Revista Contra-Relógio
// Guia do tênis de corrida //

GUIA DO TÊNIS DE CORRIDA

Edição 289 - OUTUBRO 2017 - ANDRÉ SAVAZONI

Para a edição deste segundo semestre do ano, os assinantes e a equipe da revista testaram 36 modelos de 12 marcas, para ajudar na próxima compra dos leitores.

Nas páginas a seguir você poderá buscar informações sobre 36 modelos testados por assinantes e pela equipe da Contra-Relógio de 12 marcas (Adidas, Asics, Diadora, Fila, Hoka One One, Mizuno, Nike, Olympikus, Puma, Saucony, Skechers e 361° Sport). Além disso, em lançamentos nesta edição, há mais opções de tênis que estão disponíveis a partir deste mês e que, por isso, não houve tempo hábil para os testes, incluindo de outras empresas, como a New Balance, a Brooks e a Under Armour, além de mais novidades da Saucony e Adidas, entre outras.
Em um trabalho que já dura vários anos, em todos os semestres procuramos ampliar o serviço do Guia do Tênis aos leitores. A primeira ideia é sempre contar com a participação de assinantes de diversas regiões do país. Nesta edição, temos corredores de Salvador, São Luís, Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Porto Velho e Cuiabá, entre outras cidades fora das capitais, como Foz do Iguaçu, Varginha, Ribeirão Preto, Atibaia, Campos dos Goytacazes, Niterói, São José, Valinhos, Cabreúva, Taubaté, Jundiaí, Santos e São Roque.
Dessa forma, conseguimos enviar modelos para o Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste, além do Distrito Federal. Outro ponto a se destacar é a diversidade de marcas, com a presença no teste pela primeira vez da Hoka One One (especializada em tênis de corrida maximalistas, com grande amortecimento, drop baixo e peso leve) e o retorno da Saucony, operando novamente no Brasil. Para o próximo guia, em abril de 2018, a meta é incluir ainda mais opções.

Publicidade


COMO SÃO FEITOS OS TESTES - A redação recebe a relação de modelos e tamanhos disponibilizados pelas marcas e então selecionamos os corredores para as avaliações, a partir da relação de inscritos para o guia (a cada edição, abrimos a oportunidade de participar, leia mais informações no final do texto). Os testadores treinam com os tênis por um mês em média e depois nos enviam relatório. Com base nas impressões dos assinantes, premiamos os modelos em cinco categorias.
Escolha do editor: Modelo escolhido pela redação em função da somatória de notas em oito quesitos: amarração, amortecimento, cabedal, conforto, estabilidade, flexibilidade, sensação geral durante a corrida e ventilação.
Melhor atualização: Para o calçado que obteve grandes melhorias ao passar por reformulação.
Melhor compra: Leva em conta a qualidade do tênis e o preço, o famoso custo-benefício.
Melhor para competição: Destaca o melhor modelo de baixo peso e boa opção para competição e treinos de velocidade.
Melhor lançamento: Para o modelo efetivamente novo que se destacou nas avaliações.


TESTADORES - Quer testar tênis para a Revista Contra-Relógio? É necessário ser assinante ativo e rodar ao menos 50 km semanais. Para participar, caso seja escolhido, o testador terá de pagar, quando necessário, somente o frete dos Correios para receber em casa o modelo. Lembrando que os tamanhos são disponibilizados exclusivamente pelas marcas, então, a escolha dos testadores é influenciada diretamente por isso.
Se você tiver esse perfil, faça o cadastro para o próximo guia, que sairá na edição de abril, enviando um e-mail até dezembro para andre@contrarelogio.com.br com o nome completo, numeração (em US e no Brasil) e endereço com CEP e cidade.


SERVIÇO


ADIDAS
www.adidas.com.br


ASICS
www.asics.com.br


DIADORA
www.diadora.com.br


FILA
www.fila.com.br


HOKA ONE ONE
www.hokaoneonebrasil.com.br


MIZUNO
www.mizuno.com.br


NIKE
www.nike.com.br


OLYMPIKUS
www.olympikus.com.br


PUMA
https://shop.brasil.puma.com


SAUCONY
www.usesaucony.com.br


SKECHERS
www.skechers.com.br


361 SPORT
www.361sport.com.br


MODELOS TESTADOS


ADIDAS SUPERNOVA ST
Conta com o amortecimento BoostTM de dupla densidade; cabedal em mesh respirável e leve, que visa oferecer suporte e ajuste confortável, e painéis laterais em TPU sem costuras. Entre as tecnologias, destaca-se o calcanhar Fitcounter (moldado para garantir um ajuste natural e excelente movimentação do tendão de Aquiles, segundo a Adidas). O solado ContinentalTM Rubber tem a função de garantir a aderência em piso úmido e seco. Pisada neutra e drop de 8 mm. Peso médio de 256 g (feminino 36) e 315 g (masculino 40). "Este modelo consegue corrigir ou minimizar a pronação e ao mesmo tempo ser macio. Algo raro. Tem uma ótima troca de calor. Por mais que esteja quente e úmido (fator comum na minha cidade), logo em seguida os pés estarão secos. Possui a característica de abraçar o pé, podendo ser usado sem meia. Típico tênis que a gente calça e não quer tirar. No passado, tive experiências não tão boas com outros Adidas Supernova, que não utilizavam a tecnologia Boost. Agora, mudou muito. Corri cerca de 178 km no teste e virei fã tanto do modelo quanto da tecnologia. Não tenho relatos negativos a passar. Excelente escolha", analisou Ricardo Medina, de Porto Alegre.
R$ 699,99


ADIDAS PUREBOOST
Cabedal em malha com regiões projetadas para oferecer ajuste adaptável e movimentação natural; plataforma mais larga na ponta do pé para melhor amortecimento do impacto. Essas são algumas características do Pureboost. Conta com lingueta com design diferenciado em material dobrável; cadarços configurados para facilitar o encaixe e reduzir a pressão nos pés e solado de borracha Stretchweb com a função de flexionar sob os pés, de acordo com a marca. Drop de 10 mm, pisada neutra e peso de 298 g (tamanho 40). "Rodei 140 km com o tênis e o maior longo foi de 25 km. Gostei do conforto e do nível médio de amortecimento, porém não considero um tênis ideal para provas; recomendo a utilização em treinos de até 20 km. Prefiro um tênis mais leve para competições. O modelo proporciona boa estabilidade, sendo possível correr em diversos tipos de terrenos. Tive a oportunidade de testá-lo na terra, calçadas e no asfalto. Não gostei da lingueta, que é dobrável na parte interna para se ajustar ao pé, mas dependendo dos movimentos durante a corrida, incomoda um pouco. Em relação à durabilidade, me parece ser um tênis que atende bem esse requisito, já que não apresentou grande desgaste com os 140 km rodados. Numeração normal, se adequou bem e pude correr normalmente no mesmo dia que recebi o produto", afirmou Roger Toledo Gissoni, de São Luís.
R$ 699,99


ADIDAS ULTRABOOST ST
Modelo conta com o amortecimento BoostTM de dupla densidade na região medial. Já o cabedal Adidas Primeknit tem a função de envolver os pés com suporte adaptável, leveza e conforto. Conta ainda com a tecnologia Torsion System entre o calcanhar e a ponta do pé para passadas estáveis. Forro em tecido confortável. O contraforte moldado Fitcounter visa oferecer ajuste natural, que permita ampla movimentação no tendão de Aquiles. Para pisada pronada, com drop de 10 mm. "A principal diferença do Ultra Boost St com relação ao Ultra Boost é a inserção na parte lateral do tênis de uma placa com densidade maior do que a do restante da entressola. Assim, além da já conhecida capacidade de amortecimento e resposta, o ST conta também com maior estabilidade e direcionamento nas passadas, especialmente dos pronadores. Venho usando vários modelos da linha Boost (Sequence, Adistar e Supernova), mas esse me surpreendeu pelo conforto do cabedal, tecido, maciez e estabilidade. Corri 100 km em pisos de asfalto e paralelepípedo, com subidas e descidas, e não observei qualquer incômodo. Nos treinos intervalados, a maciez e a resposta foram excelentes", disse Analberto Brasil de Souza, de Belo Horizonte.
R$ 899,99


ADIDAS ALPHABOUNCE RC
Modelo de entrada da linha de corrida. Sem qualquer costura, o cabedal Forgedmesh possui áreas de suporte e elasticidade para garantir ajuste personalizado que se adapta a cada movimento, informa a Adidas. O solado Adiwear tem a função de oferecer durabilidade máxima em áreas de alto desgaste, além de contar com o sistema de amortecimento Bounce. Pisada neutra, drop de 10 mm e peso médio de 282 g (masculino 41). "Gostei do conforto, do visual, do preço, do peso e do amortecimento firme (tecnologia Bounce). O único ponto negativo para mim foi a pouca flexibilidade. Recebi o modelo em uma quarta-feira, usei para passear de quinta a sábado e, no domingo, corri os 42 km da Muralha Marathon. Fiz uma excelente maratona e o tênis se comportou muito bem, mesmo nunca tendo corrido com ele anteriormente. Além disso, após essa prova, analisei durante treinos de 5 km, 10 km e 21 km. Em todas essas atividades, não tive problemas", afirmou Victor Hugo Pereira Franco, de Campos dos Goytacazes.
R$ 399,99


ADIDAS ULTRABOOST
O cabedal Adidas Primeknit envolve os pés com suporte adaptável, conforto e leveza. Entre as principais tecnologias, tem o sistema de amortecimento Boost, o solado de borracha Stretchweb e o Torsion System (entre o calcanhar e a ponta do pé para estabilidade nas passadas). Contraforte moldado Fitcounter visa ajuste natural e melhor movimentação do tendão de Aquiles. Solado ContinentalTM Rubber para melhor aderência. Pisada neutra, drop de 10 mm e peso de 266 g (feminino 36) e 312 g (masculino 40). "Recebi o Ultra Boost dois dias antes da Meia do Rio e, apesar de não ser muito aconselhável, não resisti e estreei o modelo na prova. Comportou-se muito bem, superando as minhas expectativas. O cabedal tem bom suporte e se expande, proporcionando um bom ajuste aos pés. O solado é leve, elástico e com boa aderência. A sensação geral é de um tênis muito confortável, estável e com ótimo amortecimento. Flexível e com boa ventilação. As placas laterais de plástico por onde passam os cadarços não chegam a incomodar e o sistema de amarração funciona bem. É o meu primeiro tênis da Adidas e fiquei muito satisfeito com a experiência. Testei-o em treinos de ritmo e rodagens no asfalto, grama e terra batida, além de intervalados em pista. Foram aproximadamente 100 km. O Ultraboost não sentiu desgaste durante o período e continua tão bonito quanto quando saiu da caixa", afirmou Stefan Zink, de Niterói.
R$ 799,99


ASICS GT 2000 5
Para aquele corredor que busca um calçado para todas as distâncias, com destaque para o amortecimento e a estabilidade. Essa é a apresentação da Asics para o GT 2000 5. A entressola possui tecnologia FluidRide, para melhor resposta nas passadas e mais leveza ao tênis; o cabedal tem novo design e possui partes sem costura, resultando em um melhor calce e conforto. Esta nova versão continua a oferecer a tecnologia de estabilidade DuoMax, que agora está mais extensa e permite ao corredor maior proteção e segurança durante o ciclo das passadas. Peso médio de 315 g. "Impressão inicial foi de um tênis com design meio antigo, mas de cor moderna, pesado e pouco flexível. A avaliação foi baseada em treinos na esteira, asfalto e grama, com altimetria e volumes (8 a 20 km) variados, incluindo tiros curtos e médios. Mostrou-se confortável, com bom calçamento e não causou qualquer tipo de incômodo físico (apertos, folgas ou bolhas), exceto o retorno de dores na fáscia plantar e um aquecimento na sola do pé, que diminuíram sensivelmente a partir do terceiro treino. Isso sugere que para alguns corredores seja necessário um período de adaptação/amaciamento. O tênis aparentemente direciona para uma pisada com o retropé (particularmente prefiro os que facilitam a pisada com o médiopé) e oferece bastante amortecimento (os joelhos agradecem nas corridas em declive). Um modelo que promete boa performance em treinos e corridas de longa distância", disse Satie Kimura, de São Paulo.
R$ 599,99


ASICS NIMBUS 19
Calçado mais premiado e de maior sucesso da Asics, o Nimbus 19 chega modificado e conta, entre as novas tecnologias, com a entressola em FlyteFoam, composta de fibras orgânicas que visam garantir mais durabilidade com menor peso e maior resposta durante as passadas. O cabedal, em Gradient Jacquard Mesh, possui tecnologia no tecido para aliviar os pontos de maior pressão nos pés causados por movimentos e flexões. A construção desse cabedal foi estrategicamente moldada para oferecer mais conforto e respiração aos pés. Indicado pela Asics para corredores neutro/supinados e levemente pronados. Peso médio de 310 g. "Fiz vários treinos na areia da praia aqui em Santos, asfalto e esteira, inclusive participando da Meia do Rio, em agosto, onde ele não encharcou mesmo com a quantidade de água que joguei no corpo durante a prova. Um tênis de ótimo amortecimento, estável e confortável. Corri aproximadamente 80 km e não apresentou qualquer sinal de desgaste. Para mim, é um tênis um pouco pesado, ideal para corredores que gostam de rodagens longas. Além disso, como nas edições anteriores, continua com um design moderno e muito bonito", analisou Vanessa Menezes de Andrade, de Santos.
R$ 899,90


ASICS NOOSA FF
Modelo ícone de triatlo da Asics e sucesso de vendas, o Nossa FF foi redesenhado. Traz novo design e a tecnologia de entressola FlyteFoam, que visa oferecer extrema leveza, mas sem perder a durabilidade. A entressola é composta de fibras orgânicas com o objetivo de diminuir o desgaste e ao mesmo tempo garantir um melhor retorno de energia. Cabedal com partes sem costura. A lingueta permite ao triatleta uma transição rápida durante as provas. Para pisada neutra/pronada e neutra/supinada, segundo a Asics. Peso médio de 260 g (masculino) e 210 g (feminino). "De início já gostei do design e dos tons da cor azul e laranja. Um detalhe curioso é que ele tem a logo da Asics somente no pé direito. É um tênis leve e que calça justo e confortável. O cabedal, sem costuras, é bem arejado com uma telinha bem fininha na parte superior. Não é dos mais flexíveis. Porém, essa tecnologia FlyteFoam entrega uma pisada bem leve e com bom amortecimento. O drop de 10 mm achei ideal e se adaptou muito bem à minha passada, que tem a aterrissagem com a parte traseira do pé. Após percorrer cerca de 80 km com o tênis houve somente pequeno desgaste natural na sola, preservando todas as outras características. Fiz treinos de até 21 km e participei das Dez Milhas Garoto com ele, ficando bem satisfeito com o resultado. Me impressionou pelo conforto ideal e sem excesso. Em nenhum momento machucou alguma parte dos pés ou os dedos", afirmou Eduardo Toshikazu Hanada, de São José.
R$ 699,90


DIADORA NJ 303
Possui cabedal em tecido mesh. Conta com forro especial com tratamento antibactérias. A palmilha fabricada em Elaston é removível, anatômica e visa à absorção de impacto. Traz na composição da sola o Net Breathing SystemTM, sistema composto de uma tela de proteção em fibra sintética e uma membrana impermeável e transpirante, integrado à entressola moldada em Elaston (EVA expandido e solado em borracha de alta densidade e resistente ao desgaste), segundo a Diadora. Indicado para pisada neutra, drop de 10 mm e peso médio de 242 g. "A primeira impressão foi de que não conseguiria completar a corrida, visto que senti um desconforto enorme nos meus pés, talvez até por não estar acostumado com um tênis mais leve e sem muito amortecimento. Porém, a opinião mudou no decorrer dos quilômetros. No mesmo dia, no final desse treino, percebi que ele já se moldou aos meus pés e veio o prazer de correr com ele. Se caracteriza por ser um tênis leve (dos que utilizei até hoje, o mais leve de todos), sem amortecimento, mas que não chega a interferir em corridas de até 15 km (que foi a maior distância percorrida no teste), mas para mim acredito que em corridas longas deve dar um desgaste maior, pois necessito de amortecimento pelas lesões que já tive. Trata-se de um modelo que serve muito bem para corridas e treinos mais curtos. Como ponto negativo, destaco algumas imperfeições no acabamento, que podem acabar diminuindo o tempo de uso do tênis", disse Clayton Moch, de Porto Alegre.
R$ 249,90


FILA KR3 KNIT
O KR3 Knit alia conforto de calce e estabilidade, com destaque para a leveza. Tem drop de 8 mm e combinações tecnológicas, mantendo a aderência em superfícies secas e molhadas. Nesta nova versão, o destaque é o cabedal Knit (peça única em tecido que visa garantir um calce macio e intensificar a troca de calor do pé). Peso médio de 184 g (masculino 40). Foi desenvolvido em parceria com corredores quenianos patrocinados pela Fila. "Primeira impressão assim que peguei o tênis: discreto e superleve. A metade da frente do solado é bem flexível e a de trás mais estruturada. A forma é maior e mais larga que a maioria das marcas que costumo usar. Ficou extremamente confortável no pé e não tive qualquer bolha, mesmo em longos sem aplicação de vaselina. O cabedal é uma tela com excelente ventilação. Não machuca nada, mesmo um pé com superjoanete como o meu. Só não testei sem meia. Ótima resposta em tiros, rodagens e longos, bom amortecimento, protege bem de irregularidades do solo. Penso ser muito indicado pra quem quer tentar reduzir aos poucos o drop. Solado com boa aderência, melhor do que a maioria dos tênis mais leves e com drop baixo que já usei. Enfim, delicioso, único detalhe é que a lingueta se move um pouco, mas não chega a incomodar", analisou Naiara Faria Xavier, de Ribeirão Preto.
R$ 499,90


HOKA CLIFTON 3
O Clifton 3 possui entressola com a tecnologia que visa proporcionar alto poder de absorção de impacto, sem abrir mão da leveza. O cabedal foi desenvolvido em tecido respirável e sem costuras, oferecendo flexibilidade para uma passada ainda mais fluida e conforto superior em treinos curtos ou com longa duração. Entressola elaborada em uma única peça para proporcionar amortecimento e estabilidade. Pisada neutra, drop de 5 mm e peso médio de 235 g (masculino) e 203 g (feminino). "Quando recebi o tênis da Hoka One, me assustei um pouco; era muito alto e grande, mas curiosamente leve. Logo fui comparar com outros que uso, de mesmo tamanho de outras marcas, e descobri 1 cm a mais no comprimento e na largura. No meu primeiro treino, a constatação do superamortecimento (mas não exageradamente macio), de maneira que mesmo em piso com pedrinhas, nada sentia. Rodei mais de 120 km com ele e fiquei bem satisfeito, mas não o colocaria para fazer uma prova. Muitas vezes, meus pés batiam um no outro, talvez por não estarem acostumados com um tenisão, em que conforto é a principal qualidade", afirmou Tomaz Lourenço, editor da CR.
R$ 799,90


HOKA HUPANA
Modelo oferece alta capacidade de resposta à passada, devido à entressola com tecnologia RMAT®, que visa assegurar tração, alta durabilidade e pouco peso. A sensação de conforto é reforçada devido ao excelente fluxo de ar no cabedal. Uma opção para as pessoas que querem utilizar o mesmo tênis para treinar e para o dia a dia, de acordo com a Hoka. Palmilha moldada Ortholite®. Pisada neutra, 5 mm de drop e peso de 232 g (masculino) e 178 g (feminino). "Recebi o tênis em 15 de agosto e no dia 16 já fiz 9 km com ele. Amortecimento bom e confortável. Porém, o início da corrida foi meio estranho devido à adaptação que o tênis exige. O material do cabedal é diferente, um pouco duro e seco, acredito que com o uso irá amaciar, mas isso me incomodou e deu bolhas no pé. Achei o Nit duro, o que incomoda, sem elasticidade e estruturado, mas tem boa respiração. Logo fiz um treino de 21 km com o modelo e acabei tendo muitos calos. A forma é estreita. Segui sofrendo com bolhas nos outros testes. A impressão geral é boa. Corri uns 80 km com o tênis e ainda não amaciou, mas é muito leve e acredito que irei me adaptar, quando ele amaciar mais", disse Juliardi Ziviani, de Belo Horizonte.
R$ 649,90


MIZUNO WAVE SKY
A Mizuno apresenta o Wave Sky, tênis projetado para oferecer máximo amortecimento de impacto, sendo indicado pela marca para treinos de rodagem e provas mais longas. Tem drop de 10 mm e o novo sistema Cloudwave. Conta ainda com as principais tecnologias da marca. De pisada neutra, tem peso médio de 325 g (masculino 41) e 254 g (feminino 37). "Testei o Wave Sky por 200 km em diversos tipos de terrenos. Fiz treinos curtos e longos em asfalto, estrada de chão batido e também em trilhas. Cheguei a percorrer 28 km na maior distância. O tênis me proporcionou conforto, segurança e estabilidade, com solado resistente e amortecimento excelente. Os cadarços são ótimos porque não desamarram com facilidade. Não fez calos e tem uma ventilação boa. Tênis aprovado e recomendado para atletas que buscam um produto de qualidade visando os treinos de alta performance", avaliou Ana Célia Correa, de Brasília.
R$ 799,99


MIZUNO WAVE SONIC TRI
Definido pela marca como um calçado leve, com a assinatura Ironman, seguro para aceleração e extremamente estável. Conta com cadarço elástico, pensado para triatletas. Peso médio de 220 g (masculino 41) e 190 g (feminino 37), pisada neutra e drop de 4 mm. "Achei que teria um pouco de dificuldade para me adaptar ao Sonic Tri. Essa minha suposição, no entanto, se desfez após o primeiro treino, de 10 km na esteira. Proporcionando bastante conforto e amortecimento, assim como estabilidade e uma boa resposta na passada, é ótima opção para aqueles que buscam um calçado de performance, sobretudo para provas mais encorpadas, como uma meia-maratona. A ausência de costura interna e o cadarço totalmente elástico dão bom ajuste ao pé e garantem que não irá desamarrar durante uma prova. O único ponto que me desagradou foi o tecido em AirMesh, um pouco mais duro do que o habitual. Com uma aparência plástica, feita para que não fique molhado em um hipotético dia de chuva, não tem um bom sistema de ventilação e, em dias mais quentes, o tênis pode se tornar desconfortável. Na avaliação geral, me surpreendeu pelo conforto, agradou bastante pelo amortecimento e certamente será adotado em todas as minhas provas a partir de agora, de 10 km ou 21 km", afirmou Paulo Finatto Júnior, de Porto Alegre.
R$ 599,99


MIZUNO WAVE SHADOW
Um calçado leve e estável com flexibilidade e amortecimento para corredores velozes. Essa é a definição da Mizuno para o Wave Shadow. A marca destaca ainda a alta maciez e durabilidade, indicando o modelo para treinos longos devido à estrutura equilibrada. Pisada neutra e peso de 250 g (masculino 41) e 210 g (feminino 37). Drop de 8 mm. Conta ainda com a palmilha Premium Insock e o tecido AirMesh, entre outras tecnologias. "Percorri uma média de 60 km semanais durante o período de testes. Um ponto inicial é que o tênis causou bolhas, mesmo sendo um número maior do que costumo usar. Porém, após três treinos, ele parou de machucar o pé, ficando mais macio e confortável. Achei fácil de calçar e bem leve, além de ser lindo e bem feminino. Recomendo", analisou Regina Araújo Alves, de São Paulo.
R$ 599,99


MIZUNO WAVE HORIZON 2
Primeiro modelo para pisada pronada da Mizuno a receber a tecnologia Cloudwave, destacando-se pela maior estabilidade. Indicado para altas quilometragens e novidade na coleção deste semestre. Peso médio de 330 g (masculino 41) e 275 g (feminino 37). Drop de 12 mm. "Corri exatos 115,8 km. A maioria de 10 a 12 km, intervalados e rodagem. No último dia de teste, fiz uma meia-maratona. Na primeira vez que o calcei, fiquei com a impressão de um tênis duro, com pouco amortecimento, mas estava enganado. Logo após 5 km, percebi o ótimo amortecimento, tanto na região do calcanhar quanto do médiopé. A sensação de estabilidade é muito boa, o que não verificava com o Prophecy e com o Creation. O melhor de todos os Mizunos que já usei. Bonito, confortável, e não senti qualquer ponto de atrito na parte interna. No entanto, tive a impressão de pouca ventilação (talvez a culpa seja do Inverno de 34°C na minha cidade). O cadarço nunca soltou (e só usei com nó simples nos 115 km). Apresenta excelente tração, dando segurança para terrenos mais acidentados, sendo muito bom para intervalados. A durabilidade parece ser acima da média, já que notei pouquíssimo desgaste. Apesar de não ser um tênis tão leve, o amortecimento e o conforto compensam", disse Leonardo Keiti Okuno, de Foz do Iguaçu.
R$ 699,99


MIZUNO WAVE PRORUNNER 20
Modelo tradicional da Mizuno, o Prorunner é versátil, sendo indicado pela marca tanto para corridas rápidas quanto para longas quilometragens. Destaca-se pelo sistema de amortecimento. Peso de 290 g (masculino 41) e 245 g (feminino 37). Pisada neutra e drop de 12 mm. Conta com as principais tecnologias da marca. "Utilizei o Prorunner 20 em treinos de pista, asfalto, cascalho e terra, rodando por volta de 110 km. Fiquei muito satisfeito com o tênis. É bem estável e tem um amortecimento ideal, mesmo para quem está acostumado a correr com minimalistas. Extremamente confortável, não esquenta no pé e nem encharca com chuva. Devido ao perfeito ajuste ao pé, foi muito bem também em treino de rampas e ladeiras, e com certeza roda fácil em provas longas. Passou a ser um dos meus preferidos, apenas recomendo o uso de um número maior que o normal", avaliou José Maria Júnior, de Atibaia.
R$ 599,99


MIZUNO CREATION 19
Tradicional calçado da Mizuno, o Creation destaca-se pelo máximo amortecimento e estabilidade, mantendo as características nesta nova versão. Conta com as principais tecnologias da marca, como os sistemas X10 (solado), Wave e U4ICX (entressola) e AirMesh (cabedal). Peso de 360 g (masculino 41) e 300 g (feminino 37). Tem drop de 12 mm e pisada neutra. "Essa nova versão do Creation teve a aprovação de 100% em todos os tipos de terreno percorridos durante os testes. Minha média semanal tem sido de 140 km em asfalto, terra e até areia. Fiquei bem satisfeito com o modelo, que se mostrou ao mesmo tempo confortável e fácil de calçar, não provocando qualquer bolha, mesmo com o atrito da areia, além de não desamarrar nos treinos. Além disso, esteticamente é bem bonito", afirmou Nelson Vinicius Alves, de São Paulo.
R$ 799,99


NIKE FREE RN MOTION FLYKNIT 2017
O cabedal ultrafino totalmente adaptável do Nike Flyknit visa maior respiro no contato com a pele. Feito em uma peça de construção que integra áreas de alta respirabilidade, oferece conforto e suporte onde o corredor mais precisa. O design com tiras elásticas na parte superior do pé elimina o cadarço, é personalizável e proporciona conforto sem pressão. O calcanhar anatômico arredondado visa promover uma amplitude de movimento mais natural. Peso médio de 233 g (masculino 42) e 182 g (feminino 37). Drop de 4 mm e pisada neutra. "O tecido do cabedal envolve o tornozelo e o pé, dando uma sensação firme, porém elástica. O sistema de duas alças permite que você personalize o ajuste e elimine qualquer pressão dos cadarços tradicionais. O solado extremamente flexível permite realmente que você se movimente de forma natural. Espuma macia e firme combinada para amortecimento leve, que promove uma passada macia. Tênis extremamente leve, com um drop baixo e sensação às vezes de que você está correndo somente com um par de meias. Treinos de até 21 km no asfalto sem problema algum. Totalmente confortável e flexível. Adorei", disse Júnior Azevedo, de Jundiaí.
R$ 599,90


NIKE AIR ZOOM PEGASUS 34
O Nike Air Zoom Pegasus 34 possui tecido Flymesh (sem costuras) atualizado para respirabilidade e leveza, além de amortecimento responsivo para longas quilometragens. A tecnologia Dynamic Fit possui cabos Flywire, que envolvem o arco do pé para um suporte firme e fixação segura. Espuma Cushlon premium e unidade Zoom Air no antepé e no calcanhar criam uma sensação responsiva e resiliente sob o pé. Pequenos cortes no solado aumentam a flexibilidade. Peso de 286 g (masculino 42) e 255 g (feminino 37). Drop de 10 mm e pisada neutra. "Para a avaliação, corri 120 km, variando os treinos entre 8 km e 21 km, sempre no asfalto e com tempo seco e quente. Logo no primeiro treino, fiz 10 km e parecia que estava usando um tênis ‘amaciado', embora tivesse tirado da caixa no dia anterior. Achei essa nova versão do Pegasus leve, bem encaixado nos pés, sem escorregar e com amarração firme. Sinceramente, não senti incômodo alguns nos pés em qualquer momento. Foi bem interessante também o tênis ter ficado praticamente seco após os treinos. Há muitos anos não corria com um modelo da Nike e me surpreendeu bastante! Certamente voltarei a considerá-los nas próximas escolhas", disse Bruno Correia, de Belo Horizonte.
R$ 499,90


NIKE FREE RN FLYKNIT 2017
A apresentação da Nike para o modelo é de "quilômetros de conforto com um solado excepcionalmente flexível para uma passada totalmente natural". O tecido Flyknit envolve o pé para um ajuste firme, de suporte, ao passo que o solado de três pontas se expande e flexiona para permitir uma movimentação natural. Entressola em espuma que também atua como um solado, para proporcionar amortecimento leve. Cabos Flywire se integram aos cadarços para fixação do mediopé. Drop de 8 mm e pisada neutra. Peso de 223 g (masculino 42) e 180 g (feminino 37). "Tênis muito leve e confortável. Fiz treinos na pista, na rua e na esteira sem qualquer desconforto. Inclusive, avaliei durante um longo de 26 km na chuva. Apesar do cadarço ser curto, não desamarrou. Nesta versão, não é confortável usar sem meias, como em outros modelos da linha Free, pois tem tecido um pouco mais grosso. Em função da sola não tão flexível, senti mais estabilidade, já que a parte superior é toda em tecido. Indico para treinos curtos, intervalados e de velocidade em geral, mas eu até faria uma meia-maratona com ele. Recomento para quem já está acostumado aos tênis mais baixos ou, então, adotar um período de transição", afirmou Mariluci Savazoni, de Jundiaí.
R$ 549,90


NIKE AIR ZOOM STRUCTURE 20
Indicado para treinos longos e recomendado pela Nike para corredores que precisam de mais estabilidade. Um dos maiores clássicos da marca, essa nova versão chega com as tecnologias que o tornaram uma referência no mercado: a entressola Dynamic Support que visa estabilidade para transições mais suaves e o amortecimento Zoom Air no antepé para absorção de impacto e resposta rápida. Pisada pronada e drop de 10 mm. Peso médio de 318 g (masculino 42) e 264 g (feminino 38). "Testei o tênis em duas meias-maratonas, sendo a primeira na do Rio e a segunda na Tribuna Ribeirão Preto, além de mais de dois treinos de 12 km e dois longos de 20 km. Gostei da firmeza no calcanhar, muito estável, do meio do pé para frente (mediopé) bem solto, proporcionando até uma maior amplitude nas passadas. Sensação de impulso a cada passada. Na Meia do Rio não senti desconforto, foi bem a prova toda. Já na de Ribeirão, os pés aqueceram um pouco, talvez porque estava 34°C no dia. Amarração muito boa com sobra de cadarço. O mesh do cabedal proporciona boa ventilação. Ficou muito bom sem aquelas ‘fitinhas' que apertavam muito na amarração. Solado com pouco desgaste", disse Reuvande Pires, de Ribeirão Preto-SP.
R$ 499,90


NIKE AIR ZOOM VOMERO 12
O equilíbrio entre suporte adaptativo e amortecimento responsivo são os destaques do Nike Air Zoom Vomero 12. A entressola de dupla densidade, com espuma Lunar macia no centro e espuma Cushlon mais firme, proporciona uma transição suave. Mesh trabalhado no cabedal para conforto e ventilação. Cabos Flywire oferecem ajuste adaptativo e firmeza. Pisada neutra. Drop de 10 mm. Peso de 334 g (masculino 42) e 266 g (feminino 37). "Foram 195 km percorridos nos 23 dias de testes, incluindo dois longos, um de 21 km e outro de 35 km, sendo o restante em rodagens em torno de 10 km por dia. Também participei de duas provas, uma de 5 km e outra de 7 km. O tênis já no primeiro momento chamou a atenção pela beleza. O cabedal sem costura faz com que o calce seja muito confortável, parecendo que abraça o pé. O conforto é realmente muito bom. Em rodagem baixa, até 10 km, o amortecimento se mostrou satisfatório, contudo, acima disso, senti um pouco de incômodo nos joelhos nos dois longos. Não recomendaria se o intuito for o de rodagens maiores. Agora, se for para distâncias menores, o tênis se mostra muito adequado e recomendável", avaliou Juscelino Antonio Tomas, de Cuiabá.
R$ 649,90


NIKE ZOOM WINFLO 4
O tênis Nike Zoom Winflo 4 apresenta tecido em mesh para conforto respirável e solado de borracha com padrão Waffle para tração. O apoio Cushlon na lateral ajuda a absorver o impacto e promover transições suaves. Mesh inteligente no antepé cria um ajuste respirável e com suporte. Ranhuras no solado para uma passada mais natural. Drop de 10 mm e pisada neutra. Peso médio de 255 g (masculino 42) e 209 g (feminino 37). "Tênis muito confortável, leve e macio. Além de bonito, gostei bastante do sistema de amarração, permitindo que o cabedal abrace muito bem o pé, sem apertar. Usei-o em treinos no asfalto, esteira e trilha, inclusive em tiros, com perfeita adaptação. Um ótimo tênis que eu classificaria como de ‘entrada', para corridas em distâncias curtas e médias, pois o amortecimento para longos a partir de 1h30 já deixa um pouco a desejar. No geral, aprovei o Winflo 4, principalmente para utilização em treinos e provas de até 10 km", afirmou Carlos Eduardo Bicca Marques, de Brasília.
R$ 399,90


NIKE ZOOM FLY
O Nike Zoom Fly possui inovadora placa de fibra de carbono e espuma Lunarlon para uma sensação leve e responsiva. O tecido Flymesh e a tecnologia Flywire trabalham juntos para proporcionar respirabilidade e suporte seguro no mediopé. A placa de carbono em toda a extensão atua como uma mola para propulsão máxima sob o pé. Drop de 10 mm. Peso de 240 g (masculino 42) e 184 g (feminino 37). Pisada neutra. "A primeira coisa que chama atenção é o design e o acabamento: o tênis é realmente muito bonito e o acabamento primoroso. Estável e confortável, porém para o meu gosto e por estar acostumado com tênis bem baixos (drop 4 mm), considerei pesado e muito alto. Usei uma numeração maior que a usual, pois a forma é estreita. Acredito que por ter um solado muito duro e nada de flexibilidade, não apresentou qualquer sinal de desgaste após rodar mais de 100 km. Fiz o treino mais longo de 28 km praticamente todo em asfalto e um treino em pista de atletismo sintética, onde apresentou o melhor retorno de energia. No entanto, foram nos treinos longos que ele se mostrou eficiente. Com certeza, melhor tênis da Nike que já usei", disse Daniel Gimenez Rocha, de Jundiaí.
R$ 599,90


OLYMPIKUS INVICTUS
O Invictus é um dos grandes destaques deste semestre da Olympikus. O modelo tem cabedal em tecido sintético da nova tecnologia Oxibreath 2.0 (composto por dois materiais que formam uma única trama, com o objetivo de garantir maior ajuste, respirabilidade e flexibilidade aos pés). A sola está mais alta e macia, visando amortecimento e propulsão. O Gripper aplicado na parte frontal e na traseira do tênis tem a função de proporcionar alta resistência à abrasão, além de ser antiderrapante. A novidade fica por conta do 7º furo para amarração. Peso de 237 g, drop de 12 mm e pisada neutra. "Percorri diversos tipos de terrenos e a estabilidade, a segurança e o amortecimento foram surpreendentes, afinal são 12 mm de drop. Porém, não tem uma resposta muito rápida no contato com o solo, deixando a performance um pouco prejudicada, principalmente nos intervalados, quando não foi fácil se acostumar com a altura do solado e o tamanho do cabedal. Por outro lado, durante os treinos mais longos se comportou muito bem. Bonito, uma excelente opção com cores discretas e bastante faixas refletivas, recomendo para pessoas que estão acostumadas com drop alto. O único ponto é que, depois do terceiro treino, passei a sentir um desconforto no tendão calcâneo, o que me levou a interromper outros dois treinos durante o período de testes", afirmou Murilo Belmonte Rodrigues, de Atibaia.
R$ 299,99


OLYMPIKUS CHALLENGER
Modelo oferece ótimo custo-benefício. O cabedal sem costura, confeccionado em tecido dupla frontura sobreposto por tecido da tecnologia Oxibreath 1.0, tem a função de garantir alta respirabilidade aos pés. O forro em tecido poliéster com espuma garante conforto e ajuda na baixa temperatura interna do calçado. O solado também conta com a nova fórmula EVA Elevate Pro, elaborada para melhorar a performance em resiliência, propulsão e durabilidade. Além de contar com a tecnologia Gripper, antiderrapante e de alta resistência. "Primeiro, achei o tênis muito bonito e mais leve do que aparenta. Testei por 60 km, sendo 35 km no asfalto, 10 km na esteira, 10 km na terra e 5 km na grama. Fiquei de imediato com receio, pois pela primeira vez usava um modelo com 12 mm de drop, mas logo que comecei a correr me senti confortável. Gostei da ventilação e da estabilidade. Na esteira também foi bem. Apenas na terra, em um terreno instável com muita subida e descida, ficou um pouco desconfortável, mas não tive problemas extras. Gostei muito no asfalto e acredito ser o ideal para iniciantes e corridas curtas (10 km)", analisou Benedito Mesquita, de Cabreúva.
R$ 199,99


OLYMPIKUS PROVOKE
Para pisada neutra, tem design diferenciado, com cabedal desenvolvido em material sintético e tela com aberturas em listras sobrepondo o tecido. O forro em tecido poliéster com espuma proporciona conforto e contribui para a baixa temperatura interna do calçado. Já a aplicação do 7º furo visa maior estabilidade ao corredor. O grande diferencial fica por conta da tecnologia Ligth Run, uma luz de led com três estágios (piscante, alerta e contínua) que permite maior visibilidade em qualquer ambiente, iluminado ou não, oferecendo segurança nas corridas noturnas. A luz de led pode ser recarregada por um cabo de USB que acompanha o tênis. "A minha primeira impressão foi de que se trataria de um modelo para longas distâncias e terreno não acidentado, tanto pelo drop quanto pela construção, o que se concretizou nos treinos. Como quis avaliar em todas as condições, corri no asfalto e misto (pista com pedrisco) e também em diferentes distâncias. O resultado foi bom conforto em asfalto e sensação de amortecimento. No percurso misto não foi tão bom, nem nas distâncias curtas. Como ponto positivo, a excelente ideia de incorporar o sistema luminoso. Mas precisa melhorar a proteção do ponto de carregamento da luz de led, pois a tampa já ficou com o encaixe solto no primeiro dia, podendo comprometer o sistema se molhar, além da proteção interna do botão (no começo, me incomodou um pouco, parecia uma pedra no tênis, depois acostumei)", disse Cláudio Ricardo Monteiro Pinto, de Valinhos.
R$ 399,99


OLYMPIKUS SPEEDY
Tela com maiores aberturas, geométricas em hexágonos, para maior transpiração. Cabedal em estilo meia, inteiro com a lingueta, para proporcionar um maior ajuste ao pé e segurança à corrida. Conta com dois tecidos em dupla frontura com construção em malha aberta para maximizar a respirabilidade. Borracha antiderrapante visa proporcionar uma maior resistência ao produto. Para pisada neutra, com drop de 12 mm e peso médio de 265 g. "Bonito e moderno. Nada chamativo. De formato bem largo. Tive de amarrar bem apertado. A numeração 35 parece um pouco maior do que a normal. A sola é bem alta e difícil de correr, faz com que se toque no meio do pé primeiro e não com a parte da frente. Tem um bom amortecimento, mas reforço, a sola é extremamente alta. Quando coloquei o tênis, a língua do lado direito ficou pegando no meu pé na parte de cima. A costura dentro é bem grande. Tentei ajeitar da melhor forma possível para não ficar machucando, mas não teve jeito. Pode ser um problema de fabricação, mas incomodou o tempo todo nos treinos na rua e na esteira da academia, os locais que corro normalmente", avaliou Arisa Okawa, de São Paulo.
R$ 299,90


PUMA SPEED IGNITE NETFIT
Entre os diferenciais deste modelo, destacam-se o Netfit (sistema de personalização de amarração, que se adapta a diversos formatos de pé, oferecendo ajuste seguro e confortável) e o Ignite (tecnologia de amortecimento que conta com espuma exclusiva com um mix de PU para uma resposta mais rápida). Cabedal em tecido EvoKNIT leve que se ajusta ao formato do pé. Peso de 250 g, drop de 6 mm e, devido às amarrações especiais (sistema Netfit) se adapta a todos os tipos de pisada, de acordo com a Puma. "O modelo me surpreendeu muito. Tem um visual mais elegante do que outros modelos, a numeração correta deixa uma folga boa dentro do tênis e também no comprimento, fatores muito importantes para nós corredores. Amortecimento ótimo para corridas de pequenas, médias e longas distâncias no asfalto ou na terra. O cadarço também tem um tamanho bom, não sendo nem muito curto nem muito longo. Solado estável não apresentando riscos em qualquer tipo de piso e também uma boa drenagem. Corri na chuva e o tênis não ficou encharcado. Fiz corridas também de 21 km em uma temperatura acima de 30 graus e ele ventila bem, sem calor interno", afirmou Mário Smarjassi Filho, de São Roque.
R$ 699,90


SAUCONY TRIUMPHY ISO 3
Modelo indicado pela Saucony para variadas distâncias, sendo ótima opção para as mais longas, tanto para corredores iniciantes como experientes. De acordo com a marca, é um tênis ideal para quem busca conforto, alto amortecimento e excelente ajuste ao pé em um calçado estruturado e com grande proteção para as articulações. Peso médio de 298 g (masculino 41) e drop de 8 mm. "Com mais de 200 km rodados, incluindo treinos de tiros e rodagens de até 26 km com calor e chuva, o tênis me surpreendeu muito no conforto, peso e durabilidade. Achei-o muito versátil, respondeu bem em todas as condições, inclusive em uma meia-maratona, que completei em 1h32. Tem boa respirabilidade, não esquenta o pé, a lingueta fica fixa no cabedal juntamente com dois suportes, dando uma boa sensação de firmeza e estabilidade. Apenas um aspecto negativo: a amarração. O material do cadarço permite que durante a corrida o tênis fique mais solto e isso atrapalhou bastante", disse Fernando de Freitas Caetano, de São Paulo.
R$ 899,90


SKECHERS GORUN 5TM
Quinta geração da série, o GOrun 5TM está mais leve, mais confortável e responsivo. Além disso, com uma aplicação de material de maior densidade por todo o solado, esse novo modelo promete ser mais durável, sem acrescentar peso ao produto. O cabedal também foi totalmente reformulado, ficando mais leve. Segue com drop de 4 mm e para pisada neutra. Pesa 212 gramas no tamanho 41. Um dado interessante é a que a nova versão está R$ 30 mais barata em relação à versão anterior. "O tênis foi utilizado em um pouco mais de 100 km na esteira, grama, terra e asfalto. Se mostrou muito confortável; a mudança no solado fez grande diferença, pois o grip está bem melhor do que no Gorun 4. A resposta da passada ficou mais nítida e bem perceptível. No quesito conforto, ele de fato me surpreendeu, porque esperava um tênis um pouco mais duro. Fiz alguns treinos mais longos com a palmilha (melhora a sensação de conforto) e gostei muito. Sem ela, sente-se melhor a resposta e o drop baixo. Assim, o tênis ganhou destaque pois a sensação é ótima, com sensibilidade evidente, sem perder o conforto. Só teve um ponto negativo: quando corri sem meias causou um pequeno calo acima dos dedos", avaliou Ricardo Ferreira Bruno, de Porto Velho-RO.
R$ 499,99


SKECHERS GORUN RIDE 6TM
Conta com mais amortecimento Resalyte®, mas mesmo assim, a Skechers promete a mesma responsividade e estabilidade. Drop de 4 mm e peso de 235 g no masculino 41. "Foram 110 km percorridos, incluindo uma meia-maratona. Nunca havia experimentado um tênis da marca. Na verdade, só a conhecia de nome. A leveza do tênis impressiona mesmo antes de colocar no pé. E também a extrema flexibilidade. Calçá-lo, mesmo com os cadarços pouco afrouxados, foi uma tarefa fácil com o uso do sistema Quick Fit, uma alça presente na área do calcanhar que deve ser muito útil para a transição rápida entre o ciclismo e a corrida, no triatlo. O tênis se molda ao pé do corredor. Sobre os cadarços, importante salientar que eles não se desamarraram durante os treinos e a prova, mesmo com apenas um nó. A ventilação é adequada. O solado favorece a pisada de médio pé. Acredito que isso requer certa adaptação para corredores iniciantes ou para aqueles que tocam o solo com o calcanhar. Por possuir drop baixo, faz com que o corredor sinta o piso sob seus pés, entretanto com estabilidade, dando a sensação de controle das passadas. Concluindo, foi uma grata surpresa conhecer o Skechers GORun Ride 6. Se verificar, com o uso prolongado, que a durabilidade é comparável à de outras marcas, se torna mais uma boa opção de equipamento", analisou Marcelo Henrique Martins Nunes, de Varginha.
R$ 479,99


361 ORTEGA 2
O Ortega 2 é um modelo único neste guia, pois é híbrido. O perfil mais baixo o torna funcional também no asfalto, mas conta com a sola rugosa, específica para trail, oferecendo excelente adesão ao solo e boa tração também na terra, areia e grama. Drop de 9,5 mm (homens) e 8,5 mm (mulheres). Peso de 303 g (masculino) e 252 g (feminino). "Confortável, com boa flexibilidade, respirabilidade e leve. Ao fazer a amarração tradicional, fica impossível aproveitar o 7º furo, pois o cadarço é curto, mas não chega a comprometer a firmeza e a estabilidade na região do tornozelo. Fiz rodagens em diversos terrenos e condições, e no geral ele se apresentou muito bem. Vai agradar todo tipo de corredor de trilha, desde os mais experientes até os iniciantes. Nas subidas deixou um pouco a desejar na tração, já nas descidas é fantástico, muito seguro. Na chuva e em terrenos molhados, a água entra com certa facilidade, mas em compensação o calçado seca rapidamente porque possuiu bom sistema de drenagem. Saiu-se bem em terrenos com pouca lama. Pedras, galhos, folhas, palhas e pequenos desníveis foram transpassados sem maiores dificuldades. Dois detalhes me preocuparam: enrugamento na parte traseira e um leve descolamento no bico (apenas no calçado esquerdo). No geral, surpreendeu positivamente", disse Alexander Siqueira Barros, do Rio de Janeiro.
R$ 449,90


361 STRATOMIC
O Stratomic é o principal destaque da temporada da 361°. Construído sobre uma plataforma clássica, o modelo tem uma pegada moderna graças ao design do cabedal, inspirado nas garras de uma pantera e abraça os pés como uma luva. Tem peça frontal única, sem costura, em trama mesh (respirável) e lingueta anatômica acolchoada, além de colarinho estendido para maior conforto ao tendão de Aquiles. Drop de 8 mm e peso médio de 330 g (masculino) e 241 g (feminino). "Amarração excelente, com tamanho do cadarço ideal. Amortecimento muito bom, sobretudo para mim que geralmente começo meus ciclos de treinamento acima do peso! A lingueta foi uma grata surpresa, flexível e se encaixa perfeitamente no formato do pé, coisa que não tinha visto em outros modelos que havia usado. Usei na reta final da preparação para a Meia-Maratona Farol a Farol. Ao todo foram 14 treinos de corrida entre intervalados, regenerativos, ritmos de prova, rodagem e longos, no asfalto e calçadas pela orla, chegando a 181 km. No segundo treino, senti um incômodo no dedão do pé direito e, ao tirar o tênis e olhar, estava sangrando. A partir daí, protegi com um band-aid e não tive mais problemas. No quesito tamanho, talvez seja mais prudente pessoas com pés mais largos adquirir uma numeração maior. Pelo amortecimento, considero ser adequado para treinos e provas mais longas do que para aquelas que necessitem de mais velocidade", afirmou Claudio Roberto Sampaio Amorim, de Salvador.
R$ 699,90


361 SPIRE 2
Indicado pela 361 para treinos de alta quilometragem, devido ao amortecimento, essa nova versão conta com mesh híbrido, macio e respirável, além de melhora no suporte, com peças soldadas diretamente no cabedal. A borracha expandida no antepé e o Quikfoam aplicado da lateral até o solo - e interligado pela entressola - visam garantir um máximo de amortecimento. A nova lingueta, anatômica, é mais leve e tem melhor encaixe ao pé. O robusto contraforte externo (calcanhar) em TPU foi substituído por Lycra. Pisada neutra. Drop de 11 mm. Peso de 297 g (masculino) e 274 g (feminino). "Rodei 147 km durante o período de teste em diversos pisos: asfalto, grama, terra batida e pista de atletismo. Bonito, confortável, estabilidade boa, oferecendo segurança. O solado não sofreu desgaste. Considero um tênis indicado para rodagem longa e também para iniciantes que estejam acima do peso, pois têm estrutura para ambos os casos. Entre os pontos que indiciaria para melhorar estão a adoção de material mais refletivo para quem treina à noite e o cadarço mais leve achatado (o atual desamarra) e menos almofadado", disse Edmilson Calorindo dos Santos, de Taubaté.
R$ 599,90

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados