Revista Contra-Relógio
// Turismo //

É hora de planejar!

Edição 266 - NOVEMBRO 2015 - ANDRÉ SAVAZONI

Com a alta do dólar e do euro, é importante saber organizar a viagem para correr lá fora, com alternativas econômicas.

Com o dólar superando a casa dos R$ 4 e o euro se aproximando dos R$ 5, fica mais complicado participar de provas no exterior. Porém, está longe de ser impossível correr uma meia ou maratona em outro país. Com planejamento e mudando alguns hábitos, é possível sim viajar, eventualmente trocando o destino desejado.
Um exemplo com números, sem comparar as cidades e os eventos. A inscrição para a Maratona de Nova York custa 11 dólares para entrar no sorteio e, depois, mais 347 dólares na confirmação, ou seja, sem contar hospedagem, alimentação e a passagem aérea. Já para a Maratona de Buenos Aires, com cobertura nesta edição, foi possível viajar com 190 dólares (passagem aérea da Aerolíneas Argentinas), 80 dólares (inscrição) e 120 dólares (aluguel de um apartamento com todas as taxas, para duas pessoas, no bairro da Recoleta, de sexta a terça-feira, ou seja, quatro diárias). O total ficou em 390 dólares, sendo a hospedagem para duas pessoas.
Então, o primeiro ponto, apesar da atração das Majors para alguns, é abrir os olhos para a América do Sul. Para citar apenas cinco países, temos maratonas e meias interessantes na Colômbia (Medellín), na Argentina (Buenos Aires, Rosário e Mendoza), no Uruguai (Montevidéu e Punta del Este), no Chile (Santiago) e no Peru (Lima). Voltando o olhar para os Estados Unidos, de acordo com a última estatística oficial disponível, com base no ano de 2014, foram mais de 1.200 maratonas e 2.200 meias organizadas em todo o território norte-americano, a maior parte delas pequenas e simples.
Ou seja, há uma infinidade de opções. Corridas menores não significam menos qualidade, porém têm custos mais baixos de inscrições e de hospedagem. Nova York e Chicago não são cidades baratas e, no final de semana das Majors, ficam ainda mais caras. Boston fora da "temporada" tem preços bem acessíveis, porém, de sexta a terça no final de semana da centenária maratona, o valor médio da diária de hotel três estrelas fica em 250/300 dólares o casal.
Na maioria das vezes, essas corridas mais modestas têm sites bem completos e parcerias entre a organização e os hotéis, com preços mais em conta para os corredores. Isso ocorre bastante também na Europa. Berlim (uma Major que custa 90 euros a inscrição) e Barcelona são duas opções com esses serviços. Aqui, uma dica importante: vale pesquisar o valor no hotel, pois, muitas vezes, fazendo diretamente no site do estabelecimento, há ainda um desconto maior. Neste ano, um hotel quatro estrelas excelente por seis diárias para quatro pessoas (dois adultos e duas crianças menores de 12 anos) para a Maratona de Barcelona (credenciado na organização), estava 600 euros o pacote com taxas e café da manhã com a organização. Porém, diretamente no hotel, o valor caiu para 500 euros.

Publicidade


MARÇO A MAIO. No período entre março e maio na Europa, há maratonas todos os finais de semana. É possível, inclusive, correr mais de uma prova (seja de 21 km ou 42 km) como já mostramos em reportagens especiais aqui na Contra-Relógio. Essa dobradinha passa a ser ainda mais interessante com a desvalorização do Real, na medida em que se pode aproveitar para conhecer dois locais de culturas diferentes (Paris e Barcelona, por exemplo, ou Viena e Roma ou Roterdã e Hamburgo) em uma mesma viagem.
No site da IAAF (www.iaaf.org/competition/calendar) há um calendário completo de competições pelo mundo, incluindo as provas de rua, com informação se a maratona tem selo ouro, prata ou bronze, além do link para os sites oficiais.


EM HOSTEL. Voltando à questão da hospedagem, há duas outras excelentes opções, além dos hotéis. Ficar em hostel ou alugar um apartamento. No primeiro caso, há sempre opções de quartos coletivos ou privativos. A quantidade de camas por quarto varia de local para local e, também, pelo nível da acomodação. Assim, pode ter quatro, seis ou oito camas, porém, para quem viaja em grupo, há a opção de reservar o quarto todo, que acaba ficando privativo.
No site do Hostelling International (www.hihostels.com) é possível pesquisar estabelecimentos em todo o mundo (com descontos para quem tem a carteirinha de cliente regular). O da rede em Boston, por exemplo, tem uma localização excelente: você vai para a Expo, jantar de massas, restaurantes, bares, parques e o ponto de saída dos ônibus que transportam para a largada em no máximo 15 minutos de caminhada, além do metrô ao lado.
"Durante a minha estada em Boston para participar da maratona em abril deste ano, fiquei hospedado em hostel e foi uma experiência fantástica e que pretendo repetir em outras oportunidades. Sempre indico para os amigos corredores. Dentre os diversos pontos positivos, destacaria a camaradagem entre os hóspedes, sendo a maioria corredores e a integração de diversas culturas. No meu caso, no quarto em que fiquei, tinha pessoas da Argentina, Japão, Moçambique e Estados Unidos. O preço é muito mais acessível do que a maioria dos hotéis e com café da manhã farto e incluído na diária, além da ótima localização com acesso fácil ao transporte público", comenta o assinante Francisco Apoloni, de São José do Rio Preto-SP.


ALUGAR APARTAMENTO. Outra possibilidade cada vez mais interessante é se hospedar em apartamentos/casas. Também, nesse caso, há a possibilidade de ficar com o imóvel inteiro (para duas, três, quatro, dez ou mais pessoas) ou alugar um cômodo (uma suíte, por exemplo). Para quem vai a Orlando na época da Maratona da Disney ou outro evento, isso acaba se tornando mais comum, com imobiliárias oferecendo essa opção aqui no Brasil. Mas vale para todo o mundo, principalmente com o crescimento de sites desse serviço, sendo o Airbnb o mais famoso do momento (www.airbnb.com.br).
O Airbnb foi fundado em 2008, tendo sede em São Francisco, nos EUA. Trata-se de um mercado comunitário de pessoas que anunciam seus imóveis para aluguel por dia, semana, mês ou temporada. Está presente em mais de 34 mil cidades e 190 países, incluindo o Brasil. Em uma rápida busca, com base na análise dos proprietários e comentários de quem esteve no imóvel, é possível conhecer o local, as vantagens e desvantagens, além de ver imagens e os serviços disponíveis (o que tem de eletrodomésticos, localização, número de quartos, banheiros etc). É possível, inclusive, alugar em grupo, acomodando mais pessoas e dividindo os custos. O serviço está disponível também para aluguel em cidades brasileiras. Fica a dica para quem for correr as maratonas de São Paulo ou Rio de Janeiro em 2016.
"Penso que a principal vantagem é a liberdade que uma casa/apartamento oferece em relação aos hotéis. Você pode usar uma cozinha, tem livre acesso, horários flexíveis, garagem. Tem também a questão do preço. As redes hoteleiras costumam praticar tarifas tabeladas. Alugar um imóvel é quase sempre mais barato que um hotel", afirma o maratonista Felipe Arakawa, de Campinas-SP, que alugou apartamento em Boston e Nova York, neste ano.
"Alugando um apartamento na rede Airbnb, por exemplo, você pode escolher um imóvel que atenda as suas necessidades, no bairro que lhe interessar. Tudo isso com flexibilidade, já que muitas vezes é possível negociar com o proprietário alguma adequação. E conta ainda com a possibilidade de pagar em real e até mesmo parcelando o valor. O site funciona como uma rede social, onde hóspedes e anfitriões possuem perfis, com histórico de transações", completa Arakawa.


ALIMENTAÇÃO - Em época de câmbio desfavorável, o que muitas pessoas acabam esquecendo de computar na hora dos gastos é a alimentação, principalmente quem viaja com crianças. Assim, ao alugar um apartamento com cozinha completa, ao menos duas refeições podem ser preparadas (café da manhã e almoço ou jantar), com compras no supermercado, o que ajuda não apenas a manter a dieta antes da maratona (ou da corrida escolhida) e a reduzir em muito os gastos da viagem.
Outro ponto que deve ser levado em conta é o uso do transporte público. Faça uma pesquisa pela internet sobre a cidade a ser visitada e já consegue ter uma noção do serviço, horários e valores. Assim, poderá talvez pegar o metrô, trem ou ônibus desde a chegada até o retorno ao aeroporto. Quatro, cinco ou mais deslocamentos vão custar o mesmo ou menos do que uma corrida de táxi, além de incluir as caminhadas para conhecer o local.
Uma última dica: pesquise também os pontos turísticos e locais a serem visitados. A maioria tem preços mais baixos para compra on-line. Já saia do Brasil com os tíquetes em mãos, o que reduz a perda de tempo nas filas e, também, pagando menos do que na bilheteria.
Então, o que está esperando? Comece a programar sua prova de 2016, pois, mesmo com o câmbio desfavorável, com antecedência e organização é possível continuar correndo e viajando.


Passagens aéreas
mais em conta


Com a elevação do dólar, as companhias aéreas têm feito promoções de passagens, principalmente para os Estados Unidos. Na pesquisa feita pela CR para esta matéria, foi possível encontrar voos para Nova York por 300 a 350 dólares (pela Delta no começo de novembro) e de 400 dólares para Boston no período da maratona, em abril de 2016 pela Air Canadá. Nos dois casos, seria preciso incluir as taxas dos aeroportos.
É bom ficar atento às promoções, usando sites de busca na internet, como o Google Flights (www.google.com.br/flights/), depois fazendo as compras nas companhias aéreas. Nesse caso, não há necessidade da compra com muita antecedência. Com 70 a 60 dias para a prova, na maioria das vezes, surgem os melhores preços. Novamente, a dica é ficar atento. Outro site para acompanhar as promoções é o www.melhoresdestinos.com.br.


Preços de inscrições


Valores para brasileiros em algumas das principais maratonas do mundo no primeiro semestre de 2016*


MIAMI (Estados Unidos) - 24 de janeiro
130 dólares - www.themiamimarathon.com


BARCELONA (Espanha) - 13 de março
61,50 euros - www.zurichmaratobarcelona.es


SANTIAGO (Chile) - 3 de abril
25 mil pesos chilenos - www.maratondesantiago.com


VIENA (Áustria) - 10 de abril
67 a 87 euros - www.vienna-marathon.com


ROTERDÃ (Holanda) - 10 de abril
66,50 euros - www.nnmarathonrotterdam.org


ROMA (Itália) - 10 de abril
70 euros - www.maratonadiroma.it


HAMBURGO (Alemanha) - 17 de abril
75 euros - www.haspa-marathon-hamburg.de/en/


BOSTON (Estados Unidos) - 18 de abril
240 dólares - www.baa.org


ROSÁRIO (Argentina) - 26 de junho
Valor ainda não divulgado - www.42krosario.com.br


*Preços variam conforme a data. Valores até o fechamento desta edição.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados