Revista Contra-Relógio

Rodrigo Lucchesi é engenheiro de formação e corredor de coração, esporte que adotou em 2001. Corre pela endorfina e para poder comer chocolate e tomar açaí sem culpa.

Maraturismo em Paris

24/abril/2015

No dia 12/04 fiz um belíssimo e cansativo passeio turístico de 42km por Paris.

Sim, é isso que a Maratona de Paris tem a oferecer, caso você não esteja tão preocupado em fazer tempo: em cerca de 4 horas percorri todos os principais pontos turísticos da cidade: partimos da famosa avenida Champs-Élysées, passamos pela Praça da Concórdia, Museu do Louvre, Rua de Rivoli, Bastilha…

Logo após a metade da prova, no km 23, finalmente pegamos a margem do Rio Sena (neste ponto encontrei a minha família, parei para tirar foto com os filhos, o que deu um gás extra!), e seguimos por ela durante alguns km, avistando a Catedral de Notre Dame, o Museu d’Orsay e obviamente a Torre Eiffel. A prova termina perto do Arco do Triunfo, cujo nome é muito propício para os maratonistas após vencerem 42 km.

Meu planejamento previa fazer essa prova a passeio, sem pressão, só curtindo a cidade, e foi isso que aconteceu.  Não havia treinado direito, e ia passar 2 semanas de férias a passeio, andando muito, correndo pouco e comendo errado. Então não dava para ter grandes expectativas.

Mas mesmo sem grandes expectativas, me surpreendi com a dificuldade da prova. Vários pequenos aclives e declives “quebraram” muita gente ao longo da prova, inclusive eu. Do km 30 em diante, me vi alternando caminhada e corrida. Em uma dessas caminhadas, passei por um torcedor que estava sozinho, ele olhou para mim, viu meu nome no número de peito e disse: “Vamos, Rodrigo, falta pouco, vamos correr, nada de caminhar!”.

Nada como um incentivo tão pessoal e direto. Aliás, o apoio do público francês impressiona. Ao longo da prova inteira eles estão lá aplaudindo e incentivando os corredores, gritando “Allez, allez!” (Vamos, vamos!). Na hora retomei o trote e assim segui por alguns quilômetros. Sou grato a este francês anônimo por ter me tirado da inércia.

Outra coisa que me ajudou muito na reta final: laranjas. Sim, eu nunca tinha comido laranjas durante uma corrida, estava ficando com fome, enjoado dos géis de carboidrato, acabei provando um pedaço no posto de hidratação. Foi paixão a 1a vista. Nunca imaginei que pudesse me fazer tão bem. No posto seguinte, calculo que tenha comido umas 3 laranjas inteiras de uma vez só.

Terminei a prova bem acima do horário previsto. Doeu, foi sofrido, mas é assim mesmo. Afinal de contas se eu quisesse moleza era só ter ficado em casa.

E que venha o próximo desafio!

Contatos:

Postado em: Maratona, Provas por Rodrigo Lucchesi às 16:42
1 comentário »

14/setembro/2014

Paris aí vou eu

O despertador tocou às 3 horas da manhã.
Leia mais>>>



// outros blogs //

Últimas

Maratona de Salvador será no dia 23 de setembro em 2018>> LER POST

Blog da CR

Envio de provas para o Calendário CR 2018 até dia 16!>> LER POST

Na Corrida

Valorize o tempo que você fez!>> LER POST

Vida Corrida

Sub 3h: Cristiano Bedin da Costa, atleta solitário na Comunidade Autônoma de Cronópios, conta sua história em Buenos Aires>> LER POST

Publicidade

CORRIDA DAS ACADEMIAS

Publicidade

















11 3031.8664
Rua Hermes Fontes, 67
São Paulo - SP





© 1993 - 2014
Todos os direitos reservados