Revista Contra-Relógio
// Brasileiros lá fora //

Fortes emoções na Maratona Disney

Edição 281 - FEVEREIRO 2017 - RODRIGO LUCCHESI

Meia cancelada e frio extremo marcaram o fim de semana na Flórida


Entre os dias 5 e 8 de janeiro, a Disney, na Flórida, EUA, foi palco de mais uma edição do fim de semana da Maratona Disney. Com provas para todos os níveis ao longo de quatro dias (5 km na quinta, 10 km na sexta, meia no sábado e maratona no domingo), o evento é um verdadeiro festival de corrida. Você pode correr apenas uma das provas, a meia e a maratona (Desafio do Pateta) ou as quatro (Desafio do Dunga).
Este ano, mesmo com a crise econômica e o dólar alto, os brasileiros mantiveram a tendência dos últimos anos e compareceram em grande número. Só no Desafio do Dunga (cuja inscrição custa salgados US$ 530) foram 339 brasileiros entre os 6.585 concluintes, o que manteve a tradição de país estrangeiro com o maior número de corredores inscritos.
Nos dias que antecederam as provas, a retirada dos kits se deu em uma grande feira no complexo esportivo da ESPN, que pertence à Disney. A retirada dos kits ocorreu de forma muito tranquila para a maioria das pessoas, sem filas. O único inconveniente era a distância do estacionamento até a feira; era preciso andar bastante, como em qualquer parque da Disney.
A prova de 5 km, que tem como personagem anfitrião o cachorro Pluto, largou às 6h, com 12.500 participantes. Por ser uma prova curta, a maioria acaba concluindo ainda no escuro, antes do sol amanhecer. Nesta prova é comum ver crianças devidamente inscritas correndo com os pais. Algo que não se vê no Brasil porque aqui a maioria das provas só permite inscritos a partir dos 15 anos.
Na sexta foi a vez dos 10 km, com a anfitriã Minnie dando a largada às 5h30. Cerca de 11 mil pessoas concluíram, sendo 455 brasileiros. A prova, como as demais, começa no parque Epcot Center e passa por alguns resorts da Disney, antes de voltar para o parque.
O padrão de qualidade Disney e sua preocupação com a segurança dos corredores se vê em pequenos detalhes, como as caixas de som que eles colocam com mensagem avisando a presença de quebra molas para ninguém tropeçar. Além disso, as baias de largada são fundamentais em um evento deste porte e funcionaram muito bem. Funcionários inspecionavam o número de peito de todos os corredores para garantir que entrassem nas baias certas.

Publicidade


MEIA-MARATONA CANCELADA. Na sexta-feira pela manhã, logo após a prova de 10 km, a organização começou a divulgar boletins dizendo que estava monitorando a previsão do tempo para o sábado, pois havia a expectativa de tempestades com raios. Os corredores passaram a tarde em suspense até que perto das 19h30 a organização confirmou o cancelamento da prova. O texto do comunicado era claro: a segurança dos corredores e dos funcionários era o mais importante. O trajeto da prova oferece muitos trechos em campo aberto, sem local de proteção contra os raios.
Foi uma decisão decepcionante para muitos corredores, depois de tantos meses de treino e gastos com viagem, mas que se mostrou certa no dia seguinte, quando de fato uma tempestade atingiu a região onde as provas ocorrem. Mas um fato curioso aconteceu. Logo após o anúncio do cancelamento da prova, as redes sociais foram inundadas de corredores se organizando para correr os 21 km informalmente, principalmente os que estavam inscritos no Desafio do Pateta ou do Dunga, como forma de honrar o desafio e fazer jus às medalhas que a Disney confirmou que daria, mesmo cancelando a prova.
Ao longo do sábado, antes ou depois das tempestades, milhares de corredores saíram às ruas para fazer sua meia-maratona, sozinhos ou em grupos. Nos arredores dos hotéis da rede Disney, que ficam próximos aos parques, uma legião de corredores, a maioria devidamente uniformizados com número de peito, rodavam em volta de lagos e parques para fazer seus 21 km. Familiares e amigos dos corredores chegaram a montar postos de hidratação, e fazer a torcida ao longo dos trajetos para ajudar e incentivar os corredores.


FRIO CONGELANTE. No domingo, a maratona trouxe aos corredores um desafio extra. A temperatura na hora da largada era de 3 graus, uma queda de temperatura muito forte em relação aos dias anteriores, que pegou muitos corredores desprevenidos.
Com largada também às 5h30, e a presença do anfitrião Mickey, a maratona é o principal evento do fim-de-semana. Com 17.738 concluintes (dos quais 634 brasileiros), seu trajeto passa pelos quatro parques da Disney, com um percurso majoritariamente plano e várias distrações para os corredores. Assim como nas outras distâncias, mas em maior quantidade, os participantes passam, ao longo da prova, por DJ's, bandas escolares, personagens da Disney à disposição para tirar fotos, além do público, incentivando os corredores com muito barulho e cartazes engraçados.
A hidratação também merece destaque nas provas da Disney. Postos com água e isotônicos estavam localizados a cada 2 km, com bebidas em abundância e voluntários muito prestativos, com mensagens de apoio e incentivo aos corredores. Nos últimos quilômetros, postos com gel, bananas e chocolates também foram providenciados, para garantir um último pique de glicose no sangue dos maratonistas, antes da reta final.


DOMÍNIO BRASILEIRO. Além da ser um dos países que mais participa das provas da Disney, os brasileiros também costumam frequentar os pódios. Nos 10 km, vitória de Vanilson Neves em 31:40, que ficou em segundo na maratona, vencida por Fredison Costa, pela sexta vez e quarta consecutiva, com o tempo de 2:23:15.
No feminino o destaque foi Giovanna Martins que ganhou pela segunda vez os 42 km com o tempo de 2:48:05. Ela foi a campeã em 2015 e teve que abandonar a prova em 2016 devido a uma torção no tornozelo.



DEPOIMENTOS


"Há 3 anos minha amiga Marcela Nardez Diavan me convidou para correr o Desafio da Disney e eu recusei por nunca ter feito uma maratona. Achava que seria impossível fazer a prova toda correndo. Este ano resolvi aceitar, mesmo pensando que iria caminhar no último dia, pois as de 5, 10 e 21 km eu conseguiria tranquila. Minha amiga resolveu me acompanhar durante toda a maratona, o que fez toda a diferença. Conclui meus primeiros 42 km em 4h08 e foi uma experiência maravilhosa e inesquecível."


Gabriela Fagundes Marquez, Cuiabá


"Concluir o Desafio do Dunga foi uma das experiências mais marcantes, e com certeza a mais dura, da minha trajetória de corredor. Apesar do cancelamento da meia, o desafio foi grande. Me surpreendeu muito a festa que os moradores da cidade fazem, mesmo com as corridas acontecendo bem antes de amanhecer e com um frio de 3 graus no início da maratona." Luiz Santanna, São Paulo
"Foi muito bom correr o Desafio do Dunga. Foi meu segundo ano seguido e dessa vez o maior obstáculo não foram as distâncias, mas sim o frio e o vento. Conseguir fazer meu sub 3h nestas condições não tem preço. A prova é muito bem organizada e simplesmente fantástica."


Adalberto Neto, João Pessoa


"Minha ideia era me inscrever nos 5 e 10 km, porém as inscrições desta distância se esgotaram rapidamente e então resolvi encarar os 21 km, mesmo sabendo que por conta do trabalho não teria tempo de me preparar adequadamente. No dia dos 5 km larguei forte, pois estava no primeiro pelotão. Terminei em 3ª geral com o tempo de 20:20. Na véspera dos 21 km recebo o comunicado que a meia maratona tinha sido cancelada e eu não acreditei, depois de anos esperando para realizar meu sonho. Dentre as opções que a Disney deu, havia a troca para maratona. Correr o dobro e sem treino? Sim, não saí de tão longe para correr somente 5 km. Domingo foi o grande dia e às 3h já estava pronta para a prova; um frio congelante que não tinha cobertor que amenizasse. Saí novamente no pelotão mais rápido, mas desta vez segurei bem o ritmo. Sofri muito até o km 15, porque não conseguia aquecer. A partir do km 24, a falta de preparo começou a cobrar seu preço, vieram as dores e o cansaço. Resolvi diminuir o ritmo, e não parar mais para tirar foto com os personagens. Terminei em 4h30, 1 hora a mais do que na minha estreia em Nova York. O pós-prova foi complicado: fiquei com muitas dores no joelho esquerdo, minha imunidade caiu e passei 3 dias de cama, mas realizei meu sonho e não me arrependo de toda essa loucura."


Juliana Veras, São Paulo


"Minha estreia em maratona, na Disney, foi uma experiência sensacional! Depois de muita ansiedade para correr os 21 km, veio a decepção com o cancelamento. Mas isso não me abalou, me deixou com mais garra para o dia seguinte. Depois de acordar as 4h, pegar o ônibus que levava os corredores até a largada em uma temperatura de 4 graus e a sensação térmica negativa com um vento de congelar (nunca senti tanto frio na minha vida), iniciou-se então o grande desafio. A organização é muito boa, com vários pontos de hidratação com água, isotônico, gel, banana, muitos banheiros químicos e postos médicos. No final, a emoção de receber aquela linda e grande medalha do Mickey. Agora sou uma maratonista!"


Daniela do Almo, Nova Friburgo


"Na Disney tudo é um sonho; viramos crianças na hora, não importa a idade. A organização deste evento está de parabéns, tudo muito organizado, o clima das corridas e a vibração da torcida envolvem as pessoas de tal maneira que corremos para nós e para quem está nos assistindo, nos dando aquela força. Mas o melhor de tudo: eu realizei o meu desejo de fazer o Desafio do Dunga no meu aniversário, que ocorreu no dia 06/01. Em 2018 espero estar de volta."


Maria Cristina Okawa, São Paulo

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados