Revista Contra-Relógio
// Medicina Esportiva //

Dores nas plantas dos pés; Condromalácia; Bursite 1; Bursite 2; Dormência no tendão; Caminhada para emagrecer; Dor estranha; Acima do peso; Estiramento

Edição 187 - ABRIL 2009 - JOSÉ MARQUES NETO


DORES NAS PLANTAS DOS PÉS
Primeiramente gostaria de parabenizá-los pelo fantástico trabalho nesta seção da CR, que acompanho já há algum tempo. Tenho 28 anos, estou no peso correto, e pratico musculação regularmente e exercícios aeróbicos. Toda vez que vou viajar, o que ocorre uma vez por ano, fico de pé muitas horas por dia, e isto causa uma dor e inflamação fortes nas plantas de ambos os pés. Quando os aperto com as mãos, posso sentir a dor derivada da inflamação em todos os músculos da sola, exceto na região frontal junto aos dedos. A dor, ao contrário da fasciite plantar que surge quando a pessoa levanta, intensifica-se ao longo do dia, aumentando quanto mais tempo fico em pé. Quando retorno da viagem, levo ainda uns 4 a 5 meses para me recuperar por completo e livrar-me da dor, a qual vai progressivamente se esvaindo, entretanto, desta última vez, não sinto melhoras com o passar do tempo, pelo contrário, agora estão doendo também meus tornozelos, cuja musculatura dói se pressionada com os dedos. Sinto como se a inflamação muscular estivesse progredindo para outros músculos. Já me consultei com ortopedista, que me deu um antiinflamatório que de nada adiantou. Ultimamente, a dor no tornozelo e pé é tão forte que abandonei o exercício aeróbico, que causava muita pressão e conseqüentemente muita dor. Tento colocar bolsas de água quente para desinflamar, sinto um certo alívio da intensidade da dor com esta medida, mas isto não parece estar sendo suficiente para regredir a inflamação. Tenho um quadro de tendinite em ambos os braços também. É possível que o que tenho nos pés também seja tendinite?
Melissa Almeida, São Paulo, SP


Obrigado pelas palavras de incentivo sobre a coluna "Medicina Esportiva". É possível sim que haja um quadro de tendinopatia de seus tendões na região da sola do pé. Você já experimentou utilizar sapatos mais confortáveis nas suas viagens e durante o trabalho? Já tentou usar tênis? Utilizou uma palmilha de EVA ou silicone para proporcionar um pouco mais de conforto durante suas caminhadas? Qual o formato do seu pé e seu tipo de pisada? Fez algum exame de imagem? Creio que deva trabalhar os músculos dos pés com exercícios de musculação para ver se isso ajuda. Troque as compressas de água quente por gelo, suspenda os antiinflamatórios e faça algum exame de imagem para compará-lo ao seu quadro clínico.

Publicidade


CONDROMALÁCIA
Pratico corrida de rua há mais de 10 anos e agora estou com dor no joelho. Fiz uma ressonância magnética, que acusou bursite anserina incipiente condropatia patelo-troclear, grau 4 em troclea. Esta dor vai e volta e o médico que consultei receitou o medicamento Artrodar, mas não está fazendo efeito. Peço alguma orientação para que eu possa me recuperar o mais rápido possível.
Reginaldo Lourenção, Mauá, SP


Seu quadro clínico e exame de ressonância apontam para uma condição de condromalácia, que pode ser entendida como um desgaste da cartilagem da parte posterior da patela (osso da frente do joelho) em sua articulação com o osso do fêmur, e a discreta inflamação da bursa (pequena bolsa) que protege alguns tendões de músculos da coxa quando se inserem na parte superior do osso da tíbia (canela). O Artrodar (nome comercial) é uma medicação dita condroprotetora, que deve ser utilizada por longos períodos com a proposta de regeneração ou proteção da cartilagem, e por esta razão que seu médico a recomendou. Creio que você enfrenta uma sobrecarga sobre seu aparelho extensor do joelho, que na verdade são os músculos quadríceps, pois estas condições justamente próximas ao joelho não aconteceram por acaso. O fortalecimento e o alongamento destes músculos são fundamentais para a melhora do seu quadro.


BURSITE 1
Sou assinante da Contra Relógio e apaixonada por corrida... porém, ultimamente, treinar para mim tem sido um martírio! Em outubro/2008 montamos uma equipe para participar do Mountain Do (Lagoa da Conceição), uma prova de revezamento com 73 km por trilhas, dunas e montanhas. Até então, eu só fazia musculação. Faltando dois meses para a prova, comecei a correr na praia em dias intercalados. Meu percurso seria 8,6 km em uma praia. Quinze dias antes da prova, decidi ir até o local para conhecer o meu percurso. Nesse momento eu já corria 12 km em 1 hora na praia onde moro. Mas quando me deparei com o local onde eu teria que correr, me apavorei... Era uma praia inclinada, com areia fofa e grossa, que enterrava o pé até o tornozelo e devido ao longo período de chuvas, estava totalmente desnivelada e pesada para correr. Acho que não cheguei a correr 2 km, sentei e chorei. No outro dia, determinada a vencer esse desafio, fui treinar em uma praia com as mesmas características, só que talvez por falta de um fortalecimento muscular adequado, no outro dia comecei a sentir uma dor perto do quadril, no início do fêmur do lado direito (no osso abaixo da cintura, bem na lateral para frente), pela parte externa. Como para correr não me incomodava, apenas no dia seguinte ao exercício, não dei muita atenção. Mas com os treinos e corridas cada vez mais constantes, essa dor aumentou e passei a senti-la durante a corrida. Começa a doer no local, e se não paro, desencadeia uma cólica somente no lado direito, tanto na barriga como na lombar. Como se fosse uma cólica menstrual. Já fiz vários tratamentos como massoterapia, quiroplaxia, osteopatia, fisioterapia e agora por último procurei um clinico geral que me mandou fazer dois ultra-som, no abdome e pelve e outro para ver o músculo psoas. Os resultados não apresentaram nenhum problema, só a presença de líquido na fossa ilíaca, o que o médico achou normal. E me encaminhou para um ortopedista... Não aguento mais esse dilema. De um lado para o outro e sem saber o que eu tenho. Estou com medo que isso se torne crônico, pois as dores vêm aumentando consideravelmente. Gostaria de saber se vocês podem me ajudar de alguma forma, se conhecem algum caso semelhante, ou até mesmo alguma opinião de especialista.
Juliana Cadori, Itapema, SC


Calma, Juliana, a corrida é importante para todos nós, porém sejamos críticos para perceber quando temos alguma situação importante pela frente. Ao que tudo indica, seu quadro clínico é compatível com bursite trocanteriana, condição caracterizada pela inflamação de uma pequena estrutura com formato de bolsa para atenuar o atrito de tendões contra saliências ósseas, de difícil tratamento conservador que envolve sessões de fisioterapia, fortalecimento e alongamento da região da parte lateral da coxa acometida. Creio que suas corridas nas areias fofas e irregulares de Florianópolis contribuíram muito para o surgimento deste problema. Chegou a fazer fisioterapia? Não creio que vá melhorar só com antiinflamatórios, além de correr o risco de eventuais problemas gástricos. Retorne ao seu ortopedista e discuta outras possibilidades de tratamento.


BURSITE 2
Depois de alguns meses de treinos regulares e participando de competições, consegui um bom rendimento na corrida, mas passei a sentir dores no lado direito do quadril. E certa vez, realizando um treino intervalado 6 x 1.000 m, senti a mesma dor junto a um estiramento dos músculos posteriores da coxa esquerda. Suspendi os treinos, fui a um ortopedista que diagnosticou "Bursite trocanteriana e estiramento dos isquiotibiais lado esquerdo." Fiz várias sessões de fisioterapia e tomei alguns antiinflamatórios. Realizei fortalecimento muscular, retomei aos treinos, e as dores continuaram com mais intensidade. Seria o caso de ultra-sonografia ou ressonância magnética?
Maurício Fernandes,Maracanaú, CE


A bursite trocanteriana é uma inflamação de uma estrutura do aparelho músculo-esquelético. O estiramento muscular é uma ruptura muscular parcial, que no seu caso envolveu os músculos da parte de trás da coxa. São situações que necessitam de um tratamento específico como você fez, mas houve uma recorrência. Sugiro que retorne às sessões de fisioterapia, suspenda temporariamente treinos intensos de corrida, e analise junto ao seu médico a indicação de algum exame de imagem. As lesões aparentemente progrediram, ou você não respeitou o tempo mínimo de tratamento, retornando às suas atividades de corrida antes da hora mais indicada.


DORMÊNCIA NO TENDÃO
Há uns 4 meses, tive um estiramento no tendão abaixo da panturrilha; fiz fisioterapia e mesmo assim estou sentindo uma dormência na lateral do tendão que vai até o meu dedo menor do pé. Faço fortalecimento e corro, mas não some a dormência, mas também não sinto dor alguma. Vocês poderiam me informar o que posso fazer para resolver esse problema?
Dinei Bres, por email


A dormência que você sente na parte lateral do pé pode indicar uma alteração neurológica sofrida em algum nervo sensitivo desta região, ou então alguma alteração originária na coluna lombar. Não sofreu nenhum trauma no local? Você tem diabetes? Exagera na bebida alcoólica? Fez muitas compressas de gelo, por muito tempo seguido, na região? Sente dores na região lombar? Converse com seu médico sobre a possibilidade de realizar um exame de eletroneuromiografia, que é bastante desagradável por causa das agulhas e dos choques a que é submetido o paciente, mas pode trazer mais dados para a formulação diagnóstica do seu caso.


CAMINHADA PARA EMAGRECER
Comecei a fazer caminhada recentemente, pois estou com peso muito acima do normal, mas depois que comecei a fazer caminhada venho sentindo muitas dores na frente de minha perna e no meu dedão (joanete); são dores fortes que me incomodam muito. Gostaria de saber se contínuo ou se eu paro com a caminhada?
Elaine Cristina, Cuiabá, MT


Parabéns pela sua decisão de associar a atividade física na sua luta contra a balança, mas existem alguns fatores importantes que devemos considerar. Você precisa de uma liberação do seu cardiologista para o início da prática esportiva, incluindo exames de sangue e teste ergométrico de esforço. Procure a ajuda de um professor de Educação Física para orientar seus treinos. Como você ainda está acima do peso e é portadora de joanete, que é um desvio muito doloroso do osso do pé (primeiro metatarso), alterne suas caminhadas com outras atividades na água (natação, hidroginástica,...) ou bicicleta para não sobrecarregar exageradamente seu esqueleto. Procure um ortopedista e discuta a necessidade do uso de palmilhas para suporte do arco do seu pé, protetor de joanete e espaçador de dedos. Não se pode deixar de considerar também a opção de usar tênis em tamanho um número acima para dar mais folga na área do joanete.


DOR ESTRANHA
Tenho passado por um problema não diagnosticado e que vem me deixando triste e incerto quanto ao meu futuro nas corridas. Em março de 2008, estava me preparando para estrear em uma maratona (Porto Alegre); quando em um dos treinos pela manhã, senti algo diferente. Foi uma dor aparentemente na articulação do quadril. Quando então comecei já a usar gelo, o que não é fácil de inicio, pela sensibilidade. Como tenho uma amiga fisioterapeuta, também iniciamos algumas seções com ultra-som. Mas apesar disso tudo, não melhorou muito. Depois pude perceber que uma dor aparecia quando dirigia carro, bem no local que apoio o glúteo, aparentemente na articulação da cabeça do fêmur, e também quando ficava sentado por longo tempo. Aí foi feito raio-x, ultra-som e ressonância, mas nada foi diagnosticado, não sei se por desconhecimento da sintomatologia ou qualidade dos exames. Então gostaria de conhecer um pouco mais desta sintomatologia.
Plínio Souza Silveira, Alta Floresta, MT


Aparentemente sua dor está localizada na tuberosidade do ísquio, ponta de osso de você sente quando senta e apóia os glúteos sobre a superfície. Além da tradicional tendinopatia ("tendinite") da origem dos músculos ísquio-tibiais, que normalmente apresentaria alterações aos exames de imagem como a ressonância, outro diagnóstico que podemos pensar a respeito é a síndrome do músculo piriforme, na qual ocorre uma compressão dinâmica do nervo ciático pelo músculo piriforme quando da atividade física, porém acontece com formigamento e outros sintomas neurológicos pelo membro inferior acometido. A síndrome dos músculos ísquiotibiais é um diagnóstico de exclusão, ou seja, menos frequente que os outros, que precisa ser lembrado no seu caso, pois seus exames de imagem são negativos, com quadro clínico muito semelhante às tendinopatias, e tratamento conservador com resultados pouco animadores. Consulte um ortopedista especialista em medicina esportiva para uma orientação sobre seu caso.


ACIMA DO PESO
Há um mês venho sentindo dores forte no quadril (lado esquerdo), que não me permitem ficar muito tempo sentada ou deitada, pois quando vou mudar de posição a dor é horrível. O que pode estar acontecendo e qual médico devo procurar, pois clínico geral só me diz que estou acima do peso.
Luciana Ramirez, Por email


Você pode até estar acima do peso e esta situação contribuir para suas dores no quadril, mas com certeza deve haver uma outra causa mais importante para seus problemas. Como começou a sentir dores? Teve alguma queda? Rápido aumento na quilometragem de treino? Treinamento em superfícies muito irregulares? Em que local do quadril exatamente você sente dor? Creio que estas perguntas são importantes de serem respondidas para que um diagnóstico seja formulado e seu tratamento prescrito. Consulte um médico ortopedista especializado em Medicina Esportiva para uma correta avaliação do seu caso e uma orientação quanto ao seu tratamento.


ESTIRAMENTO
Estou sentindo fortes dores do lado de fora da perna direita; fui a um médico que relatou ser um estiramento muscular. Qual o melhor tratamento?
Jair Andreatto, Por email


O estiramento é uma lesão (rompimento) muscular parcial que envolve apenas algumas fibras do músculo acometido, resultado de alguma solicitação mecânica que excedeu a capacidade do músculo de se alongar, e portanto romperam-se algumas fibras. Normalmente este tipo de lesão é tratada conservadoramente, isto é, não através de cirurgia, e sim por medidas fisioterápicas como controle da dor inicialmente (analgesia), e depois o trabalho de retorno da amplitude de movimento e posteriormente ganho de força e alongamento. O exame clínico realizado pelo médico é praticamente suficiente para fazer o diagnóstico, mas pode ser acompanhado por exames de imagem, como o ultra-som ou a ressonância magnética. Faça compressas de água quente 3 vezes ao dia, 10 a 15 minutos por sessão, e discuta com seu médico a possibilidade de realizar algumas sessões de fisioterapia. Não retorne aos seus treinos sem consultá-lo.

8 Respostas para “Dores nas plantas dos pés; Condromalácia; Bursite 1; Bursite 2; Dormência no tendão; Caminhada para emagrecer; Dor estranha; Acima do peso; Estiramento”

  1. alguns tempo atrans venho se tindo dores no solado do pe mas espersificamente ao lado onde dar uma curva sao dores que vai e vem pricipalmente quando eu apreto no locau ou quando acordo que piso no chao.

  2. BOA NOITE ,ME AJUDOU MUITO A MATÉRIA .Estou pesquisando hà tres meses uma dor súbita que surgiu no osso do quadril mas que irradia na face anterior da coxa formando nódulos palpaveis como se estivesse na cadeia linfática .Fiz colonoscopia ,pois a dor não se estabiliza sómente num local ,ultrassom da coluna e da tireóide e punção .Hoje fiz eletroneurofibrometria e o resultado sai quarta -feira e a dor nos nódulos continua .Com as informações obtidas por voces vou procurar um médico ortopedista especialista em medicina esportiva pois caminhei muito este ano que passou e pode ser um estiramento dos musculos .Também informo que é somente na perna esquerda que isto está acontecendo .Obrigada .Ana Maria .

  3. olá,em outubro do ano passado me apareceu na parte de dentro do calcanha.tipo um calo,mas essa zona sempre ficava vermelha antes.agora tem tipo um calo e doi,as veses lateja.queria saber mais sobre isso.o que pode vim a ser???

  4. Já faz mais de 1 ano e meio veio sentindo fortes dores no pé esquerdo.Já fui no ortopedista e deram o diadinostico como fascite plantar.Fiz fisioterapia , acupuntura.Fiz massagem ,compressas quentes e frias e nada adiantou , tomei varios antiflamatórios e nada.Coloquei palmilha de silicone e uso tênis direto .Agora no momento venho fazendo massagem de Quiroprática acuputura ,Shiatsu e parece que está melhorando e tambem tenho que emagrecer pois estou acima do peso .o que devo fazer.

  5. CONDROMALÁCIA – Sou fisioterapeuta (osteopata e especialista em Quiropraxia Clínica e Desportiva), este tipo de lesão relatada nos leva a crer que existe uma alteração na biomecânica do joelho, o que o faz ficar em rotação externa, estirando os tendoões da pata anserina (ganso) que assim ficam inflamados gerando a tendinopatia, da mesma forma a condromalácia patelo-troclear tb é favorecida, uma vez que a rotação externa do joelho altera o angulo Q do joelhos ampliando a superficie de contato com os condilos femorais, desgantando a cartilagem! Procure um especialista para reequilibrar seu corpo contribuindo para a correção biomecânica do joelho, deixando novamente em neutro, e assim faça com que as superficies feitas para suportar as cargas sejam utilizadas adequadamento, eliminando as dores!

  6. ola
    Gostaria de uma opiniao, recentemente comecei a praticar corrida, porem muitas vezes sentia meus pes latejarem e tinha que parar. Pensei que pudesse ser o tenis, entao investi em um tenis melhor com solado em gel, mas para minha surpresa meus pes continuam latejando.
    Existe alguma relacao entre o tenis e ador? Ou alguma inflamacao que nao me permite continuar correndo?

  7. Estou com muita dor na sola dos pés, (calcanhar), sou diabetico, tenho um pouco de peso. O que fazer para acabar com esta dor e porque de tanta dor…..

  8. Boa noite! Tenho uma dor intensa no antepé, esquerdo e direito. Fiz diversos exames: ressonância, RX, eletroneuromiografia, etc e nada foi acusado. Fiz acumputura, ondas de choque, fisioterapia e a dor persistiu. Há pouco mais de um mês fiz o teste da pisada (baropodometria) e confeccionaram uma palmilha personalizada. Bem, não sarei por completo, mas a dor reduziu aproximadamente 50%. Converse com seu ortopedista, talvez isso possa ajudar. Deus abençõe a todos

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados