Revista Contra-Relógio
// Desafio //

50 maratonas nos 50 estados norte-americanos

Edição 292 - JANEIRO 2018 - ANDRÉ SAVAZONI

Essa é a meta do assinante Nilson Lima, que dividiu parte da meta em duas etapas, com 12 provas em 28 dias em 2017 e mais 12 maratonas até abril.

Correr uma maratona já é motivo de muita comemoração e de lembranças para o resto da vida. Quem toma gosto pelos 42 km, segue em frente, buscando diferentes desafios e provas no Brasil ou mundo afora. Agora, quem supera as 178 maratonas e ultras, segue motivado da mesma forma? O assinante Nilson Paulo Lima, de Uberlândia, garante que sim. A meta agora é correr 50 maratonas nos 50 estados norte-americanos. O sonho é antigo e foi inspirado pelo livro de Dean Karnazes "50 maratonas em 50 dias".
O plano ficou guardado na cabeça, mas sem nunca ser esquecido. Agora chegou o momento de ir atrás dele, segundo Nilson, que dá nome à maratona de Uberlândia, cuja terceira edição acontece dia 22 de abril. A primeira parte do desafio foi concretizada com sucesso no final do ano passado e, de 24 de março a 16 de abril, correrá mais 12 maratonas, finalizando na centenária Boston (que já participou seis vezes). Completando todas, chegará aos 37 estados, restando "apenas" mais 13 previstas ainda em 2018.
"Me filiei ao grupo ‘50Statesmarathonclub' www.50marathonstatesclub.com), que permite a entrada de membros que tenham no mínimo provas em dez estados dos Estados Unidos (o site auxilia na elaboração de roteiros e inscrições, além da opção de calendário). Eu já tinha 17 corridas completadas quando entrei. O plano, então, foi traçado para fazer as outras 33", explica Nilson Lima.
A primeira parte ocorreu entre 7 de outubro e 5 de novembro de 2017, quando fez 12 maratonas em 28 dias nos Estados Unidos. "Dessas 12, destaco a Marine Corps (Washington), uma prova surpreendente. Passa pelos principais pontos turísticos e garante uma grande emoção com a homenagem que fazem aos soldados mortos em guerra. É de arrepiar. Por dois quilômetros, há uma sequência de fotos dos jovens soldados, com a presença de parentes e amigos, que ficam esperando quem tenha uma relação com a imagem e esteja correndo a prova. Muitos param para tirar fotos e o choro é constante. Depois, por um quilômetro, voluntários cobrem o percurso com bandeiras norte-americanas, formando um túnel para os participantes passarem. Corredores são bem barulhentos durante as provas, mas nesse trecho há um silêncio de arrepiar. Inesquecível."

Publicidade


RAINHA DAS MARATONAS. Na relação das melhores feitas por Nilson Lima está Nova York, com mais de 50 mil concluintes anualmente. "Imbatível em todos os sentidos", garante o experiente corredor. "Já Baltimore é uma prova que envolve toda a cidade. Mesmo sendo realizada na véspera da Marine Corps e a apenas 50 quilômetros de distância de Washington, consegue levar um grande número de corredores e inúmeros orgulhosos voluntários. No final é entregue uma linda medalha com o símbolo da cidade. Destaque também para Seven Springs, uma prova de montanha em uma linda estação de esqui e balneário na Pensilvânia", completa Nilson Lima.
De onde vem tanta motivação? Nilson Lima explica com palavras simples. "Sou uma pessoa dedicada, me esforço o máximo possível, mas a motivação maior é vivenciar cada momento, cada prova, chegando ao final sem preocupação com pódio. Claro que quando ocorre uma premiação, faz bem para o ego, porém, não é o objetivo. O mais legal são as experiências de vida", resume Nilson Lima, que já percorreu 32 países (incluindo todos da América do Sul e os cinco continentes) na ponta dos tênis. "Cada maratona segue como se fosse a primeira, me emociono da mesma forma."



Marathon Maniacs
Um grupo diferente se reuniu na Cidade Universitária, tradicional reduto da corrida na capital paulista, no dia 25 de novembro. Foram os Marathon Maniacs, ou corredores tarados pelos 42 km, que realizaram o primeiro encontro no Brasil.
O 1º Treino Fila - Marathon Maniacs foi aberto ao público e as inscrições foram gratuitas, acabando em menos de 12 horas. O evento teve a presença do editor da Contra-Relógio, Tomaz Lourenço, e de muitos corredores, mas a maioria ainda não debutante em maratona. Colaborou na organização o articulista Aulus Sellmer, da seção "Conversa de treinador".
"Inicialmente estávamos planejando apenas 50 participantes, mas passamos para 120, devido à alta procura", disse José Eduardo Motta Garcia, embaixador dos Marathon Maniacs no Brasil e que tomou a iniciativa do evento, ao lado de Alexandre Diniz. Estiveram presentes os primeiros membros brasileiros: Rodolfo Lucena, Carlos Hideaki e Nilson Lima.
Para José Eduardo, encontros como esse são importantes para reforçar a divulgação. "Apesar de sermos o terceiro país com mais membros no Marathon Maniacs, ainda temos apenas 70 inscritos. O potencial de crescimento é enorme. Muitos maratonistas tem o pré-requisito e não sabem que o grupo existe", afirmou.
Fundado em 2003 em Tacoma, no estado de Washington, hoje os Marathon Maniacs contam com mais de 30 mil membros de diversas partes do mundo. O associado tem acesso a um espaço para registro das provas, loja virtual e fórum para troca de informações, além de descontos em provas norte-americanas.
Também há opções para interessados em meias maratonas, chamado de Half Fanatics. Quem fizer parte dos dois se torna um Double Agent.
Para ser elegível, no nível mais básico, é necessário concluir duas maratonas em um período de 16 dias ou três em 90 dias. É possível aumentar a "loucura" e ganhar mais estrelas, podendo chegar até o insano nível Titanium, que exige 52 maratonas em um ano. As provas acima de 42,2 km também contam.
Ficou interessado? Todos os detalhes no site www.marathonmaniacs.com.


Deixe o seu comentário


Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados