Revista Contra-Relógio
// Tudo em Cima //

Cirurgia plástica e corrida

Edição 249 - JUNHO 2014 - POR YARA ACHÔA

Na hora de se submeter a uma intervenção – seja ela uma correção necessária ou puramente estética –, alguns procedimentos podem deixar a corredora insegura. Conversamos com um especialista no assunto para tirar suas principais dúvidas.

A corrida traz bem-estar e ajuda você a entrar em forma, melhorar a saúde, elevar a autoestima. Mesmo assim, há quem não resista em fazer um ajuste aqui, outro ali no corpo. E não há mal nenhum nisso. Mas algumas pessoas se sentem inseguras na hora de optar por um determinado procedimento. Será que vai ficar bom? Vou ter de parar de correr? A intervenção pode me ajudar depois a melhorar a performance? Para responder a essas e outras questões, ouvimos o cirurgião plástico Sidney Zanasi, especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e assistente da disciplina de Cirurgia Plástica da Faculdade de Medicina do ABC - ele próprio corredor, apaixonado pelo esporte, com 13 São Silvestre, 20 meias-maratonas e 2 maratonas completadas. Confira!

Publicidade


Implantes de silicone



A mulher começa a correr, perde peso, fica em forma, mas os seios "diminuem". Colocar silicone pode ajudar a dar mais harmonia ao corpo?
Certamente. Os implantes de silicone começaram a se popularizar na década de 60 e até hoje auxiliam os cirurgiões para harmonizar a silhueta corporal. Quando a mulher começa a correr e perde gordura (massa gorda) ocorre uma hipotrofia mamária secundária e o volume mamário diminui. Na menopausa e após a amamentação,esta condição também ocorre. Sendo assim, os implantes devolvem volume à mama, além de elevar a autoestima feminina.


Como escolher o tamanho ideal de prótese?
Os volumes dos implantes vêm aumentando nos últimos 10 anos - acredito que houve certa influência das americanas. Hoje o tamanho mais utilizado está em torno de 280 e 300 ml. Apesar disso, o cirurgião plástico e a paciente devem entrar em um acordo. Precisa ser levado em conta o tamanho e o formato do tórax, a quantidade de pele que irá ser distendida e qual o local em que será colocada à prótese - na frente ou atrás do músculo. Quem pratica atividade física deve informarão cirurgião - isso porque quando colocamos a prótese atrás do músculo podemos interferir em relação a alguns movimentos a depender do exercício, mas principalmente aqueles relacionados com o tronco. E atenção: a influência das amigas não deve ser levada em conta. Cada mulher tem a sua mama e seu formato de corpo. Com a escolha adequada e o trabalho bem feito, o resultado final fica natural.


Quem coloca silicone tem problemas de adaptação depois,ao correr? A sensação durante a corrida muda devido ao peso das novas mamas?
No pós-operatório a paciente poderá sentir sensação de peso ou pressão na região torácica. Naqueles casos nos quais se utilizaram volumes grandes ouse optou pela técnica de colocação atrás do músculo, esta sensação é maior. Mas, em geral, passados os primeiros três meses, os tecidos se acomodam e a atleta até esquece que operou. No retorno aos treinos a sensação de peso pode voltar e a corredora aos poucos vai se acostumando com o novo volume. Vale lembrar que uma paciente que colocou 250 ml, por exemplo, irá ganhar meio quilo em seu peso, além de mudar o centro de equilíbrio do corpo. A utilização de dois tops ou um sutiã cirúrgico ajuda pacientes corredoras se sentirem mais seguras.


Quanto tempo depois do implante é possível voltar aos treinos? Que cuidados a corredora deve ter?
O implante precisa cicatrizar no local onde foi colocado. O risco de um retorno precoce é sangramento, seroma (acúmulo de líquido) e deslocamento da prótese. Portanto, o ideal é retornar aos treinos leves (caminhadas e trotes) em torno de 45 dias, com uso de sutiã cirúrgico, que irá oferecer sensação de segurança a paciente. A rotina normal com rodagem de longões, tiros, musculação e grandes alongamentos somente após três meses da cirurgia. O procedimento onde os implantes são colocados por debaixo do músculo (peitoral maior) requer atenção especial, pois além de ser mais doloroso, exige maior tempo de repouso, pelo fato de as próteses poderem se deslocar mais facilmente devido à força do músculo peitoral. Nestes casos, os exercícios leves se iniciam somente após 60 dias. Em geral o acompanhamento médico é realizado até um ano de pós-operatório.


Em relação à musculação, quando retornar?
Para exercícios que envolvem somente os membros inferiores, deve-se aguardar entre 30 e 45 dias. Para os exercícios que solicitam a musculatura da região do tórax e membros superiores, 90 dias. Após três meses, em geral, as estruturas estão cicatrizadas. Antes disso os movimentos podem alterar o posicionamento dos implantes, influenciando no resultado final da cirurgia.


Os treinos após a cirurgia devem ser mais leves?
A paciente deve saber que o pós-operatório é muito importante e influencia no resultado final da cirurgia. Ele deverá fazer parte do planejamento cirúrgico e até de sua planilha de treinos. Ou seja, a intervenção deverá acontecer em uma fase em que os treinamentos estão se iniciando e não no meio ou no final de uma preparação. O cirurgião que opera atletas geralmente tem que ficar "freando" as pacientes ansiosas pelo retorno ao asfalto. Portanto,a volta deverá ser customizada para cada uma, sempre orientada pelo médico. Mas, em linhas gerais, inicia-se com trotes leves e com baixo impacto. À medida que o pós-operatório avança, o cirurgião vai liberando a paciente para cargas mais altas e exercícios de impacto maior.


A prótese de silicone pode ser colocada em qualquer idade?
A paciente deve ter tanto desenvolvimento corporal como maturidade psicológica para optar por cirurgia do aumento das mamas. Por isso, a idade mínima fica entre 14 e 16 anos. E não existe limite máximo. Cabe o bom senso do médico e da paciente.


Outros procedimentos
Quanto tempo para voltar às atividades
físicas, depois de uma cirurgia plástica:
• Na face: 30 dias.
• Nos glúteos: 60 dias.
• Nas pálpebras: 30 dias.
• No nariz: 30 dias.
• Nas orelhas (orelha de abano): 30 dias.
• Abdominoplastia: de 60 a 90 dias.
• Lipoaspiração: em geral entre duas e três semanas.
"Vale lembrar que cada paciente possui um tipo e uma qualidade de cicatrização, o que pode alterar o tempo de retorno aos exercícios",
diz o cirurgião Sidney Zanasi.


Redução de mama
E a cirurgia de redução de mamas, costuma favorecer a corredora?
De modo geral a mamoplastia redutora favorece a atleta, pois reduz o peso tanto da região torácica quanto da coluna vertebral. A mulher ganha uma posição mais retificada e deixa de ter posição viciosa (cifótica), que geralmente acontece para "camuflar" as mamas grandes.


Como é a adaptação depois?
Geralmente é o oposto daquelas atletas que colocaram silicone, ou seja, existe uma sensação de maior leveza durante os movimentos, pela diminuição de peso que a paciente deixa de ter. A adaptação neste caso é mais rápida.


Os cuidados para voltar aos treinos são os mesmos de quem coloca silicone?
Sim, mas o fato da mamoplastia redutora acarretar cicatrizes bem mais extensas faz com o que o cirurgião se preocupe com as deiscências (abertura de pontos) e não com deslocamentos dos implantes. Em ambas as cirurgias recomenda-se o uso de sutiãs cirúrgicos, que são mais reforçados, por um período de aproximadamente 60 dias. Os treinos leves funcionam da mesma maneira para quem colocou implantes.

Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados