Revista Contra-Relógio

André Tarchiani Savazoni é jornalista, pai e corredor. Está sempre na corrida. Seja nos treinos, nas provas ou atrás dos filhos, Vitória e, principalmente, Pedro. E adora viajar para correr ou correr para viajar.

// Na Corrida/

Nome da maratona deveria mudar para Quênia Esporte Clube

7/novembro/2011

No Brasil, há quem goste de brigar com números e imagens. Principalmente no futebol. Agora, sinceramente, não acredito que possa existir alguém que conteste a supremacia queniana nas maratonas. É difícil fazer comparações entre épocas e modalidades, mas acredito que “nunca na história de um esporte individual” um país tenha dominado tão amplamente uma distância. E não estou falando só do atletismo.

Neste ano, nas cinco Majors – Boston, Londres, Berlim, Chicago e Nova York –, cinco vitórias quenianas (quatro atletas diferentes) com cinco recordes de percurso (incluindo um mundial e as três marcas mais rápidas de todos os tempos). Some-se a isso o quarto tempo da história, de Wilson Kipsang em Frankfurt. Entre os 20 mais rápidos de 2012 nos 42 km, 18 são quenianos. As exceções são o etíope Gebre Gebremariam e o americano Ryan Hall, ambos em Boston.

Individualmente, apesar de gostar da forma como Moses Mosop corre, de buscar sempre o limite, não dá para deixar de admirar e aplaudir Geoffrey Mutai. Sim, Patrick Makau é um legítimo recordista do mundo, porém, tem os dias contados. Primeiro, Geoffrey voou com os incríveis 2:03:02 em Boston e, no domingo passado (06), arrebentou o recorde em Nova York: 2:05:06. Arrisco dizer, inclusive, que essa marca é mais impressionante do que os 2:03:38 de Makau ou os 2:03:42 de Wilson Kipsang em Frankfurt. Devido às dificuldades do percurso, o que Geoffrey fez domingo comprova: se não se machucar, é virtualmente o recordista do mundo. Nesse quesito, hoje, está na frente de Mosop e dos demais.

Quer saber os vencedores das cinco Majors em 2011?
Boston - Geoffrey Mutai, 2:03:02 (o tempo o mais rápido na história)
Londres – Emmanuel Mutai, 2:04:40
Berlim – Patrick Makau, 2:03:38 (recorde mundial)
Chicago – Moses Mosop, 2:05:37
Nova York – Geoffrey Mutai, 2:05:06

Para quem gosta de números, veja as 20 marcas em maratonas neste ano:
2:03:02 – Geoffrey Mutai (Quênia) – Boston
2:03:06 – Moses Mosop (Quênia) – Boston
2:03:38 – Patrick Makau Musyoki (Quênia) – Berlim
2:03:42 – Wilson Kipsang (Quênia) – Frankfurt
2:04:40 – Emmanuel Mutai (Quênia) – Londres
2:04:53 – Gebre Gebremariam (Etiópia) – Boston
2:04:58 – Ryan Hall (EUA) – Boston
2:05:06 – Geoffrey Mutai (Quênia) – Nova York
2:05:16 – Levi Matebo Omari (Quênia) – Frankfurt
2:05:25 – Albert Kiplagat (Quênia) – Frankfurt
2:05:27 – Wilson Chebet Kwambai (Quênia) – Roterdã
2:05:33 – Vincent Kipruto Limo (Quênia) – Roterdã
2:05:37 – Moses Mosop (Quênia) – Chicago
2:05:45 – Martin Lel (Quênia) – Londres
2:05:45 – Patrick Makau (Quênia) – Londres
2:05:48 – Jared Chirchir Kipchumba (Quênia) – Eindhoven
2:05:53 – Wilson Chebet Kwambai (Quênia) – Amsterdã
2:06:05 – Laban Korir (Quênia) – Amsterdã
2:06:07 – Eric Ndiema (Quênia) – Amsterdã
2:06:07 – Philip Kimutai Sanga (Quênia) – Frankfurt

O que acha de mudarmos o nome da maratona para Quênia Esporte Clube? Seria uma justa homenagem…

Postado em: Corridas, Maratonas por André Savazoni às 22:17

5 Respostas para “Nome da maratona deveria mudar para Quênia Esporte Clube”

  1. Ótimo post André, realmente a supremacia africana é surpreendente e dificilmente ela será quebrada. O Quênia principalmente tem o melhor field…imagina como será nas olimpíadas…ouro,prata e bronze já garantido, basta saber apenas ordem dos nomes…rs

  2. Que venham as cotas, pois estes quenianos são imbatíveis! Parabéns ‘canelas finas’!

  3. Diria que não dá para apostar em nada diferente de ouro, prata e bronze para o Quênia na maratona olímpica de 2012.

    ————————————————–

    Leo, sem dúvida alguma, essa é a tendência e, realmente, algo diferente será surpresa.

    Abraço

    André Savazoni

  4. Sem querer desanimar mas o Marilson tem pouquissimas chances de medalha em londres 2012 competindo com esses caras.

  5. [...] no atletismo têm a mesma rivalidade de Brasil e Argentina no futebol. E não estou exagerando. No ano passado, foi uma goleada queniana. Supremacia total nas maratonas, com vitória e recordes em todas as Majors, recorde mundial, [...]

Deixe o seu comentário

// outros blogs //

Últimas

Ex-recordista dos 100 m correrá no Brasil após suspensão por doping>> LER POST

Blog da CR

Contra-Relógio na feira da Golden Four Asics em SP>> LER POST

Corrida Viva

Treinar o Domínio sobre a DOR nos 30K !>> LER POST

Linhas de Chegada

Maratona do Rio - A PROVA>> LER POST

Operação Queniana Albina

A batalha do XX x XY>> LER POST

Publicidade

VELOCIT

Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados