Revista Contra-Relógio
// Estatísticas //

Duelo de titãs

Edição 278 - NOVEMBRO 2016 - ANDRÉ SAVAZONI

A disputa pelo recorde mundial da maratona nunca esteve tão intensa, com Dennis Kimetto, Kenenisa Bekele e Eliud Kipchoge separados por 8 segundos, sem falar de Wilson Kipsang e outros...

Na mitologia grega, a árvore genealógica reúne 6 titãs, descendentes de Urano, relativo ao céu, e Gaia, à terra. Do mais novo deles, Crono (tempo), virão os primeiros deuses olímpicos. Trazendo essa história para os dias atuais, com a origem da maratona em Atenas, temos três titãs da modernidade duelando incansavelmente pelo tempo mais rápido nos 42 km.
Nunca a disputa teve um nível técnico tão próximo e tão intenso, pois apenas oito segundos separam Dennis Kimetto (2:02:57) de Kenenisa Bekele (2:03:03) e de Eliuk Kipchoge (2:03:05). A relação poderia ter outros titãs (os quenianos Geoffrey Mutai, que fez 2:03:02, e Moses Mosop, 2:03:06, em Boston-2011, mas a marca não é aceita pelas regras para recordes mundiais, além dos 2:03:13 de Wilson Kipsang), mas vamos no ater nesse momento ao trio fantástico (até porque, Quarteto Fantástico já é uma marca registrada nas histórias em quadrinhos).
O pico atlético ao longo da história de grandes esportivas, na maioria das vezes, foi atingido em décadas diferentes. Nunca competiram entre si. São disputas que apenas imaginamos, mas que pela questão da idade, nunca se concretizaram nem se concretizarão. Poderíamos simular no computador, na parte gráfica, mas fugiria da realidade de qualquer forma. Isso em diversas modalidades esportivas.
A maratona masculina quebra essa "regra" e coloca três gênios no mesmo momento, no mesmo período e, tomara, na mesma prova em 2017. Já imaginaram a edição de Berlim-2017 com esse trio brigando, literalmente, passo a passo?

Publicidade


BERLIM ESTE ANO. No dia 25 de setembro passado, na Maratona de Berlim (leia a cobertura de Fernanda Paradizo nesta edição), o etíope Kenenisa Bekele escreveu definitivamente seu nome no grupo dos grandes corredores da história. Bicampeão olímpico dos 10.000 m, recordista mundial da distância e dos 5.000 m, entre inúmeras outras conquistas, faltava "encaixar" os 42 km. Era a expectativa que existia desde que deixou as pistas de atletismo e migrou para as ruas.
Quem acompanha o esporte, conscientemente ou inconscientemente, torcia para esse momento. E ele veio. A segunda maratona mais rápida corrida na história: 2:03:03. Foi inclusive a segunda vez que a quebra do recorde mundial do queniano Dennis Kimetto de 2:02:57 na mesma Berlim, mas em 2014, ficou no quase. Em abril, o também queniano Eliud Kipchoge fez 2:03:05 em Londres e, depois, em agosto, ainda acabou como campeão olímpico no Rio de Janeiro. Aqui, vale um adendo. Kipchoge tem sete maratonas com seis vitórias e um segundo lugar na carreira.
Individualmente, como pode ser visto nos quadros desta matéria, o desempenho esteve muito próximo, com base nas passagens a cada 5 km e no acumulado. Bekele e Kipchoge estavam em ritmos para recordes mundiais até o km 30, porém, nesse ponto, o grande diferencial. Kimetto fez incríveis 14:09 entre os km 30 e 35 em Berlim-2014, o melhor desempenho na comparação entre o trio em qualquer momento nas três maratonas.
Isso determinou o primeiro (e até agora único), sub 2h03 na história dos 42.195 m. Por outro lado, os 2.195 m finais de Kimetto foram os piores do trio, o que comprova que tanto Bekele quanto Kipchoge aceleraram em busca do recorde mundial. Sabiam que era possível, estava nas mãos, ou melhor, nos pés, mas não conseguiram.
E se os três tivessem feito esses desempenhos na mesma prova? Claro que, cabeça a cabeça, brigando pela vitória, a tendência seria de correrem ainda mais rápido, mas com base nos resultados que temos oficiais, Bekele chegaria 35 m atrás de Kimetto e, na sequência, Kipchoge estaria a 11 m de distância de Bekele, ou seja, os três se vendo e na mesma imagem dos fotógrafos posicionados na chegada.
Assim, reforçamos a expectativa da Contra-Relógio e de dez entre dez apreciadores da maratona: seria possível alguma organização colocar Kimetto, Bekele e Kipchoge na mesma prova em 2017? De preferência ainda com Wilson Kipsang, ex-recordista mundial e que tem três dos dez melhores tempos da história? Londres e Berlim têm dinheiro e poder para isso. O quarteto em abril na Inglaterra e em setembro na Alemanha? Aí já seria voltar à época mágica da mitologia grega e dos titãs!


AS PASSAGENS NA MARATONA
Distância Kimetto
Berlim-2014 Bekele
Berlim-2016 Kipchoge
Londres-2016
5 km 14:42 14:21 14:16
10 km 29:24 29:00 28:37
15 km 44:10 43:37 43:17
20 km 58:36 58:02 58:10
25 km 1:13:08 1:12:47 1:12:39
30 km 1:27:38 1:27:30 1:27:13
35 km 1:41:47 1:42:01 1:42:07
40 km 1:56:29 1:56:55 1:56:49
42,2 km 2:02:57 2:03:03 2:03:05


Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados