Revista Contra-Relógio

André Tarchiani Savazoni é jornalista, pai e corredor. Está sempre na corrida. Seja nos treinos, nas provas ou atrás dos filhos, Vitória e, principalmente, Pedro. E adora viajar para correr ou correr para viajar.

// Na Corrida/

Dicas para a Meia-Maratona de Buenos Aires

1/setembro/2016

A Meia-Maratona de Buenos Aires cresce anualmente. Além de ser a principal atualmente da América do Sul, com mais de 20 mil inscritos (veremos o número de concluintes no domingo, o que mais importa), tem a maior participação de brasileiros no exterior (superando as 2 mil pessoas se contarmos os corredores e acompanhantes). Os atrativos justificam esse sucesso da prova. Para auxiliar quem estará na capital argentina nesses dias, seguem dicas do percurso, de transporte, da entrega do kit…

O percurso

Praticamente plano, por avenidas largas (então, preste atenção nas tangentes), passando por monumentos turísticos de Buenos Aires, como Obelisco, Cemitério da Recoleta, bosques de Palermo, Teatro Colón e Plaza de Mayo (com a Casa Rosada), entre outros.

Tem algumas leves e pequenas subidas, apenas uma mais consistente, logo após o km 7, ao sair da avenida Libertador e entrar na Carlos Pellegrini, paralela à Nove de Julho. Mas é curta. Não se assuste. Consegue administra o ritmo e fechar o quilômetro muito próximo da média que chegará correndo (além de ser no primeiro terço da meia-maratona).

Depois, por volta do km 13, um viaduto, mas também sossegado e um pequeno túnel na parte final com descida e subida suaves. Ou seja, altimetria não é problema algum. Se estiver um clima bom, prova para acelerar!

No site, há o mapa oficial do percurso com um mapa interativo do Google, que pode fazer as pesquisas com a referência do trajeto que citarei nas dicas abaixo. Além disso, as informações dos postos de hidratação com água e isotônico. Clique aqui e veja as informações.

DSC9900-CustomDia da prova

A largada ocorre em Belgrano, no cruzamento das avenidas Alcorta e Monroe, mais afastado do Centro. Para quem está hospedado em Palermo, principalmente na região da Plaza Italia, dê uma olhada no mapa pois é supertranquilo ir trotando. Basta calcular o tempo que levará no ritmo de aquecimento a tempo de chegar, usar o banheiro, o guarda-volumes (que nas cinco vezes que já corri os 21 km ou os 42 km funcionaram muito bem) e se posicionar na largada (sem separação de ritmos, o que, a meu ver, é o único problema da Meia de Buenos Aires. Na maratona, impacta pouco, mas nos 21 km, é preciso ficar atento).

Para quem está na região central ou na Recoleta, por exemplo, o ideal é ir de táxi cedo. Leva, em média, de 25 a 30 minutos. No ano passado, estava hospedado na Recoleta, chamei o táxi pelo aplicativo Easy Taxi, chegou em 3 minutos e fomos para a largada. Custou 90 pesos (R$ 22,50 na época). Vale testar o aplicativo este ano ao chegar em Buenos Aires. Mas fique claro: já foi complicado pegar os táxis na rua, atualmente, tem sido bem sossegado. Se quiser, pode ver na recepção do hotel. Opte para ir com amigos (quatro por carro) e sempre rachar o valor.

Após a prova

Para retornar, duas opções. Caminhar até a avenida Libertador (que irá percorrer na prova) e pegar o táxi ou ônibus lá para o Centro ou Recoleta (na região da chegada fica muito tumultuado). Para Palermo vale o mesmo da dica acima: voltar com a medalha no peito, caminhando ou trotando e festejando pelos bosques.

Outra opção (uma caminhada no plano de 1,5 a 2 km) é seguir pela Monroe, a avenida da largada/chegada, até a Cabildo (também consegue verificar esse trecho nos mapas com o link disponibilizado aqui no texto), virar á direita e pegar o metrô na estação Congreso de Tucuman (linha verde). Vai diretamente para a região central (passando por Palermo), com estação na Avenida Nove de Julho, perto do Obelisco, e na Plaza de Mayo. Leva cerca de 25 minutos. Nessa caminhada da chegada ao metrô, tem vários barzinhos, ou seja, se levar dinheiro, já pode fazer um pit stop. Cheque apenas em Buenos Aires o horário de início do funcionamento do metrô ao domingo.

Câmbio

Para trocar dinheiro, no ano passado, valia fugir do câmbio oficial e usar o Blue, com muitos locais na rua Florida. Outro fator para chegar em Buenos Aires. Apenas fuja das casas de câmbio no aeroporto. Lembrando que vinho e carne são baratos na Argentina, então, a confraternização está garantida.

Aeroporto

Em questão aos voos, o ideal é chegar pelo Aeroparque, mais central e de fácil acesso. Ao descer, há um sistema de ônibus (você compra dentro do aeroporto) que o leva ao Centro por 30 pesos e tem saídas a cada 30 minutos. Se for de táxi, caminhe por dentro do aeroporto até o desembarque nacional (não pegue no internacional de maneira alguma). No nacional, terá fila, bastante gente e os táxis oficiais. Novamente, a dica de dividir o táxi ajuda bem.

Caso desembarque no Ezeiza, calcule o valor do transfer/táxi. Uma opção para quem chega pela Aerolineas Argentinas é checar como está o serviço de ônibus gratuito Ezeiza/Aeroparque/Ezeiza. Há uma parada na estação de ônibus em Buenos Aires. Usei na maratona no ano passado e funcionou bastante. No site da Aerolineas tem as informações também.

Entrega dos kits

A entrega dos kits funciona nesta quinta, sexta e sábado, no Distrito Audiovisual, na Avenida Dorrego, 1898. Pode-se ir de táxi do Centro ou Recoleta. De Palermo, vale como na largada/chegada: possível ir passeando, tudo praticamente plano. O metrô também indico, novamente pela Linha Verde. Deve-se descer na estação Ministro Carranza e, então, pegar a Dorrego e descer 1,1 km nela até a feira. Na volta, mesma coisa, com uma leve subida.

O atrativo é que trata-se de uma região movimentada e com vários bares e restaurantes. Tem um por exemplo na rua paralela (a Fritz Roy), o Las Cabras. Já que estamos falando de parrillada, o Las Cholas (Arce, 306) é outra boa opção (melhor para o meu gosto, mas um pouco mais para frente – é possível traçar o caminho também pelo metrô pelo Google Maps de onde você estiver). Para comer empanadas e carnes, além de vinho (nem vou entrar no doce de leite e suas variações, como sorvetes), Buenos Aires é um dos melhores locais.

Clique aqui e acesse o site oficial para mais informações.

Postado em: Maratona de Buenos Aires por André Savazoni às 16:50

3 Respostas para “Dicas para a Meia-Maratona de Buenos Aires”

  1. o que vem no kit? qual a cor da camiseta?

  2. Elisabete, boa noite
    Essas informações devem ser obtidas no site oficial.
    Abraço
    André

  3. Prezado André,

    Muito bacana seu relato sobre a experiência de correr a meia de Buenos Aires. Pretendo ir com minha esposa, passear e realizar a prova.
    Como nunca viajei ao país, poderia me dar dicas de hotéis próximos à largada, restaurantes,locais para passeios? ( e dicas para economizar na viagem rsrs).

    Agradeço o compartilhar de sua experiência, grande abraço.

    Gediael Marques

    Instagram: @Correndo_para_Cristo

Deixe o seu comentário

// outros blogs //

Últimas

Filme produzido com assinatura da Meia-Maratona do Sol valoriza música potiguar e belezas de Natal>> LER POST

Blog da CR

"Este ano eu entro no Ranking!" Participe do Desafio CR!>> LER POST

Linhas de Chegada

Treino para Maratona gera RP nos 10km>> LER POST

Vida Corrida

O grato convite para Maratona do Rio>> LER POST

Publicidade

VELOCITA

Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados