Revista Contra-Relógio
// Especial //

ALEMANHA: cerveja, história, meias e maratonas

Edição 278 - NOVEMBRO 2016 - ANDRÉ SAVAZONI

Depois de passearmos por Portugal, Espanha e Itália, chegamos às terras alemãs, onde as provas de 21 km e 42 km concentram-se principalmente em abril e setembro/outubro.

Se a tradicional Oktoberfest (festa da cerveja) ocorre no mês de outubro, deixamos novembro para destacar os encantos e prova realizadas no país germânico. Não abordaremos os 42 km de Berlim porque temos a cobertura dessa prova nesta edição, feita pela Fernanda Paradizo, com todas as informações, e também deixamos de fora os 21 km da capital alemã, outra espetacular e marcada para o dia 2 de abril do próximo ano (http://www.berliner-halbmarathon.de/en/). Essas duas não precisam de apresentações.
Nosso objetivo com esse roteiro é mostrar corridas que também são bem organizadas e que até podem ser "desconhecidas" dos leitores. Há opções tão planas como Berlim, com facilidades maiores de inscrição (sem a necessidade de se programar com um ano de antecedência) e até de custos mais baixos com hotelaria. Um ponto em comum entre todas elas? A cerveja está presente nas meias e maratonas alemãs na mesma proporção (ou até maior) do que a água e o isotônico.
Os meses de concentração das corridas são abril (com diversas opções, assim, separamos uma parte) e setembro/outubro, ou seja, quando o clima é favorável. Novamente, a história está presente, nesse caso, tanto positiva como negativa, com visitas aos campos de concentração e os resquícios da Segunda Guerra Mundial. Há também visões incríveis de uma Alemanha unificada, mas ainda com diferenças entre as chamadas partes Ocidental e Oriental.
Dessa forma, vamos percorrer a Alemanha em 14 provas, de março a outubro de 2017, inclusive para dar tempo de programar a viagem, se preparar e treinar. Quem quiser, antes de começar a leitura, pode encher o copo, de preferência com uma cerveja alemã, que irá harmonizar bem com as próximas páginas. Prost! (saúde em alemão...)

Publicidade


12 de março
MEIA-MARATONA DE FRANKFURT
http://www.frankfurter-halbmarathon.de/
O roteiro começa por uma das cidades mais emblemáticas da Alemanha (e vai terminar também nela, com a maratona no final de outubro). Cerca de 85% da cidade de Frankfurt foi devastada durante a Segunda Guerra Mundial; por isso mesmo a capital financeira da Alemanha destaca-se pela arquitetura moderna, com alguns dos maiores prédios da Europa, e locais históricos reconstruídos.
Entre as vantagens, a ampla rede hoteleira (com faixas de valores bem diferentes) e os voos diretos do Brasil, sem a necessidade de escala. Além disso, o aeroporto de Frankfurt é um dos principais centros de distribuição da Europa, ou seja, após correr os 21 km e passear, é possível ampliar o roteiro turístico para outras cidades ou países.
Entre os locais para visitar, temos a Ponte de Ferro (Eiserner Steg) com linda vista para o centro de Frankfurt, conhecido como Mainhattan (uma mistura dos nomes do Rio Main e Manhattan). Também imperdível é a Catedral de Frankfurt, com 95 m de altura e que pode ser avistada de diversas regiões da cidade.
A Romerberg é a praça mais central e mais bonita do centro antigo de Frankfurt. A Igreja de São Paulo é historicamente fundamental na Alemanha: trata-se do local de formação do primeiro governo democraticamente eleito do país. Como as principais cidades europeias, há o distrito de museus (com mais de dez), localizado às margens do Rio Main. A área é conhecida como Museumsufer, Aterro dos Museus em uma tradução livre. Em estilo medieval e com quase 50 metros, a torre circular Eschenheimer Turm é uma das fortificações ainda em pé. Já o Grüneburgpark, um dos principais parques de Frankfurt.
Em relação à meia-maratona, é uma das maiores da Alemanha e totalmente plana, ou seja, propícia tanto para os estreantes quando para quem pretende buscar um recorde pessoal. O site é simples e tem informações apenas em alemão, um ponto negativo. Caso não fale o idioma e tenha um amigo fluente, peça auxílio para ele na navegação, pois será muito bem-vinda. No restante, pode viajar sem preocupação.


2 de abril
MEIA E MARATONA DE BONN
https://www.deutschepost-marathonbonn.de/
Bonn é a ex-capital da Alemanha e hoje uma das principais cidades universitárias do país. Esse é o segundo ponto de parada de nosso roteiro e que recebe uma meia e maratona no dia 2 de abril.
Foi fundada pelos romanos em 11 a.C. e atingiu seu esplendor e grandeza graças aos arcebispos de Colônia, localizada a cerca de 30 quilômetros de distância. Ficou ainda mais famosa por ser o local de nascimento de Ludwig van Beethoven, em 1770, e por ter sido a moradia do compositor Robert Schumann, que por lá viveu os últimos anos de vida.
Por sinal, uma das atrações turísticas é a casa em que Beethoven morou até os 22 anos e que agora é um museu; uma construção erguida no século 18 em estilo barroco.
A Universidade de Bonn tem como sede um castelo construído entre 1607 e 1705. Trata-se de um dos edifícios educacionais mais bonitos da Alemanha. Na cidade vizinha de Poppelsdorf há outro castelo, o Schloss Clemensruhe, também campus da instituição de ensino.
Com quase 13 mil participantes e 200 mil espectadores, Bonn recebe um dos maiores eventos de corrida da Alemanha. O percuro faz um tour pela cidade, ao longo do Rio Reno, passando por muitas das atrações e pontos turísticos da cidade. Além da maratona e da meia, há provas para caminhantes, patinadores e ciclistas, sem falar na opção de revezamento para os 42 km.
Novamente, o site oficial está em alemão, o que exige um pouco mais de trabalho na hora de fazer a inscrição, mas nada que atrapalhe a viagem.


2 de abril de 2017
FREIBURG MARATHON
http://www.marathon-freiburg.com/
Em Freiburg, a diversão está garantida. A prova é conhecida como a mais bem-humorada de toda a Alemanha. Esse lema é levado a sério pelos organizadores. A festa e a animação são garantidas por inúmeras bandas musicais, incluindo um show ao vivo no sábado, durante a entrega dos kits.
Há opção de 42 km e 21 km, ou seja, para todos os gostos. No domingo, além das bandas durante o percurso, a confraternização não tem hora para acabar, com um show grandioso na área da chegada. Claro que tudo "regado" a muita cerveja!
A data da prova de 2017 não estava ainda informada pela organização até o fechamento desta edição, assim como o período de inscrições. Mas, como base, neste ano, foi realizada no dia 3 de abril.
Freiburg é a mais ensolarada e quente do país, conhecida como a Toscana da Alemanha, além de ser uma cidade universitária. Depois da Segunda Guerra Mundial, os edifícios do centro antigo se transformaram em casas coloridas.
Com a área central livre de carros, Freiburg também é conhecida por ser ecologicamente correta e ter a fama de ser a capital das bicicletas da Alemanha (na verdade, quem tem mais bicicletas do que moradores é Münster, porém, a fama é de Freiburg). Ou seja, a maratona combina muito bem com o pensamento dos moradores locais.
O centro se espalha aos pés do Schlossberg e em volta da catedral. Caminhe pelas ruazinhas e se concentre nas principais praças, a Münsterplatz e a Rathausplatz, e aprecie os prédios mais famosos e importantes da região. Há muitos restaurantes com mesinhas espalhadas nas praças, principalmente na Münsterplatz.


9 de abril
MARATONA DE HANNOVER
http://www.marathon-hannover.de/home.html
A Maratona de Hannover é um sobe e desce constante, porém, como ponto mais baixo 49 m e o mais alto 69 m, ou seja, as variações altimétricas estão longe de serem intensas; variam nesses 20 metros. Por isso, o trajeto é considerado de dificuldade baixa, sendo bem rápido, nas palavras dos próprios organizadores.
Além dos 42 km, há a opção de meia-maratona no mesmo dia e o revezamento da maratona (algo comum na Alemanha, como poderão perceber pelas opções ao longo desta matéria). As inscrições estão abertas e, dependendo da data, variam de 49 a 68 euros nos 42 km, e de 29 a 48 euros nos 21 km.
Hannover é conhecida como a cidade das convenções e feiras, devido aos grandes eventos que recebe. Também foi duramente bombardeada durante a 2ª Guerra Mundial, por isso restaram poucos edifícios históricos. As atrações atuais são o jardim barroco Herrenhäuser Gärten, o castelo neogótico Marienburg e uma dupla especial para as crianças: o zoológico e o aquário.
Por trem, é muito fácil chegar à cidade. As viagens duram 1h30 de Berlim, 4h30 de Munique e 2h20 de Frankfurt, além de ligações com a Holanda e a França. A população orgulha-se de ser a cidade onde se fala mais corretamente a língua alemã. Está localizada às beiras do Rio Leine que, claro, faz parte do roteiro turístico.
Com um site completo, há a opção de deixar em inglês, o que facilita bem a navegação e o processo de inscrição. A prova, inclusive, tem selo prata da IAAF e a mensagem na página principal é clara: Prepare-se para seu recorde pessoal!


9 de abril
LEIPZIG MARATHON
https://www.leipzigmarathon.de/
A Maratona de Leipzig tem longas retas e duas voltas de 21 km (tendo a possibilidade da meia-maratona ou do revezamento em quarteto nos 42 km). A largada/chegada ocorrem no parque que abriga o estádio central (Red Bull Arena), ao lado do rio que corta a cidade.
Leipzig está localizada a apenas 190 km de Berlim, com acesso de carro, ônibus e trem de alta velocidade. Ou seja, na viagem, pode-se incluir as duas cidades e até percorrer a região.
Quatro motivos fazem a cidade famosa. Foi onde o compositor J.S. Bach passou os últimos anos de vida e está enterrado; o berço da Reforma Protestante liderada por Martinho Lutero; e por ter sido uma das cidades-sede da Copa do Mundo de 2006. Mas uma das mais impactantes nos leva a outubro de 1989 quando uma grande manifestação na cidade foi determinante para a queda do governo e a reunificação da Alemanha.
Por sinal, devemos incluir um quinto fator, esse diretamente ligado ao mundo das corridas: Leipzig foi a primeira cidade da Alemanha a sediar uma maratona, em 5 de setembro de 1897.
Entre os pontos turísticos a serem visitados (alguns, inclusive, estão no roteiro da prova) temos a Igreja de São Tomás, onde Bach se apresentava, escreveu algumas de suas peças mais famosas e recebeu os restos mortais do compositor. A antiga prefeitura, localizada na praça principal de Leipzig, foi construída em 1156 em estilo renascentista. Diante da prefeitura há a Praça do Mercado. Já a Igreja de São Nicolau é uma das mais importantes de toda a Alemanha; construída em 1165, foi palco da Reforma Protestante e local de encontro dos opositores no processo que antecedeu a queda do Muro de Berlim em 1989. Para quem gosta de futebol, o Estádio Central de Leipzig (Red Bull Arena) é uma atração, inclusive, como citamos anteriormente, próximo do ponto de chegada/largada da maratona.
Como fica claro, a viagem a Leipzig e a maratona unem claramente esporte e história.


23 de abril
MARATONA DE HAMBURGO
http://www.haspa-marathon-hamburg.de/
Cidade situada no norte da Alemanha, às margens do Rio Elba, Hamburgo é uma região portuária, a segunda maior da Europa, ficando atrás somente da holandesa Roterdã. E tem hoje uma das melhores maratonas do continente, unindo um percurso rápido e bonito, além da boa organização. Foi palco do índice olímpico de Marilson Gomes dos Santos para a Rio-2016 (2:11:00).
A facilidade de inscrição é outro atrativo, sendo muito fácil a navegação pelo site oficial. Como curiosidade, Hamburgo foi a primeira maratona a pintar a blue line no percurso, em 1986 - a linha azul que marca exatamente os 42.195 m. Tanto é que o slogan da Maratona de Hamburgo é "Run the Blue Line".
Bairros históricos, áreas residenciais, canais e lagos fazem parte do trajeto, além de uma grande presença de público, intensificada a partir do km 30. Na chegada, distribuição de cerveja (sem álcool), além de frutas, barras energéticas, pretzels e isotônico.
Na véspera da prova, há um jantar de massas, que funciona das 11h às 19h e cujo bilhete pode ser adquirido junto com a inscrição.
Como a maioria das cidades alemãs citadas nesta matéria especial, Hamburgo está localizada às margens de um rio, no caso, o Elba. Devido aos inúmeros canais que cortam a região e das 2.500 pontes, foi apelidada de "Veneza do Norte". O transporte público funciona perfeitamente, com a rede de metrô e ônibus.
Afluente do Rio Elba, o Alster forma dois lagos artificiais na região central de Hamburgo, o Binnenalster e o Außenalster, e nas suas margens estão instaladas shoppings, lojas de grife, cafés e restaurantes.
Na parte turística destaca-se a igreja barroca de Hamburgo, a St. Michaelis, construída em 1751 e que tem o maior relógio da Alemanha, com uma circunferência de 24 metros. Uma subida na sua torre, de 132 metros de altura, garante uma bela vista da cidade e do porto, que tem 800 anos. Para comemorar o pós-maratona, o destino principal é a rua Reeperbahn, no bairro St.Pauli, com uma sequência de bares, restaurantes, pubs, cafés e os famosos bordéis.
Para ampliar a viagem, Hamburgo está distante 288 km de Berlim; 426 km de Colônia e 775 km de Munique, mas também há possibilidade de visitar Amsterdã (a 464 km), na Holanda, ou Copenhague (a 333 km), na Dinamarca.


30 de abril
MARATONA DE DUSSELDORF
http://www.metrogroup-marathon.de/en/
Düsseldorf é o segundo centro econômico da Alemanha (perde apenas para Frankfurt) e fica no oeste do país, próximo da fronteira com a Holanda e a Bélgica. O Rio Reno é uma das atrações da cidade e, claro, a largada/chegada estão localizadas bem próximas ao rio, que também é um "companheiro" ao longo do percurso dos 42 km.
O trajeto é praticamente plano, mas com muitas mudanças de direção e curvas. A organização destaca ser uma das provas classificatórias para Boston e conta com selo da IAAF. Há opção do rezamento em quarteto também. As inscrições estão abertas e podem ser feitas até o dia 16 de abril de 2017. Os valores, conforme a data, variam entre 54 e 95 euros (quanto antes fizer, mais barato fica).
A cidade está distante apenas 40 km de Colônia e há uma rivalidade entre ambas, tendo a cerveja como motivo principal. Sempre a cerveja! Em Colônia, o destaque é a Kölsch, clara e de sabor delicado. A de Düsseldorf é a Alt Bier, de cor escura e alta fermentação, chamada anteriormente de Dussel. Assim, uma dica: em Colônia, peça a Kölsch, mas em Dusseldorf, opte pela Alt Bier.
A visita pela cidade pode começar pelo centro histórico, Altstadt, literalmente "cidade velha" na tradução. Por sinal, o bairro é conhecido como o "o maior bar do mundo": são quase 250 bares e cervejarias apertados por apenas 1 km. Burgplatz é uma grande praça situada às margens do Rio Reno, onde está a torre Schlossturm, que abriga o Museu Schiffahrt que narra com mostra multimídia a história de 2 mil anos de navegação no Reno. Quase ao lado do Schlossturm está a igreja de Lambertuskirche (São Lamberto), de 1380.
Fazer uma caminhada ao longo do Rio Reno na Rheinuferpromenade - o calçadão de Düsseldorf - garante tranquilidade e vista panorâmica. Prosseguindo reto pela Rheinuferpromenade, chega-se à torre Rheinturm, de 234 metros, um dos símbolos mais importantes de Düsseldorf e com uma vista de 360 graus da cidade, além do maior relógio digital do planeta. Para terminar, como você está na "capital fashion" da Alemanha, não deixe de passear pela Königsallee.


21 de maio
VIVAWEST MARATHON
http://www.vivawest-marathon.de/
Das 16 provas listadas nesta reportagem, a Vivawest Marathon tem características únicas. Além de conectar quatro cidades em que o esporte faz parte do dia a dia dos moradores, Gelsenkirchen, Essen, Gladbeck e Bottrop, o percurso passa também pelos assentamentos de mineração do passado (a sensação é de uma viagem no tempo), velhas torres sinuosas e uma área de cultura industrial. A largada e chegada estão localizadas em Gelsenkirchen.
Entre os destaques do trajeto está a última mina de carvão ativo. O percurso sofreu algumas modificações para a edição de 2017 e, de acordo com a organização, está mais plano do que em anos anteriores. Porém, não se empolgue: a altimetria variada é um desafio aos participantes. Há opção também de uma meia-maratona, além dos 42 km. As inscrições estão abertas e, até o dia 30 de novembro, custam 39 euros.
Gelsenkirchen é também o berço de um importante clube do futebol alemão, o Schalke 04. A maioria dos moradores tem algo em comum: a paixão pelo esporte. Prova disso é o fato de ser a casa de vários centros de condicionamento físico - o mais famoso deles é o Sport-Paradies (Paraíso dos Esportes), onde habitantes e visitantes podem praticar modalidades na água e no gelo.
Assim como outras cidades da Renânia do Norte, como Dortmund, Gelsenkirchen também era um grande centro de mineração. Desde que a extração de carvão entrou em declínio, nos anos 60, a economia sofreu modificações. É justamente esse cenário das minas que integra o percurso da maratona, como citamos antes.
A cidade, que existe desde a Idade Média, exibe uma impressionante coleção de castelos. Entre os mais importantes estão o Wasserburg (construído no início do século 14), o Horst (do século 13) e o Schloss Berge (o mais antigo deles, erguido em 1248). Além dos castelos, a cidade tem ainda parques, museus e outros edifícios históricos.


25 de junho
HELLA HAMBURG HALBMARATHON
https://www.hamburg-halbmarathon.de/
Trata-se de uma meia-maratona pura, rápida e em pleno verão alemão. O trajeto engloba boa parte das atrações turísticas da cidade de Hamburgo, sendo considerada a melhor para se correr nessa época do ano no país.
Junto com os 21 km, há provas para patinadores. A largada ocorre às 10h, ao ritmo de samba. Isso mesmo. A Expo é realizada no Estádio de Tênis de Rothenbaum, com transporte em ônibus oferecidos pela organização, mas também com uma estação de metrô em frente.
Diferentemente da maratona (leia texto nesta matéria, incluindo os destaques de turismo da cidade), os corredores percorrerão Hamburgo a partir de uma nova perspectiva: além do mercado tradicional de peixes, o percurso tem a principal estação de trem da cidade e a orla do Rio Alster, o que deixa o visual incrível. Na chegada, festa garantida com salsicha, cerveja e música ao vivo.


10 de setembro
MÜNSTER MARATHON
www.volksbank-muenster-marathon.de
A 16ª edição da Münster Marathon terá como tema "celebrando nossos heróis". O objetivo da organização é fazer um evento ainda mais inesquecível, valorizando os participantes. Serão mais de 300 artistas e suas bandas ao longo do percurso e um tapete vermelho na reta da chegada. O entusiasmo especial do público é outro atrativo e comentado por toda a Alemanha.
Desde julho de 2012, a prova faz parte da AIMS, o que garante a oficialização internacional do percurso. Trata-se de uma mistura perfeita entre uma maratona urbana e paisagística. O início ocorre em uma rua de quatro pistas em frente do Castelo de Münster. Os primeiros 10 km levam os corredores pelo belo centro histórico da cidade e pelo cinturão verde (chamada Promenade) que o rodeia. A região central e universitária também é percorrida.
A marca da meia-maratona está no distrito urbano de Nienberge, onde a festa é incomparável. Do km 24 em diante, a rota passa pelo pulmão verde de Münster. Nesse ponto, devido ao silêncio, é possível escutar a respiração e as pisadas dos maratonistas. Então, os participantes são trazidos de volta para a terra por uma banda afrocubana com 40 músicos. Desse ponto em diante, a animação empolga até quem não está correndo.
O custo-benefício também é um dos atrativos, com a inscrição a 50 euros (com direito à camisa de concluinte entregue na chegada, além da medalha).
Em Münster, o número de bicicletas supera o de moradores e a região tem as mais bonitas e estruturadas ciclovias da Alemanha. Ou seja, se optar pela maratona, reserve um tempo para os passeios depois dos 42 km. Ao percorrer as belas paisagens campestres, o ciclista usufrui de opções de cultura e lazer.
Existem 200 diferentes roteiros com percursos entre 10 e 30 km ao longo das 70 pequenas cidades de Münsterland (região de Münster). Para os apreciadores de cultura, há 1,4 mil quilômetros de rotas que interligam os 100 castelos da região, muitos dos quais cercados de água.
Além de ter uma grande área verde, a cidade de Münster possui vida cultural ativa, com centro histórico, museus, teatros e cinemas. É no centro histórico que estão localizadas a área de compras (Prinzipalmarkt) e a prefeitura (Rathaus), onde ocorreu a assinatura do tratado de paz conhecido como Paz da Vestfália, que pôs fim à Guerra dos Trinta Anos, em 1648.
No lago mais conhecido da cidade, rodeado por um enorme parque, o Aasee, os visitantes podem fazer passeios de barco, pedalinho e canoa em boa parte do ano (primavera e verão).


1 de outubro
MARATONA DE COLÔNIA
https://koeln-marathon.de/
A Maratona de Colônia é uma ótima opção de 42 km, na Alemanha, com facilidade de inscrição (ao contrário de Berlim, por exemplo). Por sinal, para quem vai fazer esta Major, há possibilidade de dobradinha, pois ocorre no domingo seguinte, também com uma meia-maratona realizada no mesmo dia.
Quarta maior cidade da Alemanha, Colônia está localizada às margens do Rio Reno, onde fica um dos mais importantes portos fluviais alemães, e é considerada a capital econômica, cultural e histórica da Renânia. O evento na cidade, que reúne no total 30 mil pessoas em todas as provas envolvidas (como corridas de variadas distâncias e ainda prova de patins), é considerado o terceiro da Alemanha, apenas atrás das maratonas de Berlim e de Hamburgo.
Mas em termos de visual talvez até supere as rivais. A corrida larga na frente da Otto Platz, seguindo para a parte oeste à beira do Rio Reno, e passando pela Catedral de Colônia, muitas igrejas românicas e vários parques que circundam a cidade. A linha de chegada é em frente à Catedral.
Tem ainda uma excelente organização, percurso rápido e animação do público e de várias bandas. Praticamente plana durante os 42 km, tem apenas uma elevação altimétrica no início e no final, no acesso à Ponte Hohenzollern, que cruza o Rio Reno. Na chegada, como tradição alemã, cerveja sem álcool e muita comida.
Como teve colonização romana, história não falta em Colônia, destacando-se o Museu Romano-Germânico (o Römisch-Germanisches Museum), que reúne ruínas e restos arqueológicos da cidade. A Catedral (Kölner Dom) é a principal atração turística e por onde a prova passa logo no início. Sua construção no estilo gótico resistiu aos bombardeios da Segunda Guerra Mundial.
Saindo da Catedral, faça um passeio até as margens do Rio Reno e cruze a Ponte Hohenzollern (Hohenzollerbrücke): observe no local uma infinidade de cadeados, simbolizando o amor de casais. Já viu esse ritual em outras cidades europeias, como Paris? Pois bem, saiba que teve início em Colônia.
Depois de correr os 42 km e de beber bastante cerveja alemã, você merece uma recompensa: então, o ponto de sobremesa é o Museu do Chocolate (Schokolade Museum), da famosa marca Lindt. Passeios de barco pelo Reno também estão entre as pedidas dos turistas.
A cidade é conhecida ainda pela invenção da Água de Colônia (Kölnisches Wasser), pelo italiano Johann Maria Farina, no século 18. Se puder ficar um pouco mais pelo Vale do Reno, os locais para conhecer são Düsseldorf e Boppard.


8 de outubro
MARATONA DE MUNIQUE
http://www.muenchenmarathon.de/
Munique é com certeza uma ótima escolha de maratona para o segundo semestre, no início de outubro (mesmo dia de Buenos Aires e Chicago, com cobertura nesta edição). Período de outono na Europa, com temperatura favorável e, também, mês da Oktoberfest, ou seja, turismo, corrida e cerveja, um trio pra lá de especial. O percurso é quase totalmente plano, com algumas ligeiras subidas que não influenciam em nada no desempenho, além da organização.
Caso você tenha dúvidas ainda sobre os atrativos de Munique, a chegada ocorre dentro do Estádio Olímpico que recebeu os Jogos de 1972. Uma volta de 300 m pela pista de atletismo e, então, cerveja sem álcool e comida.
A primeira parte dos 42 km é percorrida dentro do English Garden, um imenso parque com ruas estreitas e pouco público. A maratona então passa por diversos pontos turísticos de Munique, como a Marienplatz, a Câmara Municipal, a Ópera, a Residenz, o Pinakotheken, a Odeonsplatz e a Siegestor.
Terceira maior cidade da Alemanha, Munique esbanja beleza, e está entre as mais bonitas do país, unindo cultura e arte. Repleta de lagos, castelos, campos, vales e montanhas, encanta os turistas. E os passeios podem ser feitos sem dificuldade no transporte público, principalmente pelo metrô. A "área turística" está localizada entre a Hauptbahnhof (a estação central) e o Rio Isar, que corta a cidade.
Em Munique, o futebol também é um dos atrativos, com o famoso Bayern. Quem sabe, além de visitar o Allianz Arena, o estádio do clube bávaro, não consegue acompanhar uma partida do Campeonato Alemão ou, até, dando sorte, da Champions League.


22 de outubro
MARATONA E MEIA DE DRESDEN
http://www.dresden-marathon.de/
Uma das cidades mais lindas da Alemanha, Dresden, no leste do país, recebe maratona e meia maratona em outubro, além de uma prova de 10 km. A prova é uma combinação de arte barroca e natureza, na cidade localizada às margens do Rio Elba (e que faz parte do percurso).
Dresden foi totalmente arrasada no maior bombardeio da Segunda Guerra Mundial, quando os alemães já estavam praticamente vencidos pelos Aliados. Situada no que era a antiga Alemanha Oriental, é uma cidade bastante ligada às artes e à cultura, exibindo obras-primas da arquitetura barroca.
Hoje um meticuloso trabalho de restauração está devolvendo a antiga glória à cidade, com esforços redobrados após a enchente de 2002. O edifício mais famoso é o Frauenkirche. A Igreja Nossa Senhora (1726-43) foi deixada em ruínas no período comunista para servir como lembrança da Segunda Guerra Mundial. A reconstrução começou logo após a unificação e a igreja foi consagrada novamente em 2005. Hoje simboliza a reconciliação.
O Zwinger é uma bela estrutura barroca erguida em 1709-32, com espaçoso pátio totalmente rodeado de galerias que abrigam diversos museus. O Sächsische Staatsoper (Ópera Estadual da Saxônia) é outro marco da cidade.
Às margens do Elba fica o Schloss Pillnitz, encantadora residência de veraneio de Augusto, o Forte. A principal atração é o amplo parque nos estilos inglês e chinês.
São duas voltas de 21 km, com largada e chegada às margens do Rio Elba. Quem faz a meia-maratona dá uma volta e os maratonistas correm duas vezes pelo percurso, que margeia o rio, tem longas retas e mais de 1/3 de cada volta dentro de um belo parque, ou seja, excelente para correr, independentemente do ritmo. Os pontos turísticos também estão incluídos no trajeto.
Outro atrativo é que, na média, a inscrição custa entre 40 e 50 euros (os valores de 2017 ainda não foram divulgados), independentemente do período, com a possibilidade ainda de garantir a participação na Expo, com preço médio de 60 euros.
O site é todo em alemão, como em outras provas, mas há uma opção das informações principais em inglês, o que facilita na navegação.


29 de outubro
MARATONA DE FRANKFURT
https://www.frankfurt-marathon.com/
Final de outubro, com garantia de clima frio (ainda mais certeza do que em Berlim). Organização excelente e selo ouro da IAAF. Percurso totalmente plano, apenas com um pouco mais de curvas do que na "concorrente" Major. Facilidade de se inscrever até o período da véspera, inclusive, com um pouco de sorte, até na própria Expo. Ou seja, a Maratona de Frankfurt pode (e deve) ser vista com carinho por quem está atrás de um recorde pessoal nos 42 km.
Já citamos, ao tratarmos da Meia de Frankfurt, os destaques turísticos dessa cidade alemã e a facilidade da viagem por ter voos diretos do Brasil, um ponto extremamente positivo para quem vai correr uma maratona. Assim, o foco, agora, é realmente na prova.
A feira, que tem como sede um dos pavilhões do Messe (enorme complexo usado para feiras e congressos na cidade), não deixa em nada a desejar às das principais maratonas do mundo. Além dos tradicionais expositores, com os produtos e ofertas de sempre, um enorme painel com o nome de todos os inscritos tem sido uma atração à parte (algo que ocorre em outras provas, como Boston).
Outro diferencial da feira é que ela funciona também no próprio dia do evento, abrindo às 7h e fechando às 17h - os kits são entregues até a hora da largada. Tradicionalmente, também é possível fazer inscrição de última hora, até às 19h de sábado - nesse caso, vale um adendo: caso o limite de vagas não tenha sido preenchido. Como a largada e chegada são no próprio Messe, tudo funciona de forma excelente. O guarda-volumes é no mesmo prédio da feira, apenas em outro andar.
A prova percorre as ruas do centro histórico de Frankfurt no trecho inicial. Após 4 km passa na mesma avenida da largada, bem larga, só que do outro lado e no sentido oposto. Após outra volta pelo centro, o percurso cruza uma ponte sobre o Rio Main, no km 13. A partir daí, afasta-se do centro em direção oeste, com o rio voltando a ser cruzado no km 24. No km 35, a prova passa bem perto da chegada e volta a explorar o centro Frankfurt. Nesse ponto existe a maior concentração de público.
Agora, realmente, a chegada é o maior atrativo e inesquecível. Ocorre dentro do Festhalle, espaço coberto para shows e eventos do Messe, como um grande ginásio. Sob canhões de luzes coloridas, no melhor estilo concerto de rock, com música alta e locutor animando, os últimos metros são percorridos sobre um tapete vermelho, com direito a chuva de papel prateado. As arquibancadas ficam lotadas de gente.
Um fechamento ideal para esta matéria especial sobre as meias e maratonas na Alemanha, a quarta da série da CR, que já passou por Portugal, Espanha e Itália. Nos vemos no próximo mês, quando abordaremos provas no Reino Unido ou Grã-Bretanha, como preferir.


Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados