Revista Contra-Relógio

André Tarchiani Savazoni é jornalista, pai e corredor. Está sempre na corrida. Seja nos treinos, nas provas ou atrás dos filhos, Vitória e, principalmente, Pedro. E adora viajar para correr ou correr para viajar.

// Na Corrida//

Um piscar de olhos que pode mudar o mundo. Para o bem e mal

15/abril/2014

Com a correria e agito diários, costumamos dizer que um ano passa em um piscar de olhos. E a sensação é realmente essa mesmo. Olhamos para trás e visualizamos algo que parece tão próximo, mas que está dez, doze meses atrás.

Um piscar de olhos que pode mudar uma vida. Um piscar de olhos que acaba com uma família. Um piscar de olhos que altera toda uma realidade. Um piscar de olhos que traz o medo, o susto, a insegurança, a incredibilidade.

Há um ano, no exato horário que escrevo esse texto, Martin Richard saía de casa, todo feliz, ao lado da mãe e da irmã. Aos 8 anos de idade, normalmente, o pai é o grande ídolo. Pai que estava um pouco distante, descendo e subindo as ladeiras da Maratona de Boston. Em algumas horas, Martin abraçaria o ídolo, o exemplo, próximo à linha de chegada. Uma alegria ímpar, que nunca será transcrita com palavras.

Orgulhoso, cheio de si, feliz, viu o pai chegando. Saiu da calçada para abraçá-lo já na rua. Sorrindo e dando um último olhar, voltou caminhando em direção à mãe e à irmã. E o pai, virando para a frente, retomava o ritmo para os últimos metros antes de cruzar a famosa “finish line” da centenária Boston. Da maratona das famílias. De gerações e gerações. De sonho de consumo dos apaixonados pelos 42 km. Da medalha mais desejada e guardada com carinho.

Porém, em um piscar de olhos, Martin foi embora. O amarelo e o azul, cores tradicionais da alegria de Boston foi embora junto com o garotinho. Deu lugar ao vermelho. Do sangue. Da dor. Ao preto. Do luto. Da tristeza. da morte. Das lágrimas. Com a explosão de duas bombas, Martin, infelizmente, era uma das três vítimas fatais. A irmã e a mãe, integravam as centenas de feridos.

Martin foi embora ainda com aquela sensação de felicidade. Não deve ter sentido absolutamente nada. Felizmente. Nem deu tempo. Em um piscar de olhos, despediu-se da vida. Com as lembranças do abraço no pai, da festa que as ruas de Boston tornam-se anualmente há 118 edições ininterruptas na terceira segunda-feira de abril.

Hoje, após exato um ano, que passaram em um piscar de olhos, choro como chorei nos dias seguintes. Mas um misto de choro de tristeza e de superação. É bonito demais ver como o ser humano, tão egoísta, tão individualista, tão sem valores em diversos momentos, une-se nas adversidades. O mundo das maratonas mudou. Boston mudou. Os moradores mudaram. Durante um ano estão trabalhando para mostrar que sentiram o baque, que a ferida ficará para sempre, mas que são mais fortes. Que nada irá derrubá-los.

Na tristeza dos dias seguintes, nos pedidos de desculpas dos moradores de Boston e região a cada conversa com eles pelas  ruas, eu tive a certeza que estaria de volta. Que precisava fechar esse capítulo. Não com a imagem que ficou de um ano atrás. Mas com a tradicional alegria de 118 anos.

Daqui a seis dias, em 21 de abril, nas proximidades da linha de chegada, terei o olhar tão apaixonado como o do Martin vindo do Pedrinho, de 5 anos, e da Vitória, de 9 (quase dez, como ela gosta de falar). E celebraremos juntos. Na vida toda que eles têm pela frente, na alegria, no amor, na certeza que temos de seguir em frente, de cabeça erguida. Lutando para que quando eles forem adultos, tenhamos um mundo um pouco melhor. Que não acabe em um piscar de olhos. E que, se for para acabar em um piscar de olhos, que atrás dele tenhamos milhares de momentos para festejar.

Postado em: Crônica por André Savazoni às 11:34
1 comentário »

27/março/2014

Mountain Do chega ao paraíso brasileiro, Fernando de Noronha

Podemos até encontrar corridas semelhantes pelo mundo afora, pois belezas naturais não faltam, mas apostaria que nenhuma delas será superior no quesito "maravilhosa": o Mountain Do chega neste ano a um paraíso brasileiro, Fernando de Noronha.
Leia mais>>>


25/março/2014

Uma questão simplesmente de cultura

No domingo, disputei a quarta edição da Meia-Maratona Amil, em Campinas.
Leia mais>>>


19/março/2014

O que é superação no esporte, na corrida de rua?

Pelo dicionário Houaiss, superação significa "ato ou efeito de superar; sobrepujamento".
Leia mais>>>


28/fevereiro/2014

A corrida de rua e o comportamento do brasileiro

O pensamento é muito comum.
Leia mais>>>


26/fevereiro/2014

Gosta de correr maratonas? Veja que calendário legal

Após um período sabático, o blog está de volta.
Leia mais>>>


« Mais Antigos

// outros blogs //

Últimas

1º lote de inscrições para o Mountain Do Deserto do Atacama acabam em 4 horas>> LER POST

Blog da CR

CR na Patagonia Run, em San Martin de los Andes>> LER POST

Corrida Viva

CHAMADA GERAL para o GLOBAL HEROI até 25/04>> LER POST

Linhas de Chegada

Eu e meus tênis>> LER POST

Publicidade

Anuncie na CR

Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados