Revista Contra-Relógio
// Especial //

GUIA DO TÊNIS DE CORRIDA

Edição 277 - OUTUBRO 2016 - ANDRÉ SAVAZONI

Assinantes da Contra-Relógio testaram 24 modelos de 10 marcas para ajudar na escolha do seu próximo tênis de corrida


As empresas seguem apresentando novidades no mercado de tênis de corrida no Brasil. Neste Guia, assinantes da Contra-Relógio testaram 24 modelos de dez marcas (Adidas, Asics, Fila, Mizuno, Nike, Olympikus, Puma, Skechers, Under Armour e 361 Sport).
Novamente, em um fator que já está consolidado no mercado, a maioria dos modelos é para pisada neutra, inclusive indo ao encontro dos estudos científicos mais modernos, realizados nos últimos anos e colocados em discussão aqui na revista, de que os controles de pisada acabam não interferindo na corrida, a não ser em casos extremos.
Outro ponto que não há mais discussão tem relação com a redução de peso, uma busca constante dos projetistas para tirar gramas tanto nos lançamentos quanto nas atualizações de modelos. Além disso, nesse quesito de leveza, a maioria das empresas está desenvolvendo tecidos mais confortáveis, com tramas abertas, sem costuras e que abraçam os pés, mas sem comprimir, o que melhora o conforto, e até se expandem em caso de corridas mais longas, quando os pés tendem a inchar um pouco.
Por outro lado, com a alta do dólar e a questão dos impostos, há o fator do custo final dos produtos, com a maioria ficando perto ou acima dos R$ 500, mas com alguns tênis chegam superando o valor de R$ 1 mil.
No primeiro semestre deste ano, na edição de abril, fizemos o maior Guia do Tênis da CR com 51 modelos avaliados e, agora, o destaque fica para a participação total dos assinantes: pela primeira vez, com 100% dos avaliadores - tradicionalmente colaboradores e editores da revista também avaliam, mas desta vez priorizamos os nossos leitores. E ainda fizemos um teste, com a Olympikus disponibilizando um modelo masculino e um feminino do lançamento, o Sensation, e dois assinantes fizeram a análise.
Além dos 24 tênis testados, na sessão lançamentos desta edição temos mais nove modelos que chegam agora ao mercado brasileiro e, por uma questão de logística, não puderam ser avaliados no Guia, mas publicaremos análises deles nos próximos meses.

Publicidade


COMO SÃO FEITOS OS TESTES - A redação recebe os modelos das marcas e usamos o nosso banco de testadores para selecionarmos os corredores que farão as avaliações, com base no tamanho do tênis recebido.
Os testadores treinam com os tênis por no mínimo 20 dias e depois nos enviam um relatório dizendo o que acharam. Com base nas impressões dos corredores e análises anteriores e posteriores da redação, premiamos os modelos em cinco categorias:
Escolha do editor: Modelo escolhido pela redação em função da somatória de notas dadas aos 20 tênis avaliados em oito quesitos: Amarração, Amortecimento, Cabedal, Conforto, Estabilidade, Flexibilidade, Sensação Geral durante a Corrida e Ventilação.
Melhor atualização: Para o calçado que obteve grandes melhorias ao passar por reformulação.
Melhor compra: Leva em conta a qualidade do tênis e seu preço.
Melhor para competição: Destaca o melhor modelo de baixo peso, que é boa opção para competição e treinos de velocidade.
Melhor lançamento: Para o modelo efetivamente novo que se destacou nas avaliações.



Seja um testador
Quer testar tênis para a revista? É obrigatório ser assinante ativo e rodar ao menos 50 quilômetros semanais. Para participar, caso seja escolhido, o testador terá de pagar somente o frete dos Correios para receber em casa o modelo.
Lembrando que os tamanhos são disponibilizados pelas marcas, então, a escolha dos testadores é influenciada diretamente por isso.
Se você tiver esse perfil e ainda não se cadastrou, envie um e-mail para andre@contrarelogio.com.br com seu nome completo, numeração (em US e no Brasil) e endereço com CEP.


MODELOS AVALIADOS


ADIDAS SUPERNOVA GLIDE 8
Tem o cabedal Engeneered Mesh: faixas techfit que dão suporte a um mesh elástico para movimentos adaptáveis e respirabilidade. Solado de borracha Continental para aderência em qualquer condição climática e entressola Boost. A tecnologia Torsion System suporta o arco do pé e acompanha a flexibilidade natural. Drop de 10 mm. "Percebi nas corridas o amortecimento, a impulsão e a estabilidade dos outros tênis com a tecnologia Boost que já usei. O formato do cabedal acomoda muito bem o pé, com uma malha elástica capaz de se adaptar à anatomia individual. A nova forma do colarinho do calcanhar envolve o tornozelo, dando mais estabilidade e conforto. O cabedal permite também boa ventilação e flexibilidade. Fiz treinos curtos e longos, além de participar de uma prova de 15 km, e o modelo teve excelente desempenho em todas as situações: asfalto, subida e piso em paralelepípedo. Também treinei em areia de praia e não houve problema de estabilidade. Dei vários tiros nos meus treinos, o tênis se comportou muito bem no arranque e na frenagem. Ao todo corri 100 km nessa fase de testes. Recomendo para treinos curtos e longos e provas de distâncias médias a longas", analisou Analberto Souza, de Belo Horizonte-MG.
272 g (fem.) e 314 g (masc.). Para pisada neutra. R$ 699,99


ADIDAS ULTRABOOST UNCAGED
Conta com cabedal Sockfit para suporte e ajuste confortável, mas a principal característica é a tecnologia Primeknit, projetada para se expandir naturalmente com os pés durante a corrida, visando a um ajuste mais confortável e reduzindo as irritações. O solado de borracha Stretchweb é leve, elástico e se adapta ao solo para maior estabilidade, operando de forma estratégica para otimizar as propriedades da tecnologia Boost, do impacto à propulsão. Conta ainda com o solado de borracha Continental para aderência em ambientes úmidos ou secos. Drop de 10 mm. "Já tinha experimentado o UltraBoost antigo, e nesse novo modelo da família o que mais me agradou foi a retirada das placas laterais de plástico, deixando o tênis mais bonito e confortável. Testei o modelo em rodagens e ritmo em distâncias variando de 10 a 15 km em asfalto e alguns trechos de terra, com subidas e descidas, além de intervalados em pista de brita. Demonstrou estabilidade e conforto, com boa aderência, porém, senti falta de uma resposta mais rápida nos treinos de velocidade, muito provavelmente pela maciez. Ponto negativo foi não conseguir usar com meia de cano muito baixo, pois senti incômodo do atrito da costura com o tendão de Aquiles. Em um dos longos estava muito quente e acabei jogando muita água no corpo, encharcando assim o tênis que apresentou certa dificuldade de drenagem. Indicaria tanto para treinos quanto provas curtas a longas em asfalto", disse Fernando Góis, de Cuiabá-MT.
260 g (fem.) e 304 g (masc.). Para pisada neutra. R$ 999,99


ASICS CUMULUS 18
O grande destaque desta versão é o novo Convergence Gel, inovadora construção e posicionamento angular da tecnologia gel, que garantem melhor sensibilidade e adaptação ao contato, visando a uma melhor distribuição do impacto durante o ciclo da passada. O novo cabedal é parcialmente sem costura. Drop de 10 mm. "Tênis muito leve, mais do que os Nimbus anteriores que eu tenho, com estrutura muito boa. Tive uma excelente impressão e achei a cor muito legal, um azul com verde limão, muito bonito. Usei-o nos treinos para a Maratona de Berlim e me atendeu muito bem, tanto na esteira (de 12 a 15 km) quanto no longão de 34 km. Ventilação boa e o solado apresentou uma aderência legal, mesmo em um dia de asfalto molhado. Modelo abraçou bem o pé e me senti confortável. Vale quanto custa. É preciso ficar atento à numeração, pois o 40 é US 9, o que ficou um pouco maior do que os US 8,5 que estou acostumado. Avaliei em um total de pouco mais de 150 quilômetros e o tênis está zerado", analisou Juliardi Ziviani, de Belo Horizonte-MG.
255g (fem.) e 321 g (masc.). Para pisada neutra/supinada. R$ 499,90


ASICS DYNAFLYTE
O modelo foi desenvolvido com as principais tecnologias da Asics, como a FuzeGEL (uma fusão dos materiais GEL e EVA que visa a uma corrida mais macia, suave e confortável aos pés). A nova entressola FlyteFoam, composta de fibras orgânicas, tem mais leveza, maior resistência e maior propulsão durante a passada. O cabedal premium oferece maior durabilidade, melhor calce e mais conforto aos corredores. Drop de 8 mm. "O tênis Asics Dynaflyte caiu muito bem nos meus pés. Chegou no momento exato e de acordo com as características que procurava, como o amortecimento, muito importante para o tipo de lesão que tive, no calcanhar. Também se adequou muito bem para o meu tipo de pisada pronada, mesmo sendo neutro. Mostrou-se também bem estável. O design dele é bonito, com cores que se combinam bem e não são tão chamativas. Foi muito bem nos treinos e na prova de 10 km do Circuito Caixa aqui de Porto Alegre. Se comportou direitinho nos diversos estímulos. Resumindo, é um tênis que merece ser testado por quem procura amortecimento, conforto e estabilidade, além de servir também para pisada pronada", disse Clayton Moch, de Porto Alegre-RS.
239 g (fem.) e 281g (masc.). Para pisada neutra/supinada. R$ 649,90


ASICS NIMBUS 18
Como principal novidade da versão, conta com uma geometria do GEL mais aparente, que foi estrategicamente projetada para melhorar a adaptabilidade e absorver melhor os impactos. Drop de 10 mm no masculino e 13 mm no feminino. "Logo ao calcá-lo, senti o que mais me agrada em um tênis: conforto. No primeiro treino, de 10 km, tive uma ótima impressão do Nimbus 18. Mas era preciso testá-lo melhor e até em competições. Corri na sequência entre 5 e 15 km durante quatro dias consecutivos, o que destacou o amortecimento. Seguindo na avaliação, em um dia de chuva, não encharcou e destacou-se em uma prova de 5 km, em que completei em 26:30, um tempo bom para minha faixa etária de 62 anos. Em percursos acidentados com muitas subidas e em pisos de areia, grama e asfalto, também se saiu muito bem. Apresenta todas as características de um bom tênis de corrida: estabilidade, amortecimento e conforto. Se fosse dar uma nota de 1 a 10, seria 9, tanto que pretendo utilizá-lo na minha próxima maratona", analisou Djalma Mello, de Maceió-AL.
261 g (fem.) e 323 g (masc.). Para pisada neutra/supinada e leve pronada. R$ 799,90


ASICS GEL-KAYANO 23
A palavra-chave para a 23ª versão é "adaptação". Baseado no conforto, está equipado com novo sistema de ajuste do cabedal chamado AdaptWeb (a estrutura é composta de fitas flexíveis que se contraem quando os pés estão em estágio de fadiga, tornando-se mais rígidas e oferecendo maior sustentação e estabilidade, evitando possíveis lesões ou desconfortos). Traz ainda uma nova construção na placa de estabilidade DuoMax e a nova entressola FlyteFoam, composta de fibras orgânicas, um material mais leve e macio que o Solyte. Drop de 10 mm. "Testei o modelo em diversas situações, como intervalados de 1.000 e 400 m, dois longos de 16 km com ritmos diferentes (4:30 e 4:40) e rodagens de 12 km, inclusive variando os pisos. Um tênis muito bom quanto ao conforto, discreto e macio ao pisar, pois o gel amortece bem os impactos. Porém, com o passar os dias e aumento da quilometragem, senti um pouco de desconforto na ponta dos dedos pois ele tem um formato diria mais afinado", afirmou José Armando Francisco, de Foz do Iguaçu-PR.
261g (fem.) e 325 g (masc.). Para pisada neutra/pronada. R$ 749, 90


FILA KR3 GOLDEN E SILVER
O modelo é a edição especial da Fila em homenagem ao esforço e às honras dos esportes. O calçado de alta performance emprega a exclusiva fórmula de amortecimento Energized, composição que visa garantir uma maior memória e resiliência do material, trazendo também mais suavidade na transição da passada. Além da leveza, o amortecimento é uma das grandes características do produto. Segundo a Fila, a aplicação do emblema "born to run" (nascido para correr) é um convite para continuar correndo, superar limites e quebrar as próprias marcas. Drop de 8 mm. "Tênis leve, extremamente confortável. Fiz treinos de 5, 10, 15 km e uma meia-maratona, mas ele se encaixaria tranquilamente também em uma maratona. Desde o primeiro dia de uso até todo o período dos testes, zero de problemas. O cabedal com as tramas abertas oferece mais ventilação e o solado garante o conforto. As cores dourada e prata dessa edição especial também chamam a atenção. Um dos melhores tênis que já corri. Entrou para a minha lista de favoritos", afirmou Júnior Azevedo, de Jundiaí-SP.
176 g (masc. 40). Para pisada neutra. R$ 329,90


MIZUNO ENIGMA 6
O cabedal permite ao corredor mais liberdade em seus movimentos. O modelo é para corredores de pisada neutra e apresenta a tecnologia U4icX. Essa novidade tecnológica foi desenvolvida para ter uma entressola de EVA composta de polímeros, que oferecem muito mais amortecimento e conforto, garantindo uma textura macia com maior durabilidade nas áreas de impacto. Drop de 12 mm. "O material usado no cabedal é bem confortável e ventila muito bem. Outro ponto positivo para mim é que a frente do tênis é mais larga do que outros modelos da marca, o que me agrada muito. O fato de ter pouca costura na frente evita os atritos. Já comprei outros modelos da Mizuno e quando corria com eles meus dedos ficavam dormentes e isso não aconteceu com este. Fiz alguns treinos curtos de 5 e 10 km, não tive qualquer problema, a passada ficou bem estável. Até em estrada de terra ele foi bem. Mas quando a rodagem aumentou e passei dos 15 km, senti os pés cansados e a sola bastante dolorida. Com 20 km, a sola do meu pé queimava. Vou continuar usando o modelo para treinos curtos", analisou Rogério Bergamaschine, de Antônio Carlos-MG.
260 g (fem. 37) e 320 g (masc. 41). Para pisada neutra. R$ 699,99


MIZUNO PARADOX 3
A estrutura do calçado é revestida por aplicações de PU que dão suporte lateral e estão integrados à tecnologia Dynamotion, garantindo que o cabedal se adapte aos movimentos dos pés. Outro destaque é a combinação dos materiais tecnológicos para flexibilidade e durabilidade, resultando no conforto. A nova placa Wave foi redesenhada para gerar ao corredor mais conforto, estabilidade e para absorver o choque do impacto ao solo, mantendo a passada mais suave. Drop de 12 mm. "Entre os pontos positivos, posso destacar o excelente amortecimento. Ofereceu também bastante estabilidade, além do designer bonito. Entretanto, é pesado para longão. Para os 10 km, é suportável, acima disso senti desconforto. Outro ponto é a absorção de impacto: segurou muito para devolver a energia empregada no solo, sendo também confortável demais para quem procura performance", afirmou Juliano Francisco da Silva, de Presidente Venceslau-SP.
280g (fem. 37) e 320g (masc. 41). Para pisada pronada. R$ 699,99


MIZUNO SAYONARA 4
As tecnologias da Mizuno estão reunidas com o objetivo de apresentar um calçado leve e estável com flexibilidade e amortecimento. O solado foi equipado com a X10, uma borracha com carbono que aumenta a durabilidade e oferece maior tração. Traz ainda a tecnologia Blown Rubber com um solado feito com uma borracha expandida, que tem como principal característica a maciez, tornando a passada bem suave. Drop de 10 mm. "Pude correr com os antecessores, o Sayonara 2 e 3, e posso afirmar sem sombra de dúvida que essa quarta geração do modelo é a melhor que já usei. Fiz treinos de rodagens leves/regenerativos, tiros, intervalados e longão, nos mais diversos pisos (asfalto, esteira, pista e terra) e, com exceção da terra, se mostrou excepcional. Apesar de um pouquinho mais pesado do que as versões anteriores, o Sayonara 4 é leve, flexível, com excelente grip e amortecimento. Saiu-se melhor nos tiros, mas mostrou-se bem confortável no longo. O encaixe do tênis é perfeito e a aderência ao asfalto também adequada, fruto da modificação da sola, principalmente no antepé, com ótima resposta nas acelerações dos tiros. Outra mudança significativa percebida foi com relação à malha do cabedal, que está mais fechada em relação às versões anteriores, mas ainda proporcionando boa ventilação. Me surpreendeu positivamente", disse Luiz Guilherme de Oliveira Puga, de Jardinópolis-SP.
210g (fem. 37) e 250g (masc. 41). Para pisada neutra. R$ 599,99


MIZUNO WAVE CREATION 18
Nesta versão, o Creation conta principalmente com tecnologias da Mizuno que visam melhorar a segurança e a flexibilidade. Para aprimorar ainda mais o modelo, a marca utilizou materiais mais tecnológicos e com maior durabilidade. A placa Wave foi projetada para ter flexibilidade maior, com cortes estratégicos nos pontos de flexão, que proporcionam uma excelente resposta de impulsão, além de visar uma absorção de impactos mais eficiente. Tem drop de 12 mm. "Foram cerca de 70 km com o tênis. Fiz alguns treinos curtos (10 km) e longões, inclusive um de 34 km na preparação para a Maratona de Berlim, todos no asfalto. Aliás, já havia escolhido o tênis para maratona, mas mudei de ideia e optei em correr com o Creation. Tem uma ótima estabilidade, mesmo com um drop relativamente alto. Não é um modelo leve, por isso não indicaria para treinos de tiro e/ou fartlek, mas penso ser ideal para os longões, pois oferece bastante conforto e amortecimento. É o tipo de tênis em que o pé fica bem acomodado. O cabedal é de tecido bem respirável e mesmo molhado (corri na chuva) não ficou tão ‘pesado'. A palmilha também encaixa bem no pé (tenho arco alto). Não fez bolhas nem na primeira vez que usei. Gostei bastante", disse Geise Mara Pinto, de São Paulo.
300 g (fem. 37) e 360 g (masc. 41). Para pisada neutra/supinada. R$ 799,99


MIZUNO WAVE PROPHECY 5
A quinta versão chega com a placa Infinity Wave 100% redesenhada, resultando em uma distribuição uniforme da pressão gerada pelo impacto ao solo durante as passadas. O novo cabedal permite interação perfeita do calçado com os movimentos dos pés. Está muito mais flexível e o tecido apresenta uma ventilação que visa deixar os pés na temperatura ideal durante a prática de exercícios. Drop de 12 mm. "Cabedal mais justo do que nos outros tênis da Mizuno que uso, pois ele agasalha bem o pé, como se fosse uma meia de compressão. Recomendaria até dois números a mais do que o sapato para não criar desconforto; amortecimento e maciez excelentes. O sistema de amarração com cadarços elásticos é ótimo, não precisa dar dois laços e não desamarra mesmo sob chuva. Testei o tênis por mais de 100 km em pista de cascalho, no asfalto e em grama. Tem muita estabilidade, porém, o único ponto negativo é quanto ao solado. Embora muito moderno, na chuva e no cascalho torna-se escorregadio, perdendo aderência e prejudicando o impulso, pois o pé desliza para trás. Participei ainda de uma prova, os 10 km, com subidas e descidas fortes. Nas descidas, o amortecimento foi ótimo, não senti qualquer impacto na tíbia, porém nas subidas o peso causou desconforto. Em uma análise geral, um tênis muito bom, com belo design e os pontos positivos superam os negativos", afirmou Laertes Pereira, de São Paulo.
300 g (fem. 37) e 360 g (masc. 41). Para pisada neutra/supinada. R$ 1.299,99


NIKE LUNAREPIC LOW
O Nike LunarEpic Flyknit ganha a versão sem o cano médio, com o objetivo de agradar aos corredores que preferem um calçado sem este item. O cabedal em Flyknit de peça única promove sensação de segunda pele. Oferece melhor respirabilidade, elasticidade e suporte onde os corredores mais precisam. A tecnologia Flywire também está presente, integrada com os fios do Flyknit, disponibilizando um encaixe mais dinâmico e maior suporte. Construído a partir de poliéster reciclado, cada par usa aproximadamente seis garrafas pet. Uso recomendado com meias. Drop de 10 mm. "Rodei um total de 221 km, divididos em 14 treinos que variaram de 15 a 20 km. Inclusive, utilizei o tênis em uma corrida de aventura/trilha, apesar de não ser apropriado para esse tipo de modalidade. Ótimo o amortecimento, tanto na parte dianteira como na traseira, não sendo de muito amortecimento e nem pouco, justamente como gosto. A sola do tênis proporciona estabilidade e segurança. Tecido realmente bastante flexível e confortável, além de ser leve e macio. Como sempre, o número que usei foi um a mais, pois se estivesse solicitado a minha correta numeração ele ficaria um pouco apertado. Os cadarços são de ótima qualidade/firmes. Gostei do tênis", disse Paulo Cesar Vannucci Jr, de Uberaba-MG.
225 g (fem. 38) e 234 g (masc. 42). Para pisada neutra. R$ 699,90


NIKE FREE RN
O Nike Free RN apresenta um padrão de entressola com design novo, que se expande, flexiona e contrai com o pé em cada pisada. Além disso, o calcanhar é arredondado para imitar o formato do pé rolando naturalmente no chão. O cabedal em mesh leve e respirável tem a função de manter os pés frescos e confortáveis do início ao fim. Mais macio do que nas versões anteriores, a nova entressola de espuma visa a um amortecimento extremamente confortável e durabilidade. Drop de 10 mm. "Modelo realmente superleve e flexível, muito confortável e com boa ventilação. Fiz treinos de rodagem, tiro, ritmo e longo com ele, totalizando 67 km. Bom amortecimento, mantendo conforto durante todo o longo de 35 km, mas sem perder a sensação de ‘perceber o chão'. A sola extremamente flexível facilita uma pisada adequada nos tiros e ritmo. Creio ser boa opção para quem quer começar a testar tênis mais baixo, leve e com maior mobilidade. Pelos treinos tenho a impressão que agradará a corredores de todas as distãncias. Únicos detalhes: forma nitidamente menor e um pouco mais estreita, quando comparado à linha Free 3.0 e 4.0, e o cadarço exige atenção para não desamarrar", analisou Naiara Faria Xavier, de Ribeirão Preto-SP.
249 g (masc. 42). Para pisada neutra. R$ 449,90


NIKE FREE RN FLYKNIT
A Nike aposta no solado flexível para uma passada totalmente natural. O cabedal Flyknit com cabos Flywire tem o objetivo de garantir o ajuste, como o de uma meia, e suporte dinâmico. O leve cabedal Flyknit combina um encaixe como o de uma meia e se molda ao pé. O cadarço assimétrico reduz a pressão e os cabos Flywire se integram aos cadarços para fixação dinâmica. O solado desse novo Nike Free se expande em diversas direções. Drop de 8 mm. "A primeira coisa que me impressionou foi a leveza do modelo. Realmente encaixa muito bem no pé, sendo confortável, com amarração ótima e muito bonito. Treinei com ele em diversas distâncias e terrenos (esteira, rua, areia). Fiz ainda uma meia-maratona. Porém, um fato deixou a desejar: esquenta demais a sola do pé, logo no início da corrida, e esse calor vai aumentando durante todo o treino, chegando a ficar muito incômodo. Deu até algumas bolhas. Em relação ao amortecimento, por ter uma proposta mais minimalista, considerei-o mais adequado a treinos curtos; em longos acabou ocasionando algumas dores. Foi bem até os 10 km", afirmou Bruna Ricci, de Jaboatão dos Guararapes-PE.
223 g (masc. 42). Para pisada neutra. R$ 549,90


NIKE FREE RN MOTION FLYKNIT
Integra a categoria pisada natural da Nike, indicado pela marca para treinos curtos e de velocidade. Baseando-se em novos estudos que revelam como o pé se expande e contrai após o impacto e impulsão do solo, os designers da Nike desenvolveram uma entressola auxética - ou aberta, com um formato geométrico de estrela de três pontas, que imita a maneira pela qual o corpo e o pé reagem à força. Este movimento é responsável pelas mudanças no tamanho do pé, que ocorre ao longo da passada de um corredor. A estrutura do cabedal conta com Flyknit resistente, de costura única com fio de poliéster elástico, para um ajuste de compressão, que se movimenta perfeitamente com o pé. Cabos Flywire no cabedal fornecem um suporte dinâmico. Drop de 4 mm. "Muito bom e macio, tanto nos treinos quanto nas competições. Como tive bastante tempo para testá-lo, rodei 788 km nessa avaliação, incluindo inúmeros longões no asfalto. A sensação é de que não está calçando nada nos pés, principalmente pela leveza. Em estradas de terra também se comportou bem. Passou bom retorno nas passadas durante provas. Usei em toda a preparação e também no dia da Maratona de Foz do Iguaçu", afirmou Reginaldo Alves de Souza, de Maringá-PR.
244 g (fem. 38) e 290 g (masc. 42). Para pisada neutra. R$ 599,90


NIKE LUNARGLIDE 8
Conhecido pelo conforto e maciez, o LunarGlide 8 está repaginado. Esta versão traz como principal novidade o amortecimento Lunarlon com cortes a laser na lateral, que melhoram a absorção de impacto. O cabedal em mesh visa fornecer mais respirabilidade e os cabos Flywire têm a função de melhorar o ajuste e dar mais firmeza. As cápsulas Air Zoom da entressola de espuma Cushlon são combinadas com uma sola de borracha. Drop de 9,5 mm. "Ao retirar o tênis da caixa, já gostei da leveza e do fato de não ter costura na parte superior. Bem macio e confortável, mas na primeira semana me incomodou bastante no arco do pé, somente no esquerdo. Antes de começar o treino, era preciso andar um bom tempo com ele a fim de acomodar melhor e o incômodo diminuir. Durante os treinos, porém, não senti nada, somente nos treinos de rodagem longa. A partir de uma determinada quilometragem (geralmente depois dos 10 ou 11 km), ele voltava a incomodar no arco do pé. Como tenho a curvatura do pé alta, não imaginei que fosse ter esse tipo de incômodo. Esse não foi o único aspecto que deixou a desejar. Nas ranhuras do solado entra muitas pedrinhas, obrigando até a parar o treino para retirá-las porque começaram a atrapalhar na pisada. No restante, foi tudo ótimo: o tênis é macio, confortável, bonito, não machucou as unhas, não deu bolha, não cansou os pés e as pernas. Recomendaria com certeza", analisou Patrícia Kojima, de Taubaté-SP.
241g (fem. 38) e 283 g (masc. 42). Para pisada neutra. R$ 529,90


NIKE AIR ZOOM PEGASUS 33
A versão mais recente desse modelo da Nike traz novas cápsulas Air Zoom na parte dianteira do tênis. Combinadas com as já existentes cápsulas localizadas no calcanhar, visam oferecer maior capacidade de resposta e uma passada ainda mais veloz em distâncias maiores. A estrutura do cabedal foca no ajuste seguro e na respirabilidade para um conforto de longa duração. A tecnologia waffle no solado visa absorver o impacto e preservar a liberdade de movimento. Drop de 10 mm. "Foram 186 km, entre provas e treinos, com sol, chuva, ruas asfaltadas e calçamentos de pedras, além de subidas e descidas, sem qualquer desgaste. Tem um sistema de amarração inovador, os cadastros se prendem nas laterais por elásticos, fazendo com que o tênis se ajuste totalmente ao pé, dando maior equilíbrio e segurança ao corredor. É de uma leveza extrema e o sistema de amortecimento é admirável. O conjunto: sistema de amarração, leveza e amortecimento são tão perfeitos que parece fazer o corredor levitar. Confortável, principalmente para corridas longas. Em ruas calçadas com pedras, quando molhadas, o corredor deverá ter um pouco mais de atenção nas pisadas, pois nestas condições o calçado perde um pouco de aderência e poderá vir a escorregar", disse Alirio de Freitas Castro, de Juiz de Fora-MG.
244 g (fem. 38) e 290 g (masc. 42). Para pisada neutra. R$ 449,90


OLYMPIKUS SENSATION
Com design inovador e novo sistema de amortecimento, seu grande diferencial fica por conta do solado, que traz duas lâminas da nova tecnologia Impact Gel, que absorve melhor o impacto, e juntamente com a lâmina de Evasense em toda a extensão do solado, proporciona mais conforto e flexibilidade. Drop de 12 mm. "Foram 180 km no teste, incluindo a Meia-Maratona de São Bernardo do Campo. O tênis surpreende, muito bom. Tem bastante amortecimento no calcanhar e, ao mesmo tempo, é estável, dando segurança durante a corrida. O cabedal se ajusta perfeitamente, não apertando e nem esquentando demais. O desgaste se mostrou adequado à quilometragem, ou seja, mínimo. Vale a pena o custo-benefício", disse Domingos Alterio, de Santo André. "Modelo com design e tons modernos, fazendo sucesso entre minhas amigas. Percorri 260 km durante o mês de agosto, com treinos variados em asfalto, areia, pista e dias de chuva. O cadarço permite confiável amarração. Quanto à ventilação, achei insuficiente, já que transpiro bastante nos pés. Com a quilometragem rodada no mês, o tênis não apresentou desgaste na sola e se manteve em boa aparência, sem rasgos ou deformações. Um tênis firme, que apresenta boa estabilidade. Indicaria para caminhada e para pessoas iniciantes, com maior estrutura e peso", completou Claudia Ribeiro Freitas, de Porto Alegre-RS.
339 g (masc. 40). Para pisda neutra. R$ 299,90


PUMA IGNITE DUAL
A Puma destaca dois pontos na apresentação do tênis: aliar flexibilidade e amortecimento, visivelmente separados na entressola rebaixada, graças ao uso da tecnologia Ignite, para que o corredor possa ter um máximo de retorno de energia em corridas de longa e média distância. Ranhuras que se estendem desde o calcanhar até a ponta dos pés têm a função de permitir uma transferência de peso do corredor mais suave durante o pouso e rebote, de acordo com os dados disponibilizados pela Puma. O cabedal também recebeu uma malha dupla de tecido mesh, com o objetivo de garantir conforto e mais respirabilidade aos pés, além de painéis refletivos nas laterais para condições de corrida com pouca luz. Drop de 12 mm. "Me surpreendeu desde o primeiro instante. Bem diferente dos modelos coloridos das outras marcas, tem um visual mais sóbrio (recebi o modelo preto com branco) e por isso até pensei se tratar de um calçado duro, com pouco amortecimento. Ao contrário, o amortecimento é na medida certa. A numeração é um pouquinho maior do que a dos concorrentes, mas o que pode parecer um defeito para uns, pode ser a solução para outros. No meu caso ficou um pouco folgado no comprimento, nada que uma meia mais grossa não resolvesse. O cadarço talvez seja um pouco curto para quem gosta de fazer mais de um laço. O solado mostrou-se estável, com um grip excelente, não apresentando qualquer risco no piso molhado, e olha que eu treinei muito com ele na chuva, dos cerca de 180 km rodados, mais de 50 km foram em piso molhado. A propósito, a drenagem também é boa, não chegou a ficar encharcado. No treino mais longo foram 21 km, mas a impressão que deixou é que poderia ir mais longe. A única ressalva é que achei um pouco quente, principalmente quando a temperatura ambiente chegou perto dos 30 graus", afirmou Suzi Pissinini, de Londrina-PR.
278 g (masc. 42). Para pisada neutra/supinada. R$ 499,90


SKECHERS GO RUN 4 2016
A Skechers traz ao Brasil o modelo Go Run 4 2016, que tem como principal novidade o cabedal GOKnit, mais confortável, leve e com maior respirabilidade - uma espécie de tecido em crochê, sem costuras. O modelo mantém as características em outros itens, como o drop de 4 mm e a palmilha Custom Fit removível para uma sensação ainda mais minimalista. Os sensores independentes GOimpulse visam oferecer flexibilidade e retorno para uma experiência de corrida responsiva, de acordo com a Skechers. "Já usei a marca anteriormente, mas desta vez acredito terem se superado; tênis extremamente confortável, não precisando nem amaciar: fiz 35 km de primeira! Não esquenta, amortecimento bom (vem com uma palmilha extra para aumentar o amortecimento e pode-se correr com ou sem ela) e ajuste de pé. Rodei em asfalto e terra batida, foram treinos de tiros a longos, usando inclusive em uma prova de 24 horas. O tênis respira bem, pois em nenhum momento dos treinos com sol forte os pés ficaram molhados. Acompanha dois cadarços e, assim, você pode escolher a melhor combinação", analisou Carlos Eduardo Maringoli, de Santo André-SP.
200 g (masc. 41). Para pisada neutra. R$ 529,90


UNDER ARMOUR SPEEDFORM SLINGRIDE
Com o cabedal produzido em fábrica de roupas, todos os calçados da linha Speedform apresentam suporte de calcanhar sem costura e acabamento superior leve e transpirável, aumentando o conforto e permitindo melhor encaixe e ajuste personalizado. Além disso, o Slingride conta com língueta de malha acolchoada para um ajuste confortável. Amortecimento de dupla densidade na entressola tem a função de permitir a absorção de impacto, além de tração de borracha na sola para durabilidade e estabilidade. Drop de 7,5 mm. "Leve, cabedal com tecido muito confortável, não esquenta o pé e na chuva não deixa o tênis pesado. Tem ótima secagem. No entanto, achei duro, não permite um bom retorno de energia do solo, o que fez que eu sentisse um pouco a planta nos pés nos treinos mais longos (22 km) e em uma prova de 15 km que realizei com ele durante a avaliação. Nos treinos de tiro na pista de atletismo não senti o mesmo desconforto, por isso acabei utilizando mais nas atividades curtas", afirmou Regiane Sperandio, de Jundiaí-SP.
212g (masc.). Para pisada neutra. R$ 699,90


361° BIO-SPEED
É o novo modelo de velocidade e performance da 361°. Cabedal em Air Mesh super-respirável com detalhes internos e externos colados com calor para melhor apoio lateral, e película impressa para maior conforto. Sistema de amortecimento Qu!kfoam (diferentes densidades de EVA capsuladas em poliuretano para o amortecimento com maior resiliência e energia de retorno); haste de carbono no mediopé para apoio flexível. Sola de borracha ultraleve e macia (para melhor tração). Drop de 9 mm (masc.) e 8,5 mm (fem.). "Tênis leve e confortável, apesar do seu formato (forma) ser maior do que estou acostumado. Tem bom amortecimento para pessoas leves. Destaque para o acabamento. Sua costura permite uma excelente respiração; mesmo molhado não prejudicou a corrida, pois não reteve água em qualquer momento. Teve uma ótima resposta em treinos curtos de velocidade de 200 a 800 m. Fiz uma prova de 5 km com ele e gostei muito. Para rodagem até 21 km, utilizaria sem problemas. Com certeza ficou na minha lista de tênis preferidos", afirmou Ângelo Silva, de Osasco-SP.
184 g (feminino) e 221 g (masculino). Para pisada neutra. R$ 449,00


361° STRATA
Modelo para treinos longos, com estabilidade proporcionada pelo sistema de amortecimento Qu!kfoam (Quick Dynamic Performance (QDP) - baseado em três espumas de EVA de diferentes densidades, incluindo a palmilha em mistura de EVA e borracha). Médio pé flexível para o ciclo da pisada ser natural (aterrissagem com o médio pé). O tecido do cabedal é altamente respirável, com aplicações em TPU para melhor desempenho. Solado com duas camadas: uma de borracha aerada, para maior maciez, e outra em borracha e carbono, para maior durabilidade. Drop de 8 mm (masc.) e 7,5 mm (fem.). "Quando calcei o tênis pela primeira vez, pensei que seria duro, porém, ao começar a correr me surpreendi, pois é macio e confortável, tem uma boa ventilação e uma ótima aderência. Fiz treinos de 15 km a 20 km, no asfalto e na areia da praia. Achei um modelo ideal para longa distância, sendo um dos melhores que já usei, além de possuir uma combinação de cores muito bonita", afirmou Vanessa Menezes de Andrade, de Santos-SP.
272 g (fem.) e 331 g (masc.). Para pisada neutra. R$ 699,00


361° VOLTAR
Modelo para altas quilometragens, mas com menor estabilidade em relação ao Strata. Amortecimento 100% de Qu!kfoam (EVA com borracha) para maior conforto. O tecido do cabedal é altamente respirável, com aplicações em TPU com sobreposições para menor peso lateral e suporte medial. Solado com duas camadas: uma de borracha aerada, para maior maciez, e outra em borracha e carbono, para maior durabilidade. Drop de 9 mm. "Foram 75 km de testes, entre treinos de tiro, de 10 km e de 16 km, em asfalto, terra e cascalho. Surpreendentemente, embora pertença à linha de amortecimento, tem estabilidade espetacular, mesmo em superfície mais lisa, com boa aderência e cabedal macio. Não o indico para performance e velocidade, porém é muito confortável. Indicado para corredores com sobrepeso, possui cabedal ventilado, deixando os pés arejados e sem umidade, não incomodando em dias com chuva. Em piso molhado saiu-se muito bem. Considero bom produto para treinos, tendo como objetivo meia ou maratona", analisou Perci Aparecido Gonçalves, de Mogi das Cruzes-SP.
255 g (fem.) e 306 g (masc.). Para pisada neutra/pronada. R$ 599,00

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados