Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

Lesão no menisco; Quadríceps; Insuficiência mitral; Cisto no joelho; Dor na esteira; Vertigem e mal-estar

Edição 177 - JUNHO 2008 - JOSÉ MARQUES NETO


LESÃO NO MENISCO
Como assinante, sempre leio sobre diversos tipos de contusões (relatos de leitores e matérias dos colaboradores da revista) e nunca acreditamos que pode acontecer com a gente. Treino em média 70 km por semana, tenho 1,75 m e peso 73 kg , 49 anos e faço academia cinco vezes por semana (membros superiores), participo de corridas há 10 anos e nos últimos 3 completei dez maratonas. No começo de abril, durante um longo no final de semana, senti dores no joelho e terminei o treino me arrastando. Dias depois fiz uma ressonância magnética do joelho direito, cujo resultado anexo, e procurei um especialista, que me disse que deveria ser submetido a uma cirurgia. O mundo desabou em minha cabeça, pois iria participar da Maratona de Florianópolis e da de Porto Alegre. Gostaria de ouvir a opinião de vocês, que sempre trazem palavras de otimismo para corredores com lesões diversas.
José Luiz Scalzer, Cariacica, ES


Apesar da lesão meniscal ter uma indicação cirúrgica em diversas situações, creio que você não só deva procurar mais especialistas para obter outras opiniões sobre o caso, como também tentar tratamentos ditos conservadores num primeiro momento, como a fisioterapia e a acupuntura, para observar e sentir quais são os resultados. De qualquer forma, seu histórico mostra que correu dez maratonas nos últimos 3 anos, que me parece um exagero, principalmente se seu ritmo foi forte. Os treinos para maratonas, como todos nós sabemos, impõem uma carga de trabalho sobre as estruturas músculo-esqueléticas do nosso corpo, e isto pode ter contribuído para sua lesão atual e para o quadro clínico que está enfrentando. Reveja seu calendário de competições, além de procurar outros especialistas e discutir sobre alternativas de tratamento.

Publicidade


QUADRÍCEPS
O meu joelho esquerdo começou a doer no início de janeiro, e fui diminuindo os treinos até parar e procurar por ajuda médica. O laudo dos exames de tomografia e ressonância, foram os seguintes: entesopatia / tendinopatia calcificada do quadríceps; discreta degeneração do ligamento patelar; condropatia patelar grau II; mínimo derrame articular. O médico passou uma fórmula de antiinflamatório para ser tomada por 30 dias e durante esse período parar com as corridas, mas fazer musculação com objetivo de fortalecer o quadríceps. No final deste período começar a trotar. Fiz tudo conforme solicitado, mas no primeiro trote de 2 km a 7 min/km, a dor voltou. Perguntas: Este problema é comum? Existe um motivo para esta calcificação no tendão? Existe algum tratamento alternativo? A cirurgia é a melhor saída? Estou muito abalado com tudo isto, pois corredor parado é uma tristeza... Aproveito para parabenizar pela revista. Faz 12 anos que assino e é a primeira vez que escrevo para vocês.
Edson Irineu dos Santos, São Caetano do Sul, SP


Tanto a entesopatia calcificada do tendão do quadríceps quanto a condropatia patelar são problemas comuns que atingem praticantes de atividade física. Além de uma predisposição genética individual, a causa pode ser atribuída a uma carga exagerada de esforço sobre estas estruturas, ou ainda um preparo inadequado da musculatura da região, podendo também contribuir alterações biomecânicas no movimento de corrida, que são mais difíceis de serem determinadas. O tratamento conservador, como a fisioterapia e/ou a acupuntura, é indicado, pois não creio que ainda tenha tentado esta alternativa; a opção cirúrgica deve ser considerada apenas quando se esgotarem outros tipos de tratamento. O alongamento deficiente da musculatura do quadríceps também pode contribuir, e muito, para a ocorrência deste problema. Portanto, discuta com seu fisioterapeuta esta possibilidade.


INSUFICIÊNCIA MITRAL
Peço que me tirem uma dúvida. Fiz um ecocardiograma que revelou o seguinte: refluxo mitral mínimo com conseqüente insuficiência mitral de grau mínimo. Gosto muito de correr e queria saber se esse diagnóstico vai interferir nos meus treinos e competições.
Manoel Teotonio da Silva, São Paulo, SP


A insuficiência mitral de grau mínimo não deve lhe trazer repercussão clínica, mas você necessita agendar uma avaliação com um cardiologista para lhe apresentar o resultado deste exame, se é que você já não o fez. Aliás, por quem foi pedido este exame, e por qual razão? Havia alguma suspeita clínica de refluxo da válvula mitral? Você apresentava algum sintoma de cansaço excessivo, falta de ar, ou algo semelhante? Creio que o cardiologista possa lhe orientar neste sentido.


CISTO NO JOELHO
Tenho cisto no joelho esquerdo. Dói dia e noite; tomo Profam, mas não pára de doer. Isso tem cura, com remédios?
Josenir das Chagas, Itaboraí, RJ


Seu cisto de joelho é provavelmente um cisto de Baker, ou deve ser desta forma que esteja descrito no exame que você realizou. Este cisto é mais um achado do exame de imagem do que um diagnóstico em si, já que ele representa que houve alguma lesão em seu joelho, proveniente de entorse, trauma, sobrecarga etc. A quantidade de líquido na articulação aumenta devido ao processo inflamatório, e este se acumula na porção posterior do joelho, distendendo a cápsula articular e formando o tal do cisto de Baker, que é visualizado pelo exame de imagem. Você necessita de consulta com um ortopedista especializado em medicina esportiva para verificar a razão da formação do cisto e a detecção da lesão no seu joelho, assim o tratamento específico pode ser iniciado e você poderá voltar em breve às corridas.


DOR NA ESTEIRA
Tenho uma dúvida / problema que vem me deixando perplexo já há algum tempo. Durante treinos na areia ou asfalto não sinto nenhum tipo de dor; contudo, quando o treino é na esteira (dias chuvosos ou muitos atribulados) aparecem pequenas dores ou um pequeno incômodo nos tornozelos e joelhos durante e logo após a sessão. A intensidade é a mesma que utilizo quando corro pelas ruas e os calçados também. Alguém já passou por isso e/ou a revista pode me ajudar a esclarecer?
Cleber Santana, Santos, SP


Existe a possibilidade de você estar imprimindo um ritmo mais veloz na esteira do que nas ruas, já que na esteira você tem o movimento da mesma, que auxilia na superação da inércia. Na areia, como o piso é normalmente mais irregular, você deveria experimentar mais dores após seus treinos, porém não é o que está ocorrendo. Peça para algum professor de Educação Física observar sua corrida na esteira para lhe dizer se sua postura ao correr não está muito alterada.


VERTIGEM E MAL-ESTAR
Há cerca de dois anos comecei a sentir vertigem, idêntica à crise de labirintite, durante provas de 10 km. Atualmente isso tem acontecido inclusive em corridas de 21 km. Nos meus exames de laboratório está tudo bem, assim como nos testes de esforço. Tenho prolapso de válvula mitral, assintomática, e ruptura de disco lombar. Também fiz exames com otorrino e não apareceu nada. Só tenho a crise quando corro rápido, durante longo tempo. Vem o mal-estar, seguido da vertigem; se eu parar, piora, gira tudo. Então eu fico trotando até passar, sem mexer o pescoço, às vezes peço ajuda de algum corredor. Se parar, tenho ânsia de vômito, então vou sentindo o mal-estar até terminar. Será que algum leitor passou pelo mesmo problema e conseguiu resolver? E peço que me indiquem qual especialista que eu deveria procurar.
Anna Perez, Rio de Janeiro, RJ


Creio que você possa começar sua investigação com dois especialistas distintos, que são o ortopedista e o neurologista. No seu caso, torna-se importante descartar algum problema que esteja afetando a coluna cervical, pois você relata que já possui uma alteração na coluna lombar, ou algum problema neurológico não apontado pelos exames que já realizou. Esteve recentemente no cardiologista? Seu prolapso de válvula mitral sempre foi assintomático, ou isto já faz tempo que foi diagnosticado e não houve um acompanhamento apropriado? Vale a pena também consultar seu cardiologista para verificar se não houve nenhuma mudança neste sentido. Tenha cuidado, e bons treinos.

Uma resposta para “Lesão no menisco; Quadríceps; Insuficiência mitral; Cisto no joelho; Dor na esteira; Vertigem e mal-estar”

  1. Há ceca de 5 anos, tinha refluxo mitral leve, consultei recentemente e vi que hoje é moderado. Tenho 69 anos, 86 kg, feço musculação 4 x p semana e natação em mar aberto, exigindo o máximo, há cerca de 10 anos. Pratiquei esportes toda a vida e nunca senti, absolutamente, nada. ?Faço acompanhamento médico. Devo restringir minhas atividades? Acho que neste caso ficarei mto abalado.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados