Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

Joelho adversário; Bursite?; Cartilagem do quadril; Hérnia e protrusão discal; Caminhada difícil; Sesamóide calcificado; Joelho e quadríceps

Edição 184 - JANEIRO 2009 - JOSÉ MARQUES NETO


JOELHO ADVERSÁRIO
Li e reli a matéria "Joelho: você cuida do seu?", de outubro 2008, e claro as anteriores também (sou assinante desde que comecei a correr). Apesar de ter tomado todos os cuidados recomendados, meu joelho lesionou. Segundo a primeira ortopedista que me avaliou e pediu alguns exames e também conforme outro ortopedista, as lesões já vinham se intensificando ao longo dos últimos meses e provavelmente por eu ser bastante resistente a dor somente muito tempo depois foi detectado. Na ressonância e raios x o diagnóstico foi: - ‘'Reconstrução do ligamento cruzado anterior, notando-se alterações fibrocicatriciais na gordura infra-patelar e no tendão patelar, próprias da área doadora de enxerto, entretanto com sinais de tendinite proximal, com pequeno foco de rotura da superfície profunda do tendão e alterações inflamatórias na gordura de Hoffa. Sinais de bimeniscectomia, com lesão dos meniscos residuais. Condropatia entre graus II e III do compartimento fêmoro-tibial medial e entre graus III e IV dos demais. Derrame articular. Tenossinovite do poplíteo, semimenbranoso e pata de ganso. Plica sinovial médio-patelar espessada.'' Iniciei nas corridas em agosto de 2006 e já participei de diversas provas (inclusive com alguns pódios), entre elas algumas meias, e vinha preparando minha estréia em uma maratona para julho de 2009, quando farei 42 anos e queria correr 42 km! Agora tenho muitas dúvidas quanto a este diagnóstico; estou sem treinar há quase dois meses e só para final de novembro de 2008 consegui consulta com outro especialista. Apesar de todos esses problemas (lesões) detectados em meu joelho, poderei voltar a correr normalmente? Ou a partir de hoje meu joelho será meu ‘único´ adversário nas corridas?
Daniel de A. Costa, Florianópolis, SC


Seus exames apresentam imagens que traduzem processos de desgaste importante decorrentes de cirurgia prévia, que você não menciona em seu relato. Há quanto tempo foi feita sua cirurgia de reconstrução de ligamento cruzado anterior e regularização de ambos os meniscos? Como foi o período pós-operatório? Fez algum tipo de fisioterapia? É difícil responder se você conseguirá correr com a mesma intensidade que antes, mas creio que deva redimensionar seus treinos e competições para não sobrecarregar o joelho e assim possa correr por longo tempo, mesmo em distância e intensidade mais baixas. Protele por algum tempo sua estréia em maratonas e diversifique seus treinos com atividades aeróbicas alternativas, como aulas de hidroginástica, Pilates, musculação e "deep running" (corrida na água). Faça uso de substâncias condroprotetoras, como os sulfatos de condroitina e glicosamina. Seja paciente e bons treinos.

Publicidade


BURSITE?
Há dois meses venho sentindo dor no quadril do lado direito; primeiro era somente quando dormia de lado, agora começou a dor quando cruzo a perna e ao andar.
Sandra Cristina Nascimento, via-email


A dor no quadril direito que você está sentindo lembra um quadro de bursite do quadril, inflamação da bursa (bolsa) localizada junto a uma proeminência do osso da coxa (fêmur), causada por trauma, esforço exagerado, alongamento inadequado e/ou falta de fortalecimento muscular. Você sofreu alguma pancada nesta região? Queda? Aumento exagerado do volume de treino? Normalmente as medidas fisioterápicas são bem indicadas neste caso, além de compressas de gelo. Converse com um ortopedista para uma correta avaliação do seu caso.


CARTILAGEM DO QUADRIL
Tenho osteoartrite no quadril e gostaria de saber se não há como implantar a cartilagem perdida no meu quadril, para melhorar as dores e a mobilidade.
Sara Ferreira, via-email


O diagnóstico que você menciona é de osteoartrose do quadril, ou seja, um comprometimento da cartilagem (células especializadas) que reveste o osso na sua porção articular, resultando em desgaste e destruição deste tecido, gerando dor e dificuldade para a movimentação da articulação pelo paciente. A cirurgia para a implantação de cartilagem articular existe, e é chamada de mosaicoplastia, mas seus resultados são ainda pouco confiáveis pelo curto histórico que esta técnica possui. As células são injetadas na própria articulação, junto com outras substâncias que promovem seu crescimento e proliferação, e rígidas medidas fisioterápicas são adotadas durante o período pós-operatório. Consulte vários cirurgiões de quadril antes de tomar qualquer decisão.


ARTICULAÇÃO DO QUADRIL
Há alguns meses meu pai vem sentindo fortes dores na região lombar; lhe foi pedido uma tomografia e ressonância magnética, que revelaram provável remodelação óssea pós-trauma nos joelhos e articulação interfalangeana. Solicito um esclarecimento sobre o resultado destes exames e o que pode ser feito para a melhora dos problemas diagnosticados, como por exemplo exercícios que devem ser praticados e evitados e como fazê-los, tipos de alongamento etc.
Lucas Ribeiro Bernardes, Pouso Alegre, MG


Os exames de seu pai apresentam de uma forma geral alterações degenerativas da articulação do quadril. Seguramente que estes exames devem ser analisados tão somente após a realização de um criterioso exame clínico do paciente, porém apontam para um quadro de desgaste do quadril. Creio que seu pai deva iniciar com exercícios na água, de baixa intensidade, acompanhados por médico e fisioterapeuta, e observar a evolução do quadro clínico. Ele deve procurar perder peso para aliviar a carga sobre os quadris.


HÉRNIA E PROTRUSÃO DISCAL
Gostaria de saber qual a diferença entre hérnia de disco e protrusão discal?
Anderson Fernandes Siqueira, via-email


A hérnia discal ocorre quando há uma extrusão, uma saída do conteúdo gelatinoso que há no interior do disco intervertebral por entre as fibras externas deste disco e conseqüente pressão sobre a medula vertebral, ocasionando os sinais e sintomas clássicos do quadro clínico da hérnia discal: dor com irradiação para os membros, formigamentos, perda de força muscular e diminuição das atividades. Já a protrusão discal não implica na ruptura do ânulo fibroso do disco com a saída do conteúdo do núcleo pulposo, mas apenas uma pressão do disco sobre um ou vários níveis da medula vertebral e conseqüente quadro clínico, porém muito mais brando que o da hérnia discal.


CAMINHADA DIFÍCIL
Já há alguns anos venho percebendo uma diminuição na minha capacidade para andar. Sempre que ando em marcha contínua, sinto fortes dores na região dos quadris e minhas pernas parecem pesar toneladas. Minha marcha fica estranha, como se não conseguisse controlar os movimentos e tenho que parar e me sentar imediatamente até que as dores e o cansaço intenso passem. Sinto dores no quadril durante a noite, tendo dificuldades para me virar na cama. Estou aflita, pois não sei o que está ocorrendo. Percebo que dia após dia tenho mais e mais dificuldade para me locomover até mesmo em pequenas distâncias. Gostaria de orientação sobre o que pode ser e qual o profissional médico a procurar, exames a serem feitos etc.
Lia Machado, via e-mail


Seu quadro parece importante, portanto creio que deva procurar ajuda especializada. Suas queixas não são muito específicas, porém podem significar uma alteração neurológica. É diabética? Tem pressão alta? Sente dores na região lombar? Tem formigamentos nas pernas ou nos pés? Já sentiu tremores em suas extremidades? Creio que o primeiro profissional a consultar deva ser um clínico geral, e em seguida um neurologista. Acompanhe seu caso com rigor e não desista de encontrar uma melhora.


SESAMÓIDE CALCIFICADO
Sou assinante e acompanho sempre a coluna de medicina esportiva, excelente por sinal. Gostaria de tirar algumas dúvidas sobre o meu caso. Corro há 11 anos e tenho o sesamóide do pé esquerdo (hállux) calcificado irregularmente, por conta de lesão ocorrida há 10 anos. Em função disso, não posso usar salto alto e quando corro piso um pouco torto. Faz uns 2 anos comecei a sentir a perna esquerda queimar inteira, principalmente à noite. O problema é que quando corria a dor passava. Parei com a musculação e pernada na natação para ver se melhorava, mas mantive a corrida. Continuei assim até a Maratona de Florianópolis este ano. Então decidi parar e ver o que eu realmente tinha. Consultei um médico especialista em quadril e nada. Coluna lombar e nada. Aí alguém sugeriu joelho. O diagnóstico foi de tendinite em ambos os joelhos (subpatelar e superior), além de edema entre o segmento distal da banda ílio-tibial e o condilo femoral lateral em ambos os joelhos. Enfim, síndrome da banda, principalmente a esquerda e tendinite. Estou na 50ª sessão de fisioterapia, fazendo fortalecimento muscular e alongamento, principalmente da banda esquerda. Também estou mantendo a natação e iniciei Pilates. A queimação está concentrada nos joelhos agora. A banda queima na parte posterior da coxa, de vez em quando. O problema é que a dor reaparece algumas vezes. Pedalei esses dias e senti queimação na parte superior e inferior dos joelhos. Será que isso tem a ver com o sesamóide quebrado? Quando corro ele não incomoda. Será que ele é a origem de tudo? Ou a falta de fortalecimento é que ocasionou isso? Gostaria de saber se retirando o sesamoide vou correr normalmente ou vai ficar igual. Porque do jeito que está dá para levar, ainda mais agora que estou usando tênis correto para pronada severa, que é o meu caso. O médico especialista em pé falou que retirar é simples e não incomoda mais. Será? Sobre o joelho, será que vou voltar a correr normalmente? São normais essas dores que vão e voltam? Será que o tratamento com a fisioterapia está correto?
Leila Maria Baranhuk, Curitiba, PR


Realmente são muitos diagnósticos que você apresenta no seu relato. Creio que a fratura antiga do sesamóide esquerdo, que é um osso acessório localizado abaixo do osso do hállux (dedão do pé) e que cumpre uma função importante para os movimentos dos tendões dos dedos, certamente influenciou no desenvolvimento destas situações que você relata, como tendinopatias supra e infrapatelares (acima e abaixo do joelho), e síndrome da banda ílio-tibial (face lateral do joelho). São processos inflamatórios e degenerativos que surgem a partir de alguns fatores, como alterações biomecânicas na pisada, enfraquecimento muscular, excesso de treino e equipamento inadequado. A cirurgia para a retirada do osso sesamóide é tecnicamente simples, porém toda cirurgia tem algum risco, e não há absoluta garantia quanto aos resultados. Continue a utilizar um tênis para pisada pronada e observe os resultados. Mantenha o tratamento fisioterápico, além da natação e do Pilates. Não esqueça das compressas de gelo. Você está no caminho certo.


JOELHO E QUADRÍCEPS
Sinto dores intermitentes no joelho esquerdo. Realizei um exame de ressonância magnética, que diagnosticou "leve entesopatia do quadríceps". Isto está relacionado à dor que sinto no joelho? Qual o tratamento mais adequado?
Luís Henrique de Freitas, via e-mail


Sem dúvida nenhuma a entesopatia do quadríceps está relacionada às dores que você sente no joelho. Entésio é o nome do conjunto da junção tendão-osso, que permite ao músculo realizar o movimento dos membros. Seu quadro de entesopatia é leve, segundo o exame de imagem realizado, portanto não deve estar com muita dor. O tratamento de escolha no seu caso deve ser inicialmente a fisioterapia, com medidas analgésicas e posteriormente cinesioterapia (exercícios). Compressas de gelo aliviam os sintomas. Procure a orientação de um médico ortopedista para que o tratamento mais indicado seja prescrito e seu caso devidamente acompanhado.

Uma resposta para “Joelho adversário; Bursite?; Cartilagem do quadril; Hérnia e protrusão discal; Caminhada difícil; Sesamóide calcificado; Joelho e quadríceps”

  1. Estou com problema de entesopatia do quadril. Em palavras que um leigo, como eu, possa entender, o que significa? Qual o tratamento mais indicado? Posso fazer compressa? Fria ou quente? Obrigada

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados