamento inicial com fisioterapia e acompanhe a evolução da lesão a fim de definir se o tratamento cirúrgico será necessário ou não.

Publicidade


CIRURGIA DO MENISCO
Fiz uma cirurgia no menisco há dois meses, em consequência de uma torção no joelho esquerdo. Estou fazendo fisioterapia e o movimento de dobra o joelho está voltando. Porém o joelho fica sempre inchado e com isso dificulta o caminhar. Esse processo é normal, tendo em vista que se trata de uma cirurgia simples? Até quando terei os movimentos debilitados?
Rozilene Salles, por email


Este processo de recuperação para reparação de menisco é normal e dura em média 3 meses. O inchaço (edema) ocorre normalmente nesta situação, assim como a dificuldade para caminhar, que melhoram com a fisioterapia e o retorno às suas atividades habituais. Siga as orientações do seu médico e continue a fazer as sessões de fisioterapia para não prejudicar sua recuperação.


DORES NO TENDÃO DE AQUILES
Corro dia sim dia não, alternando 5 e 10 km, mas recentemente tive que parar por 40 dias, pois fiz uma cirurgia de septo. Acontece que antes de parar, sentia leve dor nos tendões de Aquiles quando estava frio (somente quando apalpados). Agora que fui liberado para correr novamente, as dores aumentaram e as sinto quando estou frio, logo de manhã, nos dois lados no pé esquerdo especialmente. Procurei um ortopedista que me informou "não haver cura, somente melhora". A corrida já está me fazendo muita falta...
Willi Otto Cugurra, São Paulo, SP


O processo de degeneração, ou desgaste, que acomete os tecidos conjuntivos dos seres humanos é tratado com o objetivo de buscar um controle da inflamação, quando ela existe, e um melhor condicionamento muscular, mas a cura propriamente dita destes fenômenos clínicos ainda está longe de ser alcançada. O tratamento das várias tendinopatias, já previamente abordado em inúmeras matérias publicadas pela Contra-Relógio, inicialmente é conservador, ou seja, não implica em procedimentos cirúrgicos, mas sim em fisioterapia, adequação do calçado esportivo, diminuição do volume/intensidade/frequência de treinamento e, sempre que possível, a preferência por pisos mais "suaves" para a rodagem semanal. Desta forma, a melhora é muito provável e você poderá retornar aos seus treinos brevemente.


HÉRNIA INGUINAL
Sou assinante desta excelente revista há cerca de um ano e corredor há 10 anos. Treino em média 4 vezes por semana e já participei de várias corridas de 10 km e até uma maratona. Há alguns meses venho sentindo um incômodo na região genital direita durante e após as corridas. Às vezes parece que é no testículo direito, às vezes mais acima. Fui em dois urologistas e fiz exames que nada constataram. Um dos médicos, após exame, disse que tenho propensão a ter hérnia inguinal. O que posso fazer para melhorar ou prevenir o desenvolvimento desse problema? Adoro correr; vou ter que parar?
Donizete Francisco dos Santos, São Paulo, SP


A hérnia inguinal é uma condição médica absolutamente cirúrgica, e ocorre por uma questão anatômica do desenvolvimento dos tecidos internos à parede abdominal, ou seja, ligada à genética do ser humano. Há um enfraquecimento da musculatura e uma consequente passagem de vísceras da cavidade abdominal para fora da mesma, formando um abaulamento na região inguinal, que é característico do quadro clínico. A manutenção de baixo peso corporal e forte musculatura abdominal são fatores que auxiliam na prevenção do surgimento das hérnias, mas não impedem sua ocorrência definitivamente. Siga as recomendações do seu cirurgião geral, para que você possa correr novamente sem preocupações.


DOR NO TORNOZELO
Quando inicio uma caminhada ou corrida, após 5 a 10 minutos sinto dores nos tornozelos; a dor se alastra para a panturrilha, até que endurece e perco o movimento da articulação do tornozelo. Depois de + ou - 30 minutos volta ao normal. Podem me ajudar com algum diagnóstico?
Marcos Teixeira de Carvalho, São Paulo, SP


Suas queixas a respeito do problema ainda são vagas. Sofreu algum entorse de tornozelo, trauma, ou pancada na perna? É portador de diabetes? Tem formigamento nos pés ou pernas? Seu tênis não está muito usado? Está acima do peso ideal? Sugiro que consulte um ortopedista especializado em medicina esportiva para um exame clínico minucioso, além de exames de imagem como o RX e o ultrasom.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados