Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

Exercícios excêntricos; Dormência e formigamento; A velha condromalácia; Entorse dos tornozelos; Musculatura do joelho

Edição 192 - AGOSTO 2009 - JOSÉ MARQUES NETO


EXERCÍCIOS EXCÊNTRICOS
Sou assinante da Contra-Relógio e lendo a coluna na revista de junho, vi sua recomendação de "exercícios excêntricos" para quem tem tendinopatia de Aquiles. Poderiam me explicar no que consistem esses exercícios? Sofro com esse problema desde o começo do ano e tenho buscado todas as informações ao meu alcance na tentativa de melhorar e voltar a correr sem dor. É mesmo verdade que esse problema não tem cura? Um amigo me falou da acupuntura. Seria uma opção?
Lia Campos, Fortaleza, CE


Exercícios excêntricos são aqueles em que o músculo faz força (contração) ao mesmo tempo em que está se alongando, portanto diferente da contração tipo concêntrica que estamos acostumados a realizar em nossos exercícios na sala de musculação. As tendinopatias de forma geral ainda carecem de explicações das suas causas por parte da comunidade médica mundial, e portanto os resultados dos tratamentos instituídos ainda podem ser frustrantes para atletas, treinadores, médicos e fisioterapeutas. A acupuntura é uma medida bastante interessante para o alívio da dor. Tente isso.

Publicidade


DORMÊNCIA E FORMIGAMENTO
Parabéns pela coluna, pois depois de consultar vários sites, vi que vocês respondem às dúvidas (e algumas vezes desespero) das pessoas que buscam alguma "luz no fim do túnel". Li sobre vários casos, mas ainda não encontrei ninguém com algum relato como o meu. Tenho 46 anos, estou com sobrecarga de peso e sou diabética. Em outubro de 2008 comecei a sentir dores na perna direita que me incomodavam quando ficava muito tempo em pé. As dores foram aumentando, até que um dia tive uma crise quando estava no supermercado fazendo compras há mais de 1 hora. As dores vinham do quadril, descendo na parte da frente da coxa e indo até o joelho. Fui a vários ortopedistas, fiz ressonância da coluna, eletroneuromiografia, exame de sangue para ver se tinha reumatismo, enfim nada que justificasse essa dor na coxa direita. Observei que depois desta crise, acima do joelho, minha coxa ficou dormente e quando fico em pé sinto como que agulhadas nessa região da coxa. Quando aperto essa região, sinto como se os músculos estivessem mais duros. Sinto também essa dormência na lateral do joelho. Já tomei vários antiinflamatórios e sinto alívio nas dores, mas a sensação de dormência e formigamento continuam. Estou percebendo também uma leve coceira nesta região. Já fui a reumatologista, neurologista, não sei quantos ortopedistas e nenhum deles leva a sério essa sensação na minha coxa. Só dizem que é por causa da coluna. Eu não consigo me satisfazer com a resposta deles. Já não sei mais que médico procurar.
Vania Silva, Cuiabá, MT


Sua história chama a atenção quando você menciona que é diabética e está acima do peso. São condições que merecem acompanhamento médico contínuo e tratamento multidisciplinar. Também me causou espanto o fato de todos os exames de imagem que realizou serem normais. O diabete melito, ou simplesmente diabetes, é uma doença que se caracteriza pela incapacidade das células do nosso organismo utilizarem a glicose (açúcar) como fonte energética, por fatores que fogem ao escopo desta resposta. A glicose que não é aproveitada pelas células permanece circulando na corrente sanguínea e acarreta uma série de complicações clínicas, como as lesões na retina, nos nervos, nos rins e nos vasos sanguíneos. Creio que seus sintomas sejam decorrentes da neuropatia diabética, ou seja, comprometimento dos nervos pelo excesso de açúcar circulante no sangue. A outra possibilidade é uma hérnia de disco, que comprime os nervos que migram da coluna vertebral e inervam os membros inferiores. Seus sintomas podem corresponder a esta situação de compressão radicular lombar, especialmente se sofrer de dores nas costas. Discuta com um ortopedista a respeito destas possibilidades.


A VELHA CONDROMALÁCIA
Senti uma dor no joelho quando estava treinando para correr a Maratona de S. Paulo. Fiz uma ressonância magnética e o diagnóstico foi o seguinte: condromalácia patelar (grau 2); alteração degenerativa de sinal do corno posterior do menisco medial (grau 2) ; pequena área de edema ósseo na porção subcortical do côndilo femoral medial. O médico recomendou fazer reforço muscular durante 30 dias e voltar a correr devagar na esteira; se a dor persistir eu teria que fazer uma cirurgia no joelho. Ele está certo? Me dêem uma orientação.
Rafael Silva, Itabuna, BA


A condromalácia patelar é um desgaste da cartilagem entre a patela (osso da frente do joelho) e o fêmur (osso da coxa) e a alteração de sinal no menisco indica uma lesão meniscal por degeneração (desgaste). Seu médico lhe recomendou o fortalecimento muscular para os músculos da coxa e perna no intuito de proporcionar um suporte maior para seu joelho. Além disso, você também pode nadar ou realizar corrida na água com cinturão de flutuação para manter seu condicionamento aeróbico. Aguarde o período proposto para fazer uma reavaliação do seu caso.


ENTORSE DOS TORNOZELOS
Corro há 3 anos, sempre fazendo exercícios de musculação para fortalecimento e sempre utilizando um bom tênis. A única lesão que tive foi tendinite num joelho, logo no começo. Depois, nunca mais tive problemas. Há alguns dias sofri um acidente na musculação, resultando numa entorse dos 2 tornozelos, sendo bem mais grave no esquerdo. Não torci o tornozelo lateralmente, o acidente foi quando fazia panturrilhas no banco e no intervalo entre duas séries o peso (90 kg) desabou de uma vez, sendo que os tornozelos foram forçados no mesmo sentido que quando se faz alongamento de panturrilhas, ou seja, forçando os dedos em direção à canela. Fiz uma ressonância magnética e o ortopedista que me atendeu pediu que eu suspendesse os exercícios como avanço, agachamento, panturrilhas e leg press, liberando as cadeiras extensora, flexora, adutora e abdutora, indicou fisioterapia e prescreveu Artrolive por 3 meses, quando então deverei fazer outra RM de controle. A dúvida que me atormenta é: quais as reais chances de minha cartilagem se regenerar por completo, e quais as chances do trauma nela evoluir mal? Em quanto tempo poderei reiniciar os treinamentos com bicicleta ergométrica e, depois, de corrida? É fato que essa cartilagem jamais voltará a ser como era? Se eu voltar a correr, mesmo depois do período estabelecido e com todos os cuidados devidos, existe a chance de agravar o estado dessa cartilagem? O que me recomendariam que eu fizesse, para garantir uma perfeita recuperação?
Márcio Tokarski Pereira, Campinas, SP


O entorse de tornozelos que você sofreu realmente foi fruto de um mecanismo de trauma inusitado, pois não é comum o peso desabar durante o exercício para panturrilhas e forçar suas articulações no sentido da flexão dorsal, como você descreveu. Concordo totalmente com o tratamento prescrito pelo ortopedista, e acho que você está fazendo tudo corretamente. Sua dúvida remete ao relato do radiologista, que descreve uma contusão óssea subcondral na porção anterior da tíbia, que ocorreu provavelmente quando seu tornozelo foi forçado em direção à perna. A contusão óssea é comum nestes casos, e frequentemente detectada por exames de imagem, porém ocorre na porção do tecido ósseo que está abaixo da cartilagem (portanto subcondral), e não há menção pelo radiologista de lesão na cartilagem propriamente dita. O tecido cartilaginoso é muito especializado e não se regenera como o tecido original, e forma-se uma espécie de fibrose (cicatriz) no local acometido pela lesão. O uso de condroprotetores, tal qual foi prescrito pelo seu médico e tantas vezes mencionado nesta mesma coluna, tem o intuito de tentar recuperar as células da cartilagem que foi lesada, mas os resultados ainda se mostram conflitantes. Continue com a fisioterapia, e utilize exercícios aeróbicos na água para manter seu condicionamento cardiovascular.


MUSCULATURA DO JOELHO
Gostaria primeiramente de parabenizar pelo serviço prestado e também gostaria de uma orientação. Em 2002 rompi o LCA (ligamento cruzado anterior) e fiz uma operação; 8 meses de fisioterapia depois eu estava apto a correr novamente. Porém em 2004 tive que fazer uma cirurgia de menisco; mais 2 meses de fisioterapia e eu estava novamente pronto para correr. O problema é que ano após ano eu venho tendo problemas com meu joelho, seja correndo, seja jogando bola, até nadando meu joelho se deslocou. Fui a vários especialistas e todos são enfáticos em dizer que meu joelho é um joelho estável e meu problema é falta de musculatura. Gostaria de uma orientação de quais exercícios posso fazer que não prejudique meu joelho e que eu consiga aumentar minha massa muscular.
Leandro Duarte, São Paulo, SP


Mesmo sendo submetido a duas cirurgias que evoluíram com bons resultados, seu joelho jamais será igual a um joelho não operado. A substituição do ligamento cruzado anterior por outro tecido acarreta em alterações biomecânicas no seu joelho que poderão trazer consequências futuras, como você mesmo experimentou com a lesão meniscal após 2 anos. Os exercícios de fortalecimento recomendados para você são aqueles de cadeia cinética fechada, ou seja, os pés permanecem contra algum apoio, como o leg press e o meio-agachamento. Evite a extensão total dos joelhos durante a realização de qualquer exercício, assim como a flexão exagerada, para não comprometer as estruturas intra-articulares. Talvez você necessite de exercícios de propriocepção (equilíbrio) para melhorar os sintomas de falseio que apresenta. Converse com um fisioterapeuta a respeito.

3 Respostas para “Exercícios excêntricos; Dormência e formigamento; A velha condromalácia; Entorse dos tornozelos; Musculatura do joelho”

  1. tive uma crise de coluna fis uma tumografia constatand0-se entao .hernia de disco apos passa a crise me sinto muito bem porem ficou como sequela uma dormença no tornose esquerdo que me aconpanha ate hoje o que devo fazer?

  2. Olá!
    Gostei das respostac acima.
    Gostaria de informações sobre triplice artrodese de calcaneo para correção de pé desabado, plano. Quero saber se pode fazer flexão de tornozelo e descarga de peso com dois meses de pós op.
    Cicatriz fechada, porém um pontinho aberto ainda vazando, pouco de secreção purulenta, faz edema facilmente fica todo inchado. Não encontro protocolo de tratamento fisioterapeutico pra artrodese sem fixaçção dos ossos da perna, só do pé. Se possivel me responda.

  3. Tive uma distenção na panturrilha faz 60 dias agora estou sentindo um choquisinhos quando passo a mão oq pode ser?

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados